Por que eu odeio morar num lugar frio

Aff... Cadê minhas meias?

Quem mora no calor de 40 graus do Rio de Janeiro, volta e meia deseja subir a serra para poder desfrutar do friozinho romântico, tomar um chocolate quente, abandonar os shortinhos e as Havaianas para utilizar sobretudo e botas, etc. Vai fazer 2 anos que moro em Petrópolis, lugar frio pra danar (bom, para carioca 20° já é frio), sendo que, desde 2002, já subia e descia a serra semanalmente. Estar sempre aqui é muito diferente de morar aqui. A cidade é uma graça, bem cuidada, porém… Ao final do texto, quero que me digam, onde está o glamour?

Bom, para evitar problemas de interpretação, vou deixar claro dois pontos: primeiro, não odeio o frio, o que odeio é MORAR num lugar frio; segundo, estou falando da minha experiência em Petrópolis, portanto, pessoas que moram em outros lugares que também fazem frio podem não se identificar com a maioria das coisas que postarei aqui. Enfim, acho que já posso começar…

Coisas que descobri ao morar em Petrópolis:

Quem nunca teve rinite, sinusite, amigdalite e as demais “ites”, terá;

quem nunca sofreu de problemas respiratórios, sofrerá;

quem nunca deu valor ao sol, dará;

quem só conhece ar condicionado e nunca viu um aquecedor na vida, verá;

quem nunca achou tentador ficar debaixo das cobertas num sábado a noite, enquanto está tendo um show de sua banda preferida em frente a sua casa e que você não sabe quando, nem se ela voltará novamente, achará;

quem cozinha e nunca teve a surpresa de descobrir que seu gas estava congelado, terá;

quem nunca teve a experiência de pendurar a roupa no varal molhada e ao recolhê-la perceber que a água não tinha secado, mas se transformado em gelo, terá;

quem nunca sentiu as quatro estações do ano num dia só, sentirá;

quem nunca entendeu por que existem pessoas por aqui que, apesar de estar um sol de rachar, estão encapotadas até o pescoço, por causa do item anterior, entenderá;

quem não curte chá, café, caldos, sopas ou qualquer bebida/comida quente, curtirá;

quem nunca pensou que atos simples como lavar as mãos, o rosto ou um copo pudessem ser uma tortura, perceberá que tais coisas poderiam ter sido ser utilizadas pelos militares na época da ditadura, sim;

quem nunca entendeu como uma pessoa pode estar com aquela nhaca as 7:00h da manhã num ônibus lotado, a ponto de encomodar a todos com seu cheiro, entenderá (aqui eu sempre penso “coitado, seu chuveiro queimou” ou “sua roupa limpa que estava no varal não secou”);

quem já se desesperou porque chegou uma visita em casa e percebeu que não tinha água gelada na geladeira para oferecer, aqui não há essa preocupação, pois a água já vem gelada naturalmente do filtro;

aqui não importa se sua pele é oleosa,  ela sempre estará ressecada e, seus lábios, rachados;

aqui não importa se você está indo a uma festa chique, se o frio resolver baixar no meio do caminho, você se enfia naquele casaco laranja fluorescente com listras verdes infinitamente maior que você, cedido gentilmente por seu amigo e fica feliz da vida;

quando você procurar Petrópolis em tempo real via satélite, é provavel que encontre tudo branco, por causa da frequente neblina que assola a cidade;

se você tem algum lugar especial para ir, trate de preparar sua roupa com semanas de antecedência, pois com certeza ela está literalmente mofada e você precisará de bastante tempo para lavá-la e secá-la, depois disso, não poderá guardá-la novamente, porque senão, no “dia D” ,você terá uma supresa: manchas esbranquiçadas e o cheiro insuportável já terão se instalado nela novamente (aqui, apenas as roupas que você usa todos os dias não mofam);

tudo o que você lava, pode demorar semanas para secar e, no final, estará com cheiro de cachorro molhado. Então, trate de comprar um secador de roupas se não quiser ficar esperando inutilmente o próximo dia de sol, que nunca chegará;

seu corpo fica todo duro e um simples alongamento pode fazer com que você se sinta como uma jovem senhora de 70 anos;

as belas cachoeiras e as piscinas daqui foram feitas apenas para serem olhadas;

quando um feriado cai numa quinta-feira com direito a emendar a sexta, significando que terá quatro dias para fazer o que quiser, depois de tanto pensar, perceberá que não existe ideia melhor do que passar todos esses dias jogado num sofá, de meias, luva e touca, levantando apenas para comer e ir ao banheiro. Para falar a verdade, dará graças a Deus por não ter que enfrentar aquela ventania e chuvarada para ir a qualquer lugar que seja, a não ser que seja um bem longe daqui, onde exista sol, muito sol;

aqui você está sempre mais gordo, seja pelo excesso de comida, seja pelo excesso de roupa que se usa.

Ponto positivo: você pode colocar sua maquiagem tranquilamente. Aqui, você não corre o risco de suar e melecar a cara toda.

Pois é, passar uns diazinhos por aqui e falar que ama tempo frio é mole! Quero ver morar e sobreviver!

About these ads

378 comentários em “Por que eu odeio morar num lugar frio

  1. Desculpe, mas ri. E ALTO.
    Estava aqui, numa madrugada quente pacas, típica de Fortaleza, quando recebo via feed esse post (sim… Sou assinante, claro).
    Sério. HOJE TÁ QUENTE! Sem vento, insuportável. E meu ar-condicionado, comprado em 600 prestações nas Casas Bahia (mentira… Foi no submarino e em 4 prestações) AINDA não chegou.
    E ri. Uma risada com uma pontada de inveja, claro. Mas que me fez lembrar de uma historinha que aconteceu comigo na última vez que estive em Petrópolis… Ainda no século passado.
    Eu cheguei em Petrópolis à noite. Casa da irmã de um amigo. Ela, desesperada, me diz que o aquecedor do banheiro estava quebrado e que iria AQUECER água pra que eu tomasse banho. Como cearense que sou, achei aquilo uma tremenda frescura. Disse que não precisava.
    Bem… A SORTE foi que eu deixei a porta do banheiro só encostada, pois quando a água caiu no meu corpo eu dei um grito que acordou Santos Dumont. E meu amigo entrou no banheiro e jogou a água quente em mim… Fiquei com os lábios azuis, o escambau. QUASE que eu fui conhecer o Pais dos Pés Juntos.
    Definitivamente: Melhor continuar aqui e esperar meu ar-con… E rir das coisas da minha amiga Carol. Ainda que seja um riso com um quê de inveja.
    Xerão.

    • Hahahaha! Pois é! Muita coisa daqui eu achava que era frescura mesmo! Antes de morar aqui, sempre pensava: pra que torneiras elétricas só para lavar as mãos?? Nossa! Não fazia ideia de como isso faz falta! Fique com inveja daqui, que estou morrendo de inveja daí! Sabe aquela tristeza de acordar e saber que TEM que mudar de roupa pra sair?? Antes de dormir, de vez em quando temos que passar o lençol para ficar quentinho e deitar logo nele antes que esfrie, hehe! Na verdade, os dois extremos são ruins… Só que hoje eu to aqui toda encapotada e com os dedos duros, nariz gelado, pés dentro de uma bota, mas que parece estarem descalços! Minha mãe tá aqui fazendo um bolo de fubá (parte boa). Se eu pudesse ficar o dia todo deitada e enrolada num cobertor, beleza, mas logo mais terei que sair e a vontade é zero, rs.
      Beijos!!

      • Nicolae disse:

        Caroline, nunca ouvi falar que o gás congelava aí em Petrópolis?? Isso acontece mesmo? Qual é a temperatura mais baixa que dá no inverno de Petrópolis?

      • Olá, Nicolae! Já vi o gás congelando aqui sim! E no inverno às vezes chega a 0°, mas na maioria das vezes fica entre 7° e 13°, sendo que à noite a temperatura sempre cai. Mas vale lembrar que a sensação térmica é sempre mais baixa do que os termômetros registram!

        Abraços e Feliz 2013!!

  2. Aline disse:

    Hhahahhahahaahahhahahaha… Carol destruindo os sonhos de quem queria morar em Petrópolis!!!

    Olha, eu já trabalhei com pessoas que moram em Petrópolis e os relatos são os mesmos! É impressionante! Deve ser um frio do carValho aí… hahahhahahha….

    Eu sou TOTALMENTE sensível a frio. Tenho passado mal de frio esses dias aqui no Rio. Imagina eu morando em Petrópolis. Ia dormir num dia na minha cama e acordar no dia seguinte ao lado do Pai! Ia morrer de frio durante a noite! Deus me livre!!!

    Só gosto de frio quando… quando… er… gosto de frio quando… perae… quando…

    … É! Não tem dia! Eu não goto de frio!!!

    • Hahahahahahaha! Carioca no frio é o caos! Sabe aquela “variedade” de blusinhas que a gente usa pra ir a faculdade? Pois é, aqui, meu casaco ja está andando sozinho… Não faz sentido ter uma variedade de casacos pesados (tem que ser casaco pesado mesmo), já que os mesmos não cabem no guarda-roupas. Hoje deu mínima de 8° e máxima de 15°. Isso porque o inverno ainda não chegou! Sem falar na chuva. Não é à toa que Petrópolis é carinhosamente apilidada de Chuvópolis.

      • Michelle Clementi disse:

        Olá Carol, sou de Cuiabá MT, e entrei pq aqui em CBA, tá quente pra besteira..ou melhor, sempre está quente,insportávelmente quente!!!! E mesmo vc apontando todas as desvantagens sob seu ponto de vista sobre o frio…num sei não,mas Cuiabá nao é uma boa pedida…É tão quente que costumamos brincar que o inferno é aqui…apesar de não sofrermos com tempestades,alagamentos,tremores, té porque qdo chega aqui essas coisas da natureza cansam e não tem motivação pra continuar, ficar em casa ou sair, já é um sacrificio…Eu ainda gostaria de morar em lugar meio frio,num precisa ser aquele que tem neve sempre, mas pelo menos pra eu num reclamar tanto do calor, num suar tanto, poder maquiar, usar hidratante, perfume,ficar com o cabelo solto,usar outra roupa que nao seje saia ou vestido, ou calça pois se usarmos outras peças podemos ter queimaduras do sol…é Cuiabá é para os fortes, ou aqueles como eu que ainda nao conseguiram sair daqui …kkkkkk

      • Hahahhahaa… Michelle Clementi, eu visitei Cuiabá em agosto de 2012 e a sensação que tive assim que pisei aí é de que eu iria morrer! E olha que eu cheguei à noite, hein! Parecia que eu respirava e o ar não entrava, hahaha! Demorei pra me convencer de que eu estava respirando! Realmente a cidade aí é para os fortes, muito quente, abafado! Mas Mato Grosso tem sua beleza! Fiquei encantada com Nobres, Pantanal e a Chapada dos Guimarães (que é bem mais fresquinha!).

        Beijos e Feliz 2013 pra você!

  3. Claudia disse:

    Não me lembro de rir tanto!!! `Não conheço petropolis, só de fotos….me parece um lugar muito bonito…Mas pelo jeito não é o lugar ideal pra você. Moro em niteroi, e reclamo muito dos 6 meses de verão intenso, é um calor insuportavél!!!
    Nota 10 pro seu bom humor!!!!

    • Olá!! Obrigada por passar por aqui, ler e comentar, fico feliz por isso! Bom, minha nova cidade é um lugar muito bonito, sim! Vir em Petrópolis várias vezes já era rotina minha por causa do trabalho e tal, mas não sentia tanto porque estava sempre no Rio também. E sempre reclamei muito do calor do Rio porque me deixava irritada! Agora… morar aqui? Em vez de irritada, estou preguiçosa! Vontade de dormir o dia todo, rs!
      Mas quando puder, venha a Petrópolis! É uma cidade muito gostosa, tirando o frio (que é suportável quando não se vive aqui, rs)!
      E que bom que gostou do texto!
      Beijos!

  4. D.Pedro II disse:

    “A cidade é uma graça, bem cuidada…”. Tem certeza de que vc está morando aqui?!?!?!?!
    Petrópolis pode ser linda pra quem é turista e passa poucas horas aqui. Agora, bem cuidada (!!!) vc só pode estar de sacanagem!!! Petrópolis está um lixo, tudo está destruído. Com uma olhada mais atenta não é difícil perceber isso. Tadinha de vc que veio pra cá… Sinto muito mesmo…
    Vc que veio do Rio acabou trocando bosta por merda. O Estado do Rio inteiro está acabado. E aproveito o espaço pra incentivar a campanha: NÃO FAÇA TURISMO EM PETRÓPOLIS!!! É PERDER TEMPO E DINHEIRO. QUEM QUISER CONHECER VERDADEIRAS CIDADES IMPERIAIS, QUE VÁ PARA A EUROPA! AÍ SIM VCS VÃO PERCEBER A GRANDE FARSA QUE É PETRÓPOLIS!!!

    • Pois é, falei do ponto de vista de quem foi nascida e criada no lixo que se tornou o Rio de Janeiro, cidade imunda, esburacada, favelada, pixada, abandonada, que fede. Sério, quando desço a serra, fico imaginando como podem ter deixado uma cidade tão linda chegar a esse ponto… Triste!
      Também sei que Petrópolis já foi melhor cuidada, assim como o Rio, mas ainda não dá para colocar as duas cidades em pé de igualdade!
      Obrigada por sua opinião!

    • Ainveja disse:

      kkkkkkkkkkkkkk bota farsa nisso Odiei Petrópolis carérrima e suja!!!!!!!!!!!

    • Herika disse:

      Concordo com D. Pedro II! Petrópolis tem uma natureza linda, mas a cidade…, principalmente nos bairros distantes, é lixo jogado na rua e os ratos andando numa boa, muito buraco, o rio que corta a cidade nem se fala, todo sujo e fedido, e o transporte público, que é horrível. Para os turistas a cidade é linda, lógico quando só se conhece o centro e Itaipava é maravilhoso. “Petrópolis é cidade para Inglês ver”.
      Como disse Caroline, passar as férias é fácil, quero ver morar.

  5. Carlota Joaquina disse:

    A coisa que mais me irrita no Rio: o eterno estado de “oba-oba” que os cariocas vivem que impede a auto-crítica da própria população perante a situação caótica da cidade.

    A coisa que mais me irrita em Petrópolis: o eterno estigma de “cidade imperial” que impede o desenvolvimento da cidade.

    • Opaaaaaaa!! Fico feliz em ver a Família Imperial por aqui! Primeiro nosso ex-Imperador D. Pedro II e agora a digníssima Carlota Joaquina! Sinto-me honrada!
      Obrigada por participar!

  6. Paraquedista disse:

    O frio de Petropolis tem vida propria, e ele gosta de sacanear as pessoas.
    Vc pode acordar com aquele solzão e clima agradável. Sai de casa de camiseta pra tomar um cerveja com os amigos. Lá pra 3ª cerveja, ele vem chegando… chegando. Começa com um amedrontador nevoeiro. Depois a garganta ja começa a doer, o nariz fica escorrendo. Nessa hora vc ja esta desesperado, pensando “caralho, mas estava um sol de rachar! Como pode?”.
    Pra viver aqui tem ter muuuuuuito saco, muito saco mesmo…

  7. INVEJA! Somente sinto inveja…
    Enquanto tens as ilustres presenças de D.Pedro II e Carlota Joaquina…

    No meu aumildi blog nem Lampião nem Maria Bonita comentaram ainda…
    Nada não… Nada não…

    Hoje fez frio, aqui em Fortaleza. Os termômetros indicaram 30º. Parece que foi uma massa de ar frio que veio do Piaui… Não sei. Mas dormirei de edredom, hoje… :)

    Gde beijo.

    • Pois é! Tá vendo? Eu nem esperava por essas presenças por aqui! Hahahahahaha! O que o mundo da internet não faz, hein!
      E não me lembro de quando foi a última vez que vi um termômetro marcando 30°! E eu que estava tão acostumada a vê-los chegando a 35°! Hoje aqui tá 15°, nublado e chovendo…. como sempre.
      Meu chuveiro queimou de manhã e fui obrigada a tomar banho frio. Tinha a opção de ir pro outro banheiro, mas fiquei com preguiça. Conclusão: estou com aquela sensação de que hoje, nada é impossível para mim!
      Beijos!

    • Eloo disse:

      Frio??? 30 graus e vai dormir de edredom??? Queria ver tu aqui no oeste de SC, mas nem precisa ser no inverno pode ser no outono só…

  8. Boneco de Neve disse:

    Petropolis nao é o lugar mais frio do Brasil. Se vc fosse pra Sao Joaquim ou Campos do Jordao, aí vc iria sentir o que é o verdadeiro frio de matar.
    Petropolis perto dessas cidades que eu falei é quente demais, hahahahaha.

  9. D. João VI disse:

    Brasil é uma latrina. Terra boa mesmo é Portugal.

    Ora pois! Não sabia que minha esposa Carlota Joaquina também usava internet.

  10. Bozo disse:

    hahuahuahuahuaa, vamos combinar tb que viver o ano todo com calor de 30º é uma grande merda! uhahuauhahuauhahua

    DÁ UMA BITOCA NO MEU NARIZ!!

  11. Aline disse:

    Acho que todas essas celebridades presentes no blog são a mesma pessoa! A mesma figura… meio insistente!!! hihihihihihihi

    • Hahahaha! Pois é, Aline! Alguém por aqui também não está satisfeito com as condições da cidade de Petrópolis! Mas é cada figura que aparece nos blogs da vida, rs!

      • Aline disse:

        Ôh… eu nem te conto!!!
        Eu passo cada uma no meu que vou te contar!
        Semana passada mesmo eu tive um “figura” desses lá, não sei se você viu! No post que falava dos motoristas de ônibus…
        Falei pra Déborah, tudo tem seu lado bom e não tão bom… o blog não podia ser diferente! hahahahahha

      • Hahahaha!!! Vi sim! Todo insistente o cara! Ele deve ser motorista ou filho de um, rs! Ficou muito bravo, hahahaha!

  12. daporra disse:

    e aí, fera?
    sofrendo muito com essa nova frente fria?

  13. Yra doce disse:

    Olá ,não gostei do seu texto…calma…explico.

    Estou procurando um lugar frio para morar.

    Frio,pequeno,bonito e limpo.

    E quando penso que Petrópolis seria o ‘legal’

    vc. acabou com minhas ilusões.

    Então…depois do texto,gostei das respostas inteligentes

    e bem humoradas,mas ainda não querendo acreditar

    totalmente,pergunto:

    E no verão tb. faz frio?

    Aguardo sua resposta.

    Abraços.

    Yra doce.

    • Poxa! Nunca imaginei que esse texto fosse dar tanto o que falar, rs!

      Mas olha só, em Petrópolis existem bairros bem frios e outros mais quentes! O lugar onde moro é um dos mais frios daqui. Quando vier procurar uma casa, procure uma em que bata sol (a minha não bate), porque aqui tudo mofa muito fácil.

      E esses dias têm feito sol por aqui, mas dias frios sempre aparecem. Aqui também aparece ocasionalmente um calor insuportável, sendo que à noite é semrpe fresquinho. Dezembro e janeiro costumam ser quentes, porém, já usei botas e roupas de lã no natal, rs. Ou seja, o clima é muito imprevisível. Mas não deixa de ser uma cidade gostosa. E por aqui também chove bastante, é sempre válido ter guarda-chuva em mãos, ainda que de manhã esteja aquele céu limpinho (o tempo vira muito rápido).

      Bom, se está procurando um lugar “frio,pequeno,bonito e limpo”, creio que gostará de Petrópolis, mas todas essas coisas que listei no texto acontecem, sim: gas congelando, roupas que não secam, tortura ao lavar as mãos, mofo nas roupas e na casa, frequente neblina que aqui chamamos de “ruço”. Ainda assim, gosto muito da cidade. E quando o frio aperta, é só dar uma corridinha até o Rio, rs.

      Se tiver mais alguma dúvida, estarei aqui pra responder!

      Abraço!

  14. Estraga-Prazer disse:

    Cara Yra Doce,
    Petrópolis é fria sim. Mas não é bonita, pequena e limpa. A falta de respeito dos petropolitanos acabou com a beleza da cidade. Os engarrafamentos fazem vc sentir que a cidade é grande. E quanto a limpeza, hahaha. Só rindo muito disso. Petrópolis é uma das cidades mais sujas que eu já vi.
    Concluindo: para o seu próprio bem, é melhor vc começar a acreditar totalmente que Petrópolis é uma mentira, ou seja, escolha outro lugar “frio,pequeno,bonito e limpo” para morar.

  15. Daniel disse:

    Oi!! Tava lendo o seu post e gostei bastante! Gostaria de uma ajuda sua. Moro no Rio, mas tenho uma vontade enorme de morar em Petrópolis, porém teria que continuar trabalhando no RJ de 2ª a 4ª. Vc conhece alguém que more aí e continua trabalhando no RJ e que não reclame? Gostaria de uma opinião sua, pode ser?

    bjs!

    • Olá! Fico feliz que tenha gostado do blog! Quanto a morar em Petrópolis e trabalhar no Rio, já fiz isso e não sentia “tanta diferença” como sinto estando aqui direto. Quanto a outros fatores, a distância Petrópolis/Rio é pequena, porém, o problema é que a viagem é cara. As passagens de ônibus variam aproximadamente entre R$10,00 (até Caxias) e R$16,00. Se tiver carro, o pedágio custa R$7,50 (por enquanto!). Tem que pesar tudo na balança pra ver se vale à pena. Quanto a tranquilidade, ainda é melhor que o Rio.
      Espero ter ajudado! Se quiser tirar mais alguma dúvida, fique à vontade!

      Beijos!

  16. marcio disse:

    meu nome e marcio e eu estou todo final de semana en petropolis , minha namorada mora en petropolis eua doro aquela cidade é limpa o pessoal muito educado bem vestido eu amo aquela cidade vou me casar e pretendo morar lá , pois e muito lindo tudo varios pontos turisticos logico que ten aquele frio mais antes era mais agora ta gostoso e bom pra namorar ficar en casa as vezes namorando debaixo do coberto ver um filme comendo uma pipoca show de bola eu tenhu fé que vo morar lá aki no rio é um infernooooooooo violencia um calor que não dá nen pra ficar pelado horrorozooooooo rio de janeiro cidade desesperoooooo bem fui me indo já adoro petropolis odeio o rio de janeiro

    • Hehe… Bom, se tudo o que eu tivesse pra fazer em Petrópolis fosse namorar debaixo de um cobertor e ver um filme comendo pipoca, eu estaria feliz da vida! Só que às 6:00h da manhã o calor do Rio me tira da cama, enquanto o frio de Petrópolis não me deixa levantar! Aí que está o ponto “X”, rs! E fico feliz que tenha gostado do blog!

      Abraço!

  17. marcio disse:

    eu gostil do blog !

  18. Aedes aegypti disse:

    Temos que lembrar tb que em Petrópolis praticamente nao existe dengue. Essa é uma das vantagens do frio e da altitude de cidade.

  19. tetê disse:

    olá Caroline ! Sou perdidamente apaixonada
    por Petrópolis e quero morar aí!!! Por favor, se vc puder dar algumas dicas de ruas bonitas e lugares legais para se comprar um imóvel…

    sucesso e obrigada!

    • Maria disse:

      Eu tambem estou nessa….se souber de alguma casa bonita, bem localizada e com preço otimo….me avise…de preferencia que dê para fazer um negocio,uma lojinha, coisa e tal….e longe de favelas…..com um bom acessos sem asfalto….escorregadios…

      • Oi, Maria. Bem, posso te mandar por email o link de algumas imobiliárias daqui. Daí você pode ter uma ideia dos preços de imóveis daqui. Quanto a áreas de desmoronamento e de favelas, creio que só você vindo aqui mesmo pra conhecer, até porque existem diversos bairros bons, mas que têm favelas por perto (como na cidade do Rio), áreas de risco etc. Quanto a montar um comércio, é aquele negócio: “sondar o terreno” e ver que tipo de loja não faliria, né? Petrópolis é esquisita! Loja de roupa vive falindo na Rua Teresa… Mas enfim, o negócio é planejar direitinho.

        Beijos!

  20. Olá, Tetê! Seja bem-vinda!
    Petrópolis se tornou uma cidade cara, porém se você não se importar com isso, o bairro Quitandinha é um lugar muito bonito pra se morar! É o que mais gosto, pois fica perto da entrada da cidade e do cartão postal! Uma dica (se você não estiver com pressa) é comprar imóveis na planta, pois os preços são mais baixos! Tem alguns deles vendendo por aqui! Itaipava também é um lugar muito bom, bem mais caro, menos frio e muito valorizado! O ideal seria você marcar com uma imobiliária e dar um pulinho por aqui pra conhecer os imóveis, inclusive os que estão na planta!
    Espero ter ajudado!
    Qualquer coisa é só perguntar!
    Obrigada pela visita e boa sorte!

  21. Talise disse:

    Que legal!!!!
    Sou d São Joaquim e é bem assim, só que o dobro, o triplo mais frio!!!
    Show de bola suas observações!

  22. Talise disse:

    Obrigada!!!
    Fico esperando a visita!hehehehe!
    Valeu!!!

  23. Talise disse:

    Hehehehehe!!!
    Eu não tenho blog!!!!!
    Eu quis dizer q ficava esperando a visita em São Joaquim!!!
    Bjão!

    • Hahahaha! Agora entendi!
      Há pouco tempo dei um pulinho em SC, mas não passei por São Joaquim! Deve ser um lugar muito bonito, como muitos por aí! Quem sabe um dia eu não conheça essa cidade? (Exceto no verão, claro! No verão só saio daqui se for pro nordeste, hahahaha!)
      Ah, também deixo o convite para você vir visitar Petrópolis! :)

      Beijos!

  24. Anderson de Souzaraújo disse:

    Carol, to dando risadas do seu comentário aqui e sentindo saudades de tudo isto. Quando morava em Petrópolis ( sou nascido e criado aí), achava tudo ruim, o frio, aquela chuvinha chata de uma semana, o marasmo do domingo a noite, mas quando saí, aí o bicho pegou. Percorri algumas cidades, e hoje estou em Campo Grande-MS, um calor do carValho e sinto falta desta terra.
    Cara, eu quando morava na serra, não prestava atenção no meio entorno, mas quando saí e pude voltar para visitar parentes e amigos, o quanto a cidade é bonita. Aquele verde da serra não existe!!!! Lembro das minhas sextas feira tomando uns chopes no D”angelo com os amigos, da farra que era bacana e terminava no Marowil da Praça da Liberdade. Lendo seus relatos, revivi toda a minha vida em Petrópolis, do frio de 5 graus no inverno e ter que sair às 05:30h para trabalhar, da cerveja gelada no baúzinho do Alto da Serra numa tarde de sábado com temperatura de 26 graus e derrepente descia aquela névoa ( nosso russo) e você não enxergava nada.
    Infelizmente a minha serra se transformou pequena para os meus objetivos, mas espero um dia voltar a morar nesta queria chuvópolis, e tomar os velhos chopes com os amigos encostados na porta do D”angelo ( claro que a de acesso a Praça Dom Pedro) . Abraços e Ótimo Blog!!!!!!

    • Olá, Anderson! Muito obrigada por comentar!
      Bem, que a cidade é linda, isso é! E sua beleza, pra mim, fica ainda mais evidente quando retorno das viagens que faço. O encanto começa na subida da serra e, como você disse, aquele verde não existe. Quando chego na cidade, eu penso: “nossa, como Petrópolis é bonita!”. E tenho que confessar que o frio dá, sim, um charme à cidade, masssssss… me causa diversos transtornos, como os que citei no post.
      Mesmo assim, acho que seja só uma questão de adaptação mesmo, hehe! Ainda sinto muita falta daquele solzin do Rio.
      Espero que você consiga voltar pra Chuvópolis (a propósito, choveu granizo hoje, rs!).
      Abraço!

  25. ADilson disse:

    Oi Caroline, tudo bom…? Olha, estes comentários estão sendo muito uteis para mim que pretendo morar aí em breve.
    Você poderia comentar mais sobre “locais para morar” como apartamentos e etc no centro. É uma boa opção? Qual custo médio?
    Muito Obrigado

    • Olá, Adilson! Os imóveis em Petrópolis cotumam ser um pouco mais caros que os do Rio, tanto em questão de aluguel, quanto no caso da compra. O que você mais deve ter cuidado é que alguns imóveis (inclusive prédios) estão em áreas de risco e as pessoas alugam/vendem mesmo assim. Há também alguns bairros mais perigosos e outros em que há dificuldade de acesso (ou horário) de ônibus. No caso de morar no centro, não conheço ninguém que more por lá, mas me parece ser uma boa opção. Vou te mandar por email o site da imobiliária que mais aluga imóveis em Petrópolis, aí você pode ter uma ideia melhor, inclusive dos valores.

      Abraço!

      • Maria disse:

        Me passe tambem, se puder….e os bairros sem risco de desmoronamento, enchentes…mas não acho Petropolis mais cara que o Rio……o Rio é muito mais caro….

  26. Aline Pacheco disse:

    Carol, acho que esse é o post mais popular do seu blog! ahahahahhahah Vi o comentário do carinha aí em cima na lista de recentes e agora que vi como teve comentário! Eu nem tinha visto!!! Reli o texto e realmente você mandou muito bem… acho que eu não saberia descrever o Rio tão bem quanto você descreveu Petrópolis.

    Fui para Friburgo e jurei nunca mais voltar por causa do frio. Estou quase riscando Petrópolis também… hahahahahaha

    • Hahahaha! Deu mesmo o que falar, rs!
      Mas essa época Petrópolis é uma beleza! Por incrível que pareça até fui à piscina, hahaha! Acho que você não vai se arrepender de conhecer Petrópolis! Principalmente na época de liquidação da Rua Teresa, haha!

      • Aline Pacheco disse:

        Opaaaaaaaaaaaaaa…. LIQUIDAÇÃO? Gostei dessa palavra! Não sei pq… fez bem aos meus ouvidos!!! *risos*

      • Hahahahha! Sabiaaaaaaaaaaaaaa!!!

      • Ilana Menezes disse:

        Oi Carol, tudo bem?

        Li seu post junto com meu esposo e demos altas risadas. Somos pernambucanos e pra gente 28º já é um frio de lascar rsrsrsrs. Estamos no Rio há pouco mais de 1 mês mas o calor daqui é pior do que o de nossa terra… Estamos indo conhecer Petrópolis pois nos disseram que era um lugar lindo pra conhecer e agradável pra morar. Bom, primeiro vamos conhecer, gostaria de saber qual a época boa de comprar roupa de inverno a um bom preço pois como viemos de um lugar sem frio precisamos nos preparar ..

        Bjim

      • Opaaaaaaa!!! Pernambuco é bom demaisssss!!! Bem, aqui as roupas ficam mais baratas um pouco antes de mudar a estação. Por exemplo, vamos entrar no outono, então a Rua Teresa está queimando as roupas de primavera/verão pra começarem a coleção de outono/inverno. Teoricamente, as roupas de frio só vão ficar baratas lá pro final de estação mesmo, porém, de vez em quando nesse meio tempo eles lançam promoção sim. Só agora nesse comecinho da coleção é que elas costumas ser um pouquinho mais caras, mesmo assim, ainda acho que são mais baratas do que em outros lugares do Rio de Janeiro.

        Beijos e boa sorte, Ilana! Espero que goste daqui! E se tiver alguma dúvida, pode perguntar, viu?

  27. Jéssica disse:

    Podes dar uma dica?

    Meu sonho é me mudar-me pra Petrópolis, justamente por conta do frio (Sem contar outros atrativos).

    Poderias dar dicas de bairros mais frios?

    Estou com uma outra dúvida também… Depois de toda esta tragédia na região serrana, fiquei um tanto medrosa com a mudança…

    Existem bairros seguros para se morar em Petrópolis??

    • Oi, Jéssica!
      Existem bairros mais seguros, sim (embora eu tenha minhas dúvidas, mas isso é o que dizem). Mesmo assim, em alguns bairros, ainda que seguros, existem os locais de risco.
      E é isso mesmo? Você quer bairros mais frios?? Isso significa mais umidade que consequentemente trará mais mofo, mais alergias, menos roupas secas, maior tortura ao se banhar/lavar louça ou qualquer atividade com água, maior preguiça ao se levantar de manhã. Se você está certa mesmo disso, alguns bairros frios daqui são Quitandinha, Moren e Alto da Serra. Quanto mais perto de Itaipava, menos frio vai ficando. E não se esqueça de perguntar se a casa que você vai alugar/comprar bate sol! Isso é importante, viu!
      Espero ter ajudado e se tiver mais alguma dúvida pode perguntar!

      Beijos!

  28. Adorei seu texto, moro no rio tbm. Mas em São Gonçalo.
    Amo calor, provavelmente eu iria morrer se morasse num lugar assim…
    Odeio frio!

    • Oi, Amanda! Obrigada por comentar!
      Dizem que no Rio tá fazendo frio hoje, mas é porque os cariocas não amanheceram aqui! O frio tá de rachar! Porém, confesso que estou me acostumando com o clima daqui. O ruim ainda são os problemas respiratórios, que me encomodam muito.

      Beijos!

  29. Bianca disse:

    Oi, Caroline! Puxa, que sorte achar seu blog!
    Vi que você é bastante simpática e paciente, então vou usar minha cara-de-pau para pedir sua orientação… :)

    Estou de mudança para Petrópolis daqui a alguns meses, e como vivo sozinha, uma das minhas preocupaçoes é encontrar um bairro que seja relativamente seguro (para chegar sozinha à noite, de carro ou a pé, por volta das 21h).

    Existe aí algum bairro assim, mais seguro? Ou em que haja “movimento” até mais tarde, em que eu possa por exemplo ir à padaria/lanchonete à pé à noite?

    Não tenho problema quanto ao frio (morei no exterior, em uma cidade com temperatura de -12!!!), mas já tive problemas com assaltos em algumas cidades brasileiras em que morei – inclusive assaltos ao prédio em que eu morava.

    Como está a questão da violência urbana na cidade, em geral? Você conhece algum bairro mais seguro?

    Muito obrigada!

    Abraços e parabéns pelo blog
    Bianca

    • Oi, Bianca! Obrigada por comentar!
      Vou enviar um email segunda-feria pra você com as informações que você pediu!

      Abraço!

      • Bianca disse:

        Muito obrigada, Caroline! :D

      • Bianca, enviei o email ontem, mas não sei se você recebeu. Se não, me avise que mando de novo.

        Beijos.

      • Maria disse:

        Oi, me passe tambem…tenho vontade de voltar a morar no Rio e estarei sozinha….sou carioca e estou no Sul desde 1981.O frio para mim não é problema…roupa que não seca, se compra secadora….e a casa deve ter uma boa orientação solar….uma vegetação menos densa que deixe o sol entrar…no aguardo das informações.

      • Fernandoi disse:

        Olá, Carol.

        Também estou pensando em morar no RJ e estava em dúvida entre Chuvópolis e a capital, comecei a ler seu blog e a primeira impressão que tive foi de que aí é horrível. Peguei o telefone e liguei pra minha esposa e disse:
        - Cancela a mudança! Vamos ficar na capital mesmo!!!
        Com mais calma, agora numa noite chuvosa no RS resolvi ler seu blog, que por sinal tem bastantes post. Adoooooorei, só tenho a dizer que a cidade pode ser linda ou insuportável de acordo com o ponto de vista e humor de cada um. Quero viver em Petrópolis e acho que serei bem recebido pelos nativos.
        Ah, tem algumas sugestões de imóveis para aluguel, pretendo morar no Valparaíso ou próximo da rua Imperatriz.

        Bjs

  30. Fer disse:

    Invejinha…mas vc nao sabe o que e frio! Moro na Dinamarca e agora se fizer 17 graus aqui fico super feliz. Como e duro viver 6 meses sem sol e com temperaturas entre -8 a 3 graus e um verao que tem a media entre 12 a 17 graus! Nem sei mais o que e sair na rua sem casaco!O invejinha! Para vc ter uma ideia aqui vende casaco de inverno e verao… Affff aqui que e frio nao Petropolis.
    (obs meu teclado nao tem acentuacao, desculpe meu portugues)

    • Olha, não consigo me imaginar num lugar assim. Tô começando a me achar sortuda, porque pelo menos em qualquer final de semana posso descer a serra e aproveitar o sol.
      Muito obrigada por comentar, Fer!

      Abraço!

  31. Rosa Lima disse:

    Oi, Caroline,
    Confesso que nunca fui de ler blogs, mas buscndo infos sobre como viver em Petropolis acabei encontrando este seu post e achei 10 a sua disposição pra responder a galera. O frio me preocupa, mas já morei fora e encarei com relativa tranquilidade – 20 graus (!) e ficar em casa direto. Bom, dito isso, na verdade minhas preocupações são mais parecidas com as da Bianca, sendo que sou casada e temos uma bebezinha de 3 meses. Sem querer abusar, gostaria de saber:

    - bairros que sejam relativamente seguros (como não temos carro, apreciamos muito bairros em que se pode fazer tudo a pé – mercado, onibus, farmacia, etc).
    Talvez bairros mais perto do centro ou no próprio centro…. Seria ótimo se vc pudesse mandar algum link de imobiliária.

    - ainda é possível morar em casa? Adorariamos parar de morar em apartamentos…

    - educação (essa pode ser mais complicado responder): ainda dá pra colocar filho em escola pública? E as pagas, são legais?

    Eu agradeceria muito se vc pudesse responder. Vejo que tem critério e fundamenta bem seus argumentos ;). Pretendemos ir morar aí no próximo ano, mas já agora em junho vamos passar uns dias pra já ir sondando e por isso seria legal já ter umas dicas de onde morar.

    Valeu!

    Abraços e parabéns pelo blog
    Bianca

    • Olá, Rosa (ou seria Bianca? No final você assinou com este nome)!

      Obrigada pela confiança e por comentar aqui! Estarei mandando as informações por e-mail, ok?

      Abraço!

      • Rosa Lima disse:

        Oi Caroline, foi um engano eu ter deixado Bianca. É que gostei das perguntas dela e quis me basear na mensagem dela para fazer a minha (o famoso ctrl C + Ctrl V rsrsrsr). Fico aguardando o seu retorno, sim. Devo ir no final de junho a Petropolis já dar uma sondada na cidade e por isso seria importante ter referências dos bairros com a nossa cara rsrs.
        Valeu! Rosa

      • Oi, Rosa! Sem problemas, rs!
        Desculpe a minha demora em mandar o e-mail! Segunda-feira sem falta envio pra você!

        Abraço!

      • Feito! Já enviei o e-mail! ;)

      • Marcy disse:

        Olá também pretendo morar em Petrópolis, acabei de vender meu ap aqui no Rio para comprar uma casa, gostaria de informações como: bairros mais seguros, próximo de comércios, tenho um filho de 6 anos mas tenho carro, aguardo seu e-mail.
        Adorei seu bom humor e seu blog é maravilhoso!!!

      • Oi, Marcy! Seja bem-vinda!
        Até segunda-feira enviarei as informações por e-mail, ok?

        Beijo!

  32. Olá Caroline! Fiquei interessada nas perguntas e respostas da Rosa, pois eu também estou pesquisando um lugar para morar em Petrópolis. Não aguento esse calor do Rio mas pelo que li vou sofrer com o frio também. O motivo de me mudar: meu namorado não gosta do calor daqui, se sente sufocado (e amou Petrópolis) e eu também ! Obrigada pela sua atenção..

  33. otton disse:

    Olá, muito bom o seu blog. Já morei no Alto da Serra e sei sobre aquele “russo” (neblina) e da rinite que me acompanha até hoje. Creio que Petrópolis seja um dos lugares do mundo onde mais se consome Rinossoro. Desabei pra Piabetá. Continuo perto mas aqui embaixo é mais quentinho. O caso é que as nossas técnicas de construção de residências não preservam energia. Bastaria que as casas tivessem revestimento térmico nas paredes (isopor ou mantas), forros, janelas duplas e evitássemos pisos frios. Seria menor o sofrimento pois a temperatura ficaria mais regular, ou menos pior…felicidades e bons espirros, rs,rs

    • Oi, Otton!
      Eu realmente achei um absurdo as casas daqui não serem preparadas para o clima de Petrópolis! Onde eu moro mesmo, o chão é frio! Achei um ABSURDO!! No mínimo deveria ser de madeira (penso que como aqui tudo mofa, carpete também mofaria)! Conclusão: muitas vezes lá fora tá até quentinho, mas dentro de casa tá uma geladeira só! Fui ao otorrino faz umas 2 semanas e ele disse que tenho rinite alérgica. Mas é claro! Quem em Petrópolis não tem?

      Abraço pra você e obrigada pelo comentário!

  34. Otton Cid disse:

    Olá novamente. Melhoras na sua rinite, temos algo em comum então. Mas isso que vc escreve é muito bom, tem uma fluência no relato que faz a gente gostar de ler o que vc escreve. Faz bem saber o que anda acontecendo com o outro, saber que não estamos sós; que tem gente por aí sentindo igual. Creio que seja este o grande poder contido na web. O conteúdo do seu cotidiano, as coisa que faz e sente são muito bem transmitidas pelas palavras. Um raro dom. Acabei assistindo um video seu no youtube onde vc canta com uma criança (Duda Little…?) muito tocante. Coisas do grande ser humano que vc parece ser. Tá vendo? Talvez vc não seja do tamanho que queria mas alcançou alturas que nunca imaginou. Sneeze again…

    • Olá! Muito obrigada por suas palavras de carinho! É muito bom saber que pessoas passam por aqui e ainda têm paciência para ler os posts antigos, como esse em que coloquei o vídeo com a Duda Little (que hoje já nem é tão little assim… as crianças crescem rápido, né?). E essa sua penúltima frase foi tudo! Realmente não sou quem eu queria ter sido, mas acabei sendo levada a caminhos que nunca nem ao menos imaginei que pudessem existir.

      Grande abraço!

  35. [...] de algum espião soviético ler as cinzas e descobrir meus segredos…Então, depois de ler aqui (coisa linda), achei que não seria má idéia fazer um blog; daria pra escrever pra caramba, saciando a sanha [...]

  36. Hilton Aumuller disse:

    Oi Carolina,
    estou também em vias de me mudar pra Petrólolis. Fui criado em Friburgo e não tenho problema com frio, mas umidade me dá muita alergia, e asma!
    No entanto, minha esposa é cearense, criada no Rio, mas nunca quis morar na região serrana.
    Gostei muito da sua dica sobre moradias com “acesso” ao sol.
    Vou trabalhar em Xerém, que é quente e sem boa infra estrutura para nossa filha de 5 anos. Daqui de Niterói(Região Oceânica) é muito longe.
    Seria possível voce me repassar as dicas dadas a Bianca ?
    Estou preocupado, não quero escolher um lugar “roubada” pra morar.
    Um grande abraço,
    Hilton.

  37. Rafaelly Maria disse:

    Oi, Carolina! tenho um passeio ao Museu imperial pra hoje, nunca fui a Petropolis. Estou indo de bota, legging e uma vestido xadres verde (tipo camisa comprida), tá ruim??? Aqui no Rj tá um calor danado, estou com vergonha de colocar a cara na rua assim srsrsrs

    • Olá, Rafaelly! Sua roupa está ótima! Hoje não está tão frio aqui, mas é sempre bom trazer um casaco, pois o clima muda muito! Ah, e às vezes do lado de fora não está frio, mas dentro dos lugares está. Hoje mesmo estou no trabalho, usando bota e casaco, mas do lado de fora o clima parece estar mais quentinho. Enfim, aqui em Petrópolis é um “tira e põe” roupa o tempo todo, rs!

      Boa sorte! Espero que não sinta frio e que curta bastante o passeio!

      Beijão!

  38. Rafaelly Maria disse:

    Obrigada!
    Estamos saindo daqui ao 12:00 e agora as 10:20 o sol já está bem quente, ao sair na rua vou ser taxada de louca kkkkkkkkkkk, espero que ônibus do pré vestibular tenha ar ocndicionado…

  39. otton disse:

    Olá…Estas dicas de bons bairros pra se morar em Petrópolis que vc tá fornecendo aí pra galera (vai acabar virando corretora), poderia passar pra mim também? Quem sabe a gente não cria um kibutz por aí, uma comuna… só para os seus fãs. Mas é sério mesmo, pode mandar as informations, please.

  40. Verinha disse:

    Oi Carol, acabei de encontrar seu blog. Sei exatamente o que passa, tb sou do RJ e estuu aqui há 5 anos, por opção mesmo. Desde o dia 07 de setembro estou com um resfriado que não passa, mesmo com todos os remédios, tirei até um RX, mas já esse tempo todo aqui sei que uma vacilada de esquecer um casaco no final da tarde, pronto, é ficar mal. Quando cheguei aqui em 2006, fui morar no bairro Quitandinha e quase morri, fiquei toda cheia de alergia e era impossivel dormir no quarto, que apelidei de quarto freezer, dormia no chão em outro quarto que tinha feito de biblioteca (uns mil livros) era isolante, rs. Agora moro no Centro e acho o melhor bairro para se morar, principalmente para quem mora sozinha, pois tem tudo ao alcance das mãos e o frio é bem suportável. Mas tenho colegas que moram a partir do bairro Quissamã para Itaipava que são bairros bem mais quentes. Fui criada em Bangu, agora vc vê o que passo aqui, quando desço para minhã mãe pego calor de 40 e quando retorno está sempre frio, acho que ficarei resfriada para sempre, rs. Nesse post vc descreveu Petropolis exatamente como é, sou carioca e concordo com cada palavra, ponto e virgula. A cidade é linda, limpa, simpática demais, mas penso a partir do proximo ano alternar com idas e vindas ao RJ com maior frequência, pois ficar a base de amoxilina, cansei. Bjusss

    • Oi, Verinha! É uma pena eu não poder curtir seu comentário como no Facebook! Pois eu moro no Quitandinha e não durmo no meu quarto também, haha! Meu quarto é apelidado “o quarto do mofo”. Acordava sempre com sinusite quando dormia nele, daí passei a dormir no sofá da sala e depois acabei indo pro quarto que era reservado para as visitas.

      Muito obrigada por comentar!

      Beijão!

      • Verinha disse:

        Ah Carol, obrigada por responder e mais um feriado trancada em casa, rs viu que tempo? faz sol (fake) e depois vai embora, fica assim até fazer aquele tempinho de russo. Bom feriado pra ti. Bj.

      • Ah, Verinha! É o que eu sempre digo: “Quem disse que o sol nasceu pra todos não conheceu Petrópolis”.

        Beijo!

      • Vera disse:

        Estou no RJ, no aniversário de minha mãe, mas já volto hj de manhã, o sol está lindo aqui, calor bom nessa manhã, vamos ver quando eu chegar em Petropolis. Tenha uma ótima semana. Bj

      • Hahaha! Também estou no Rio! Tô enrolando pra voltar pra Petrópolis!
        O sol aqui tá é muito gostoso mesmo! Tô aproveitando pra respirar melhor e lavar algumas roupas!

        Beijo e boa semana pra você também!

  41. Nick disse:

    Oie!

    Amei seu blog, gostaria de saber se vc conhece alguma imobiliária que vende casas mais sofisticadas (estilo europeu por exemplo) por aí…vou me mudar para Petrópolis em meados de 2012 e estou super ansiosa! Será que vc poderia me ajudar? Visitei a cidade em 2009 e fiquei “in love”(amei aquele hotel Quitandinha, acho que o nome é esse rsrs)…e quanto as áreas de risco, vc sabe me dizer quais são elas? Aguardo ansiosamente sua resposta, please!

    Parabéns pelo seu blog e melhoras para sua rinite alérgica

    Bjuxx.

    • Oi, Nick!! Seja bem-vinda!
      Sabia que o hotel quitandinha hoje é um prédio residencial? Os apartamentos são pequenos, pois são do tamanho de quartos de hotel, porém, existem uns maiores. Já que você gostou tanto, poderia tentar um apartamento por lá, mas acho mesmo que seu interesse é morar numa casa, né? Vou mandar um email pra você com as informações que mandei pras outras pessoas.

      Um beijo e muito obrigada por comentar!

  42. Nick disse:

    Obrigada pelas informações que vc me passou, são muito úteis! Essa do quitandinha eu não sabia…! Vou verificar isso…
    Valeu mesmo!
    Bjuxx

  43. Vera disse:

    Oi Carol, estou no RJ de novo, aproveitando o feriado e trouxe uma bolsa enorme de roupas para lavar. Vc sabe que pedi uma pessoa para arrumar meu quarto em Petropolis, na semana de outubro que estive aqui, ela colocou trocentas pedras de naftalina e com isso fiquei doente, pois respirei isso, já gastei rios de dinheiro com médicos e lavando 50% na lavanderia, mas não tinha mais como gastar, ai trouxe todas as roupas de verão para lavar aqui, um prejuizo sem igual, o sol está firme aqui e sei que em Petropolis o frio impera, assim ia voltar amanhã, mas estou transferindo para segunda-feira. Eu gosto muito de Petropolis, mas de vez em quando preciso dar realmente um tempo. No feriado de novembro retorno e depois pretendo ir para a Irlanda, afinal já fiz meu estágio em Petropolis, acho que vou suportar, rs. Se bem que li sobre Malta e vou me interar mais um pouco sobre seu clima mediterraneo. No mais boa semana. Bj

    • Ahhhhhhhh!!! Final de semana ou pro Rio! Infelizmente o tempo passa voando e logo estarei em Petrópolis novamente. Hoje tá um frio de doer por aqui! Meu pé não esquenta de jeito nenhum!
      Estive em Bariloche essa semana e não estava tão frio, embora ainda tenha neve no topo das montanhas. Os casacos eram úteis à noite, mas de manhã nem faziam falta.Tô chegando à conclusão de que Petrópolis é o lugar mais frio das Américas, hahaha!
      Mas aqui, você vai morar na Irlanda?? :O

      Beijo!

      • Verinha disse:

        Oi Carol. Agora estou de volta à Petropolis. Tive que voltar porque não suportei o calor do RJ dessa semana passada, incrivel neh? rs
        Pretendo morar na Irlanda sim, em breve. Acho que fiz meu estágio aqui. Fiquei mal 40 dias doente de resfriado e agora temerosa pois nunca tinha acontecido, estou mais experiente, rs. Parabens pela viagem à Bariloche, muito legal. Hoje o tempo por aqui está péssimo, mas no momento estou até curtindo quando comparo com o calor que senti em Bangu. Tb acho que sou louca, saio daqui e vou passar 2 semanas no bairro mais quente do RJ. Bj

      • Poxa!! Experiência nova em outro país! Que legal! Espero que goste! Tenho a teoria de que quem consegue sobreviver a Petrópolis sobrevive em qualquer lugar frio, haha!
        Mas que extremo também, hein? Sair de Petrópolis direto pra Bangu é resfriado na certa, rs! Tô descendo a serra com frequência, mas esse semestre ainda não consegui pegar calor no Rio não! Tô doida pra pegar uma corzinha (essa cidade me deixou branca-esverdeada) mas sempre quando desço, chove. Chego até a acreditar que sou eu que tô levando essa chuva pra lá.

        Beijo!

  44. sandra disse:

    Oi Caroline!!! Me chamo Sandra e achei teu blog por acaso… Não muito por acaso, pois eu procurava comentários sobre a dificuldade em secar roupas lavadas em Petrópolis e aí … eu acabei encontrando teu blog e chorei de rir com o seu “poema” – Coisas que descobri ao morar em Petrópolis. Hahahahaha!!!! Muito legal mesmo !!! Eu amoooo Petrópolis !! Tô em Petrópolis quase todo final de semana. Não nasci em Petrópolis e sim no Rio, mas odeio calor !!! Odeio mesmo com todas as minhas forças…. Passo muito mal, me sinto pesada, inchada, irritada, enfim todos os “ada” que existem, inclusive odeio ficar suADA !!! E como nós cariocas sabemos é “NORMAL” suar muuuiiito por aqui. Também tô subindo a serra… ainda não de vez por causa do trabalho, mas tô esperando o imóvel que comprei ficar pronto final deste ano início de 2012 para eu poder dar uma fugida nos findu pra Petrus com mais conforto…. Concordo com TODOS os elogios feitos à Petrópolis a despeito da “famíliaReal” participante…. Gosto de poder andar quase despreocupada pelas ruas de Petrópolis sem a sensação de medo, insegurança e desconfiança eternos de quem se acostumou a sobreviver no Rio; e quem acha que “em Petrópolis tb tem violência” recomendo uma pequena estada aqui no nosso amado Rio pra desfazer essa idéia. E digo isso HOJE heim, após muita UPP, Alemão e Rocinha reconquistados etc… Há a uns 2 anos atrás vivíamos anestesiados pelo medo!
    Pretendo morar em Petrópolis e teu “poema” não me desanimou não ! Sei que tudo que vc disse é a mais pura realidade… Morei 2 anos e meio em Montevideu, Uruguai – então sei do que o frio é capaz !! Hahahahaha!!! Mas gooooostu, goooostu muito mesmo !! Peguei -6ºC lá e era brabo !! Só fazia calor em dezembro, janeiro, fevereiro, entrava março e Sr. Frio chegava…. Mas não desgostei do frio por isso não, pelo contrário eu até nutri certa simpatia pelo Sr. Sol naquela época … Era legal ficar “quarando” feito calango no solzinho…mas bastava me esquentar que eu procurava uma sombrinha …hehehehe!!!! Adorei te ler – parece que te conheço a muito tempo – e vou virar visita constante por aqui. Sempre que puder passa dicas legais aí dessa terrinha linda e friorenta que eu vou adorar saber tá!!! Bjs bjs bjs pra vc!

    • Ahhhhhh! Obrigada! Fico feliz em saber que gostou do blog! E que bom que meu texto não te desanimou de vir morar aqui, com certeza é bem mais tranquilo que o Rio (na minha opinião, é tranquilo até demais, haha).

      Beijos e seja bem-vinda!

  45. Verinha disse:

    Me avisa sempre quando for descer a serra, rs, porque quero isso mesmo, chegar no RJ com tempo ruim, porque fico muito inchada com o calor e sempre tenho que retornar antes do prazo previsto, isso me deixa chateada demais, muito deprê. Bj Verinha

  46. Nina disse:

    e eu que posso falar do frio? morando na italia, agora mesmo aqui ta um frio de matar, moro na regiao norte, q è a mais fria, ano passado peguei 14 graus negativo, fui para o Brasil em 8 de novembro fiquei um mes e hoje ta fazendo uma semana que voltei, a 3 dias atraz me apareceu uma dor na regiao das costas, precisamente emcima dos pulmoes parecia que tava com uma costela quebrada e quando fazia alguns movimentos, era como se tivessem enfiando uma faca nas minhas costas, nen espirarra podia, mais logo uma amiga me falou q ja ficou assim tb, por conta do frio, n sei se è a mesma coisa, andei lendo na net e acho q a tal da lombalgia, estou tomando voltarem e ja estou bem melhor, mais o meu maior problema mesmo no frio è q durmo alem do q se deve e isso me preocupa bastante, encontrei esse blog, pq estava na net justamente procurando um assunto sobre se dormir tanto no frio è normal, pois estou ficando preocupadissima rs, desculpem ai as faltas de assento nas palavras, ainda nao me habituei com o tc daqui…

    • Poxa, Nina! E eu reclamando do frio daqui, rs!
      Olha, eu sinto muito mais sono no frio, dificuldade em levantar da cama e uma depressãozinha também. Mas acho que tudo está associado à falta de sol, mesmo! Não sou mística, mas acredito que a falta do sol pra quem não está acostumado influencia diretamente na nossa saúde, estado de espírito e disposição. Acho que você não deveria se preocupar com o excesso de sono não, minha irmã que mora no Rio nem gosta de ficar por aqui em Petrópolis, pois ela diz que passa o dia todo dormindo e não consegue estudar. Esse ano é o terceiro que passo aqui e acho que tô começando a me acostumar. Minha frequência de sinusite foi infinitamente menor que a dos 2 anos anteriores, e também quase não tive alergia.

      Bem, espero que se acostume e aproveite esse país que é lindo demais!

      Beijão e obrigada por comentar!!

  47. Nina disse:

    desculpem n assentos e sim acentos hihihi

    • Verinha disse:

      Aqui em Petropolis está bem calor, nada comparado ao RJ, mas está agradável, estou gostando muito. Tambem fiquei com essa dor e até fiz duas radiografias, mas realmente é do frio Não sei se suportaria no momento tanto frio pois saí há uns dois meses de um resfriado que parecia não ter fim de tanto tosse e dores. O médico receitou viaminas, já que todos os exames deram ok, pois estava tão mal e a mais de 30 dias que resolvi fazer o tal chekc up. Mesmo morando aqui há 5 anos, eu nao tinha ideia do que o frio pudesse causar em relação as dores no corpo.

      • Pois é, Verinha! Não li seu comentário antes de responder o da Nina, mas é exatamente isso: o frio causa muitas reações no corpo! E são coisas que a gente nem imagina quando vai procurar uma região fria pra morar! Disse e repito: passar uns diazinhos no frio e dizer que o ama, é mole! Quero ver é morar num lugar assim e conseguir sobreviver (saudável e de bom humor, hahaha)!

        Beijo, Verinha!

  48. Verinha disse:

    Oi Carol, vai ver é por isso que quando minha mãe vem, só dorme, é incrível, ela passa a maior parte do tempo dormindo, a gente até acha engraçado, mas pelo menos volta descansada para a sauna em Bangu. Feliz Natal!!!! Bj

  49. Nina disse:

    carol, eu sou da regiao nordeste do Brasil, imagina q mudança de clima? aqui so tem calor mesmo no verao e è imsuportavel, prefiro o verao da minha cidade , eu conheço petropolis e amei a cidade! jà viajei muito pelo Brasil, principalmente cidades frias, como as serras gaucha, campos do jordao, e jà achava muito frio, mais frio de verdade vim conhecer aqui, e por encrivel que pareca 2 anos aqui e ainda nao tive um resfriado se quer, aqui aparece as gripes, vejo os italianos tudo resfriado e eu nao rs, meu marido que è italiano pergunta se sou imune as gripes, pq ele fica e eu nao evito de estar perto dele e nao pego, graças a Deus!!!! bjsss

    • Amoooooooooooooooooooo o nordeste, Nina!! Moraria por lá fácil, fácil! O sol, as praias, a comida… ai, ai, ai, rs!
      Bem, felizmente sua saúde é de ferro! Não tive a mesma sorte quando vim morar aqui, hehe… Com 2 anos aqui eu ainda não tinha me acostumado, comecei a me acostumar no terceiro mesmo, que foi esse ano.

      Beijão pra você e espero que esses sintomas do frio diminuam rápido!

  50. Julio disse:

    OLÁ MOCINHA! ENTENDO SEU PENSAMENTO, MAS DISCORDO COM VC POIS AMO PETRÓPOLIS E SE DEUS QUISER ESTAREI MUDANDO PARA AI AINDA ESSE ANO!

    JÁ MOREI EM VÁRIOS ESTADOS BRASILEIROS E REALMENTE O RJ ESTÁ BEM EM DESVANTAGEM, MAS COMO TENHO QUE FICAR AQUI POR AGORA, ESCOLHI PETRÓPOLIS.

    COM TODOS OS PROBLEMAS AINDA ESTÁ INFINITAMENTE A FRENTE DA CAPITAL EM QUALIDADE DE VIDA! COMEÇANDO PELO CLIMA…POR MAIS QUE VOCÊ MORE EM UM BAIRRO BEM ESTRUTURADO NA CAPITAL, O CLIMA DA CIDADE NO VERÃO É DESUMANO, AINDA MAIS SE VOCÊ NÃO TEM CARRO E PRECISA ANDAR DE ÔNIBUS, TREM ETC.

    ISSO SEM FALAR NO JEITO DO POVO CARIOCA SEMPRE ACOMODADO COM A SITUAÇÃO E SE ORGULHANDO DE UMA CIDADE FALIDA!

    NADA CONTRA CARIOCAS ATÉ PORQUE SOU UM! NASCIDO NA ZONA NORTE.

    MAS NÃO SOU ALIENADO E RECONHEÇO OS PROBLEMAS DA MINHA CIDADE E TORÇO PRA QUE ELA MELHORE! MAS QUERO VER ESSE PROGRESSO LA DE CIMA DA SERRA, ONDE É MEU LUGAR!

    UM ABRAÇO!

    • Oi, Julio! Confesso que pra mim está ficando cada vez menos difícil morar em Petrópolis. Já estou bem adaptada com algumas coisas e quando estou longe, consigo até sentir falta, rs. Também já não estou mais ficando doente com tanta frequencia. Mas a chuva e o frio constante ainda me incomodam.

      Muito obrigada por comentar e boa sorte na sua vinda pra cá!

  51. Julio disse:

    Que bom Carol!

    Tem como você me dá algumas dicas da cidade?

    Por exemplo, to olhando uma casa pra alugar no Bingen. É um bairro seguro? (tanto no sentido de violência, qto no sentido de desabamentos).

    Obrigado por responder! Se quiser pode me add no msn, o email é o mesmo.

    Um bjo pra você e boa sorte na serra!!

    • Oi, Júlio! Não ouço as pessoas falando mal do Bingen não, só reclamam bastante por causa dos engarrafamentos por lá! Vou te mandar um email com mais informações, ok?

      Beijo!

  52. nina disse:

    carol o frio aqui ta de matar! hoje quando sai da aula foi so o tempo de sair da escola e ir para o carro, que ja deu para ficar com as maos queimando e tb vermelha, o frio hoje era como se estivese dentro de um freezer, pq geladeira è pouco…bjs

    • Nossaaaaaaaaaa!! Graças a Deus, estou nesse calorzão aqui do Rio de Janeiro! Aproveitei praia até não poder mais e ganhei uma corzinha (eu estava com uma cor amarela-esverdeada)! Já estou me despedindo desse sol, pois semana que vem volto a trabalhar naquele frio!

      Espero que esteja se acostumando!

      Beijo!

  53. Danielle disse:

    Olá, descobri seu blog por acaso e achei muito bom. Está ajudando muita gente, espero poder me ajudar também.
    Estou a procura de hotéis para minha noite de núpcias aí em Petrópolis, visitei um que achei muito bom (Quinta da paz resort – fica no vale do cuiabá em Itaipava). Gostaria de saber, se poderia me dar maiores informações sobre o clima na região no mês de junho (que é quando me caso). Me disseram ser um mês que não chove quase nada, é apenas muito frio, isso procede?
    Saberia me dizer se é um mês de muita neblina na serra (rio-petrópolis), tenho essa preocupação pois vou me arrumar neste hotel, sair de Itaipava para o Rio no final do dia (18:30h) para meu casamento e retornar de madrugada para Itaipava.
    Saberia me dizer também se às 18:30 hs, no mês de junho, já escureceu em Itaipava?
    Desde já agradeço muitíssimo a sua atenção.
    Um beijinho.
    Dani

    • Oi Danielle! Bem, achei suas perguntas bem difíceis de serem respondidas (hihihi) porque tenho a sensação de que em Petrópolis chove e faz frio o ano todo! Já a neblina é o forte da casa, mas não me recordo sobre o mês de junho, especificamente. Mas, certamente, nesse mês faz muito frio sim e chove menos. Só que pro lugar que você vai (Itaipava) é bem menos frio que o centro de Petrópolis… lá até faz sol, coisa que não se vê muito por aqui. Se por acaso estiver com neblina, o negócio é ir bem devagar, de preferência colando na traseira de algum carro que estiver na frente. Aí fica mais tranquilo. Eu subo e desço frequentemente a serra de carro, pego neblina às vezes, mas nunca tive problema…
      Bem, sobre 18:30h ainda estar claro, não sei dizer… Vou procurar mais informações pra você com alguém que more aqui há mais tempo do que eu, hehe.

      Beijos e parabéns pelo casamento!!

  54. Lidia disse:

    Querida Carol:
    Sou carioca, mas morei desde criança em Petrópolis e vivo há 21 anos em Curitiba.
    Estou pensando em voltar para Petrópolis, mas não sei como está a cidade, pois há muitos anos não a visito, apesar de ter familiares vivendo aí.
    Gostaria de informações sobre custo de vida, como energia (que não pago aqui), banda larga, supermercado e preços de imóveis para venda.
    Moro sozinha e essas são as minhas necessidades básicas (não necessito lazer).
    O objetivo é comprar uma casa pequena, porque não pretendo morar em apto.
    Quanto ao frio insuportável, que relata, é devido ao fato de morar em um bairro muito frio e úmido e em uma casa que não bate sol. Morar em uma casa ensolarada, é questão de sobrevivência (aqui em Curitiba, também).
    Vejo muitos petropolitanos detonando a cidade. Não sei se existe um fundo de verdade nisso, ou porque precisassem viajar mais, para comparar.
    Curitiba, por exemplo, está impossível de se viver (e isso é a mais cristalina verdade).
    Abraços e aguardo breve resposta.

    • Oi, Lídia! Bem, certamente desde a sua época aqui, a cidade mudou muito. Favelas cresceram, o trânsito está insuportável e o que deveria ter crescido (o ramo de moda que poderia ter sido muito forte), está deprimente. O custo de vida é caro, supermercado é uma máfia (não entra nenhum grande supermercado grande aqui, só tem o Extra e o ABC), mas comparando com o Rio de Janeiro, a qualidade das frutas, verduras e pão francês nos mercados daqui é infinitamente melhor. Sobre energia e banda larga, preciso me informar. Quanto a imóveis, eles são super valorizados. Mandarei um email a você com mais detalhes sobre eles. Quanto a petropolitanos detonando a cidade, creio que é pelo que ela se tornou: uma cidade grande sem estrutura pra isso, a saúde uma droga, ônibus ídem, ruas esburacadas, salários ruins, falta de uma faculdade pública, custo de vida alto, etc. Mas são problemas que enfrentamos em praticamente todos os lugares, né? Só que por ser uma cidade menor, a lógica é que seja mais fácil de administrar.

      Abraço!

  55. sandra disse:

    Olá
    Bom dia
    Já tinha há algum tempo atrás lido algumas coisas no seu blog porque procurava sobre pessoas que morassem em petropolis ou morassem em petropolis e trabalhasse no rio.
    Sou carioca e casada não gosto do calor que faz no rio de janeiro na maior parte do ano, meu marido gosta de frio e como temos amigos que moram em petropolis e trabalham no rio, inclusive um na empresa que o meu marido trabalha eu sempre tive vontade de tentar fazer isso, não temos filhos e tenho 36 anos.

    Gostaria se pudesse me dar dicas sobre tudo: custo de vida, bons bairros para morar em todos os sentidos, inclusive sobre estar distante de lugares perigosos(chuvas)

    Temos carro, e atualmente meu marido perde 2 horas para chegar no seu trabalho no centro da cidade, e por isso acreditamos que teríamos uma vida melhor morando numa casa em petropolis pois hoje moramos em cond. de apartamentos na barra da tijuca.

    Tenho animais e seria ótimo ter espaço´para eles! Gostaria muito de morar no centro de petropolis…

    É sonhar demais?
    att
    abraços
    Sandra Lemos -rj

    • Oi, Sandra! Não é sonhar demais não! Curiosamente, os animais aqui são mais bem tratados do que as próprias pessoas, rs. Nunca vi um cãozinho de rua leproso por aqui! Creio que por onde vier morar, ninguém irá encrencar com seus bichinhos.
      Bem, provavelmente, seu marido demorará menos tempo saindo daqui de Petrópolis para o centro do Rio do que da Barra da Tijuca. Quanto aos bairros por aqui, praticamente todos eles possuem lugares bons e ruins, o negócio é vir ver pessoalmente mesmo! Eu gosto muito do centro, mas quem precisa sair dele pra trabalhar vai enfrentar um engarrafamentozinho nos horários de rush. Vou mandar um email pra você com mais informações, ok?
      Beijos!

  56. Lidia disse:

    Sandra:

    Eu tenho 5 gatinhos e quero muito morar em uma casa, o que é impossível, na cidade onde moro (por questões de segurança).
    Porém, o meu retorno para Petrópolis, terá que esperar mais 6 anos, que é o tempo que falta para a minha aposentadoria.
    Jamais encararia o sobe e desce, da serra, bem como, a diferença de temperatura e de altitude, que acaba com a saúde de qualquer um.

    • Lídia, você tem razão quanto ao subir e descer a serra e sua relação com os problemas de saúde. Tem gente que se adapta bem, mas outras pessoas não. É um caso a ser pensado.

      Beijos!

  57. Verinha disse:

    Sandra, moro no Centro e acredito que não me adaptaria em outro bairro aqui em Petropolis, concordo com a Lídia sobre descer todos os dias, quando vou apenas uma vez, já sinto a diferença e sempre corro para tomar vitaminas, mas como a Carol disse, tem pessoas que descem todos os dias e acham mega normal. Moro em apt, mas meu sonho de consumo é um dia ter uma casa aqui no Centro mesmo, isso sim, seria a realização de um sonho, mas tb tem apartamentos enormes que parecem casas, geralmente silenciosos, então é possivel morar no centro com o silencio do interior e basta sair na portaria e ter todo o urbano a nossos pés. Bj

    • Lidia disse:

      Ás vezes é melhor esperar a aposentadoria, para poder curtir Petrópolis, com tudo o que ela tem de bom, sem ter que encarar esse bate e volta para o Rio.
      Quando morava em Petrópolis, sempre morei no Centro, naqueles predinhos simpáticos, da Avenida Tiradentes, em frente à Catedral. A minha mãe mora em uma casa enorme, também no Centro.

      • Pra mim, Petrópolis tem cara de gente aposentada e ponto. Talvez daqui a 30 anos eu saiba apreciar o que essa cidade “tem de bom”, rs. (Tô num momento revolta, hehehe.)

  58. Lidia disse:

    Petrópolis sempre foi um lixo de cidade, quando se trata de ter um emprego decente.
    Já formada, trabalhei durante 4 anos sem carteira assinada e sem direitos trabalhistas, e quando sai, não me pagaram o salário do último mês trabalhado. O dono da empresa, é um famoso (e safado) juiz de direito na cidade.
    A minha sorte é que passei em um concurso público, senão estava ferrada.
    Mesmo na Estatal onde trabalhava, existia exploração, como trabalho de horas extras, jamais remuneradas.
    Quando cheguei em Curitiba, estranhei muito, pois os funcionários não ficavam depois do horário e até ficava constrangida de sair na hora certa.
    O meu filho, saiu de Petrópolis (onde nasceu), para procurar trabalho em outra cidade. Se tivesse ficado aí, estaria ganhando um salário de fome e sendo explorado, como eu fui.
    É porisso que eu insisto, que Petrópolis é uma cidade amigável, apenas para as crianças e os aposentados.
    Quem estiver em idade produtiva deve procurar outra cidade, ou montar um negócio próprio e rezar para não fechar.
    “MOMENTO DESABAFO”.

    • Uiiiiiiiiiiii!! Excelente colocação, Lídia! Crescer profissionalmente aqui é praticamente impossível, a não ser, como você disse, que tenha seu próprio negócio! Sou professora concursada daqui, a carga-horária é massacrante (enquanto geralmente a carga-horária de outros municípios do Rio é de 12 horas com turma, aqui em Petrópolis é de 18 horas, só que um ano ou outro eles nos obrigam a trabalhar 20 com turma!), e o salário é super defasado em relação aos outros municípios também. Sem falar nos descontos irregulares de hora-extra, que não contam pra aposentadoria. Já entraram na justiça e nada! Continuamos sendo descontados ilegalmente!
      Pra piorar, o custo de vida aqui é alto, sem falar no transporte público. Ou seja, pobre aqui só se ferra!

  59. Lidia disse:

    Petrópolis é uma cidade tão próxima do Rio, porém com uma irritante mentalidade de cidade atrasada, que se recusa a evoluir.
    Impressionante, como passados 21 anos que saí daí, tudo continua igual (ou pior).
    No Banco do Brasil, quem saísse no horário, era olhado com cara feia. No Banco do Brasil de Curitiba, 10 minutos antes do encerrar o expediente, já estava todo mundo com a bolsa no colo, pronta para sair.
    Quanto ao transporte, sempre foi essa merda. Como morava no Centro, pouco usava o transporte público, mas quando tinha que me locomover para algum bairro, lembro-me bem do tempo que levava e dos ônibus sujos, sucateados e do não cumprimento dos horários.
    O engraçado é que a maioria da população de Petrópolis é de baixa renda (devido aos baixos salários), mas os preços praticados são de uma cidade de alto poder aquisitivo.
    E o povo ‘pensa” que é descendente direto dos nobres, ou seja, come feijão, mas arrota caviar.

    • Hahahaha… É isso! Só que os engarrafamentos estão terríveis em horário de pico! Pra ter uma ideia, ano passado saiu na capa do jornal a foto de um ônibus que quebrou no centro e os passageiros desceram pra empurrar. Não acreditei na foto que vi! Vários passageiros empurrando o ônibus na rua principal de Petrópolis! No Rio já teriam tacado fogo em tudo! Não que eu concorde, mas o povo aqui é “pacífico” demais com a desculpa de que são educados e não armam barraco…

      • Lidia disse:

        A exploração trabalhista em Petrópolis é crônica e as pessoas não denunciam, por medo de perder o emprego.
        Que vergonha, nhein empresariado de Petrópolis !!!
        Quanto à cidade parar no tempo, tem a ver com o estigma de cidade museu, tombada pelo IPHAN, que influenciou a mentalidade local.
        Só pode ser isso, pois a cidade cresceu em população e, consequentemente, deveria ter crescido nos demais quesitos.

  60. Verinha disse:

    Sim, é a pura verdade o que a Carol e a Lídia informam sobre o que ocorre em Petropolis. Eu sou professora tb , mas em EAD para algumas instituições fora do RJ e trabalho em casa, não que seja a oitava maravilha, mas não preciso passar por problemas de transito ou de exploração trabalhahista, É realmente um absurdo o que acontece e pior é que se perpetua. Nem acreditei quando soube que algumas vendedoras, são free lances, trabalham em regime de rodízio e sem carteira assinada, mas nem semrpe são chamadas, dpende do dia, da semana, e que algumas costureiras da famosa rua Teresa, ganham centavos por peças e precisam trabalhar praticamente 22 horas por dia para se manter financeiramente. Mas gente como fica a vida, a saúde….Sei que isso não acontece só aqui e que existem coisas ainda piores por todo o canto do mundo,…As pessoas parecem nao se preocuparem e continuam levando a vida.

    • É isso mesmo, Verinha! Tem muita coisa esquisita que acontece por aqui e fica camuflada! Infelizmente, quem passa por aqui só vê a beleza aparente do lugar, já que essa é a intenção, né…

  61. nina disse:

    conheci petropolis fazem 5 anos, e nao imagiava q era uma cidade q tinha parado no tempo…

  62. Lidia disse:

    Carol:

    Eu lhe agradeço, de coração, porque você abriu os meus olhos. Juro que pensei que a cidade tinha evoluído, mas pelo visto continua igual.
    Minha família inteira (eu inclusive), foram explorados nessa cidade de exploradores.
    Tinha planos de retornar depois de aposentada, mas isso significa andar para trás.
    O destino do homem é o progresso e a evolução.

  63. Verinha disse:

    Falando da minha experiência: moro em Petropolis há 6 anos e nao sei como era antes, mas para mim, é bem funcional, pois para quem precisa estudar e crescer, tem Inúmeros cursos, do mais comum e gratuitos aos mais renomados, várias universidades/faculdades, sendo uma pública. Aqui tive tempo de aprimorar meus conhecimentos e agora com uma bolsa para uma Universidade na espanha devo partir em breve para o doutorado. Não sei porque sempre morei no RJ, gosto da forma como a vida segue com calma. Naturalmente em relação a empregos é muito complicado mesmo, ninguem vive só de estudar e é preciso sair para conseguir boas colocações. Tenho uma amiga que trabalha em uma mutinacional aqui e soube que tem outras, mas não divulgam. O concurso público que está em andamento para todas as carreiras, os salários são irrisórios e não dão nenhuma perspectiva de ascensão.

    • Lidia disse:

      Pois é Verinha, concordo que Petrópolis tem boas escolas. Eu sempre estudei em escolas públicas aí e passei em vários concursos públicos e em vestibulares para universidades federais.
      Mas, como nem só de estudo vive o homem, e como nem todos tem a sorte de passar em concursos públicos, tem que ter empregos para a população em geral e com os direitos trabalhistas respeitados.

      • Boas escolas, porém a Educação esse ano está um caos. Mandaram mais de mil funcionários contratados embora, os funcionários que restaram estão tendo que se virar pra fazer a função de 2, 3, 4 pessoas. Quanto às demais coisas, prefiro ficar quieta pra não me expôr.

    • Verinha, discordo desses inúmeros cursos dos quais você falou. Tudo que preciso fazer tenho que descer a serra. Minha pós é lá no Rio, os cursos de especialização em deficiência que preciso fazer por causa do meu trabalho AQUI também são lá. Sem falar na viagem, que sai caro. Aqui pode até ter os cursos mais básicos, aqueles mais procurados. Fiz ensino médio técnico na rede pública no Rio, aqui, existem pouquíssimas opções deles que não sejam particulares. Estudei numa faculdade púlica no Rio, cujo curso não existe aqui. Queria fazer o mestrado em Educação pela UCP, a única faculdade que oferece esse curso, mas não posso pagar a mensalidade de mil reais (meu salário é aquele do edital do concurso, a mensalidade é praticamente meu salário inteiro). Conheço pessoas da área da educação que passaram pro mestrado nas faculdades públicas do Rio (não conheço um professor que tenha conseguido fazer esse tal mestrado na UCP justamente pelo valor), mas não conseguiram nem ao menos uma licença decente pra poderem fazer o curso. A própria prefeitura não dá apoio. Enfim, o povo daqui tem que ficar restrito ao que se oferece aqui, o que pra mim, não é muito, é quase esmola.

  64. Verinha disse:

    Eu tento aqui em petropolis, sempre que posso, ajudar as pessoas que precisam de emprego, mostro alguns caminhos, mas as vezes ou na verdade em sua maioria, não acreditam em seu proprio potencial, parece que existe uma força invisivel, sei lá. Mas eu sempre vou auxiliar quem precisa, indicar uma alternativa que minimize ou pelo menos faça alguém pensar em ter um futuro melhor. Pode até parecer muito filosófico…mas força de vontade ajuda muito e hj as tecnologias tb. Bj

    • “mas as vezes ou na verdade em sua maioria, não acreditam em seu proprio potencial, parece que existe uma força invisivel, sei lá.” Disse tudo, Verinha!! Muitas pessoas que não nasceram mas que vieram morar aqui tem essa impressão! Parece um complexo de inferioridade misturado com comodismo, como se tivessem assumido uma posição inferior e achassem uma fantasia ocuparem lugares mais altos.

      Beijo!

    • Lidia disse:

      Essa “força invisível”, do qual vocês falam, eu também sentia, quando morava em Petrópolis.
      É uma espécie de energia, que faz com que as pessoas fiquem letárgicas, apáticas e acomodadas.
      Será que tem a ver com as montanhas?
      Eu tinha uma tia, sensitiva, que dizia que Petrópolis tinha uma energia muito pesada, que puxava as pessoas para baixo. Será ???
      Eu cursei Direito na UCP e tranquei, por não conseguir pagar a mensalidade.
      Aqui em Curitiba, estou cursando uma faculdade na UFPR, onde, além de não pagar nada, ainda recebo uma bolsa em dinheiro, para custear despesas com material didático.

      • Lidia, estudei na UNIRIO e também consegui uma bolsa de monitoria que me ajudou a pagar minhas passagens e xerox. E não me admiro nada quanto a essa energia pesada aí. Devem mesmo ter enterrado uma cabeça de bode na fundação cidade…

  65. Verinha disse:

    Olha, Carol e Lídia,vcs exemplificaram com louvor o que acontece realmente. A cidade segue em seu ritmo acelerado sim, mas as pessoas ficam para trás. Outra dia encontrei um homem já maduro aqui e me disse que achava absurdo ter e-mail e que computador, para que? é muito caro. Mas tb estive com um rapaz de 26 anos e me disse que achava um absurdo “perder” 4 anos na faculdade, enquanto ele poderia está aproveitando a mocidade dele, já tinha um negócio de consertar computadores e mesmo sem curso se considerava técnico e pronto, ia viver a vida que Petropolis podia oferecer nos bares. O progresso chega e engole essas pessoas, seus filhos e seguem em subempregos, acreditando que isso é o destino. Não vou citar mais exemplos do contrário nem 1 ano daria. Quem termina realmente aproveitando são pessoas que vem de fora, que curtem o turismo, as escolas, o prazer mesmo de está aqui sem se preocupar muito com os grandes detalhes que estamos falando aqui. Claro existem pessoas que sacodem a poeira e dão a vlta por cima, mas parece que isso não fez/faz mudar essa sensação de cidade perdida no tempo e no espaço. Bj

    • Lidia disse:

      Carolzinha:

      Esta noite tive um sonho (ou seria pesadelo?), onde meu pai (já falecido), vinha me buscar em Curitiba para me levar para Petrópolis. No meio do caminho, ele disse que eu poderia ir sozinha, porque eu já conhecia a cidade e quando chegasse em Petrópolis, poderia ficar na casa da minha tia (também já falecida), até eu me estabelecer na cidade.
      O que será que significa esse sonho? Será que é um aviso?
      Toda a minha família (com exceção do filho), moram em Petrópolis.

      • Nossa, Lidia!! Bem, independente do que signifique, se vier morar aqui, foque nas coisas boas, sempre! Você sobreviverá! Como citei em um dos comentários, Petrópolis está se tornando cada vez menos difícil pra eu morar. Tive um baque porque quando vim pra cá achei tudo muito diferente do que eu vivia. Além da minha vida ter virado de ponta cabeça, tive esse choque cultural. Mas a gente se adapta e acaba se acostumando… É uma questão de sobrevivência mesmo, rs.

      • Maria disse:

        Na minha opinião vc teve um sonho..sou carioca,morei em Porto Alegre,e agora estou em Curitiba….adoraria que alguem viesse me buscar e que me levasse daqui…Curitiba é feia ,chata, fria….exemplo de urbanismo?????Sou arquiteta e nunca vi tantos projetos ruins…casas feias…uns sobradinhos caríssimos….o povo aqui esta fora da realidade….é como viver numa grande fazenda iluminada….Petropolis tb tem seus problemas..mas está perto do Rio….

      • Lidia disse:

        MARIA:

        Concordo com tudo o que você disse e acrescento mais algumas críticas: a pavimentação com o maldito anti-pó dos bairros de Curitiba, que tira qualquer tesão e a violência, que está maior do que no Rio e em São Paulo, considerando-se o número de habitantes.
        Quanto ao curitibano? Bem esse é um capítulo à parte, que prefiro não comentar, até porque a sua fama, já se expalhou pelos sete mares.

    • Lidia disse:

      Hoje eu tive uma pequena amostra, da falta de informação (para não dizer…ignorância), ao ouvir do meu sobrinho, nascido e criado em Petrópolis, que não iria castrar o seu gato porque poderia “engordar”.
      Nada a ver, com o fato do gato, emprenhar várias gatas, que terão centenas de filhotes, que serão mortos ou abandonados, porque não existem adotantes para todos.
      A diferença desse meu sobrinho, do meu filho, que saiu de Petrópolis, aos 19 anos, é gritante.
      O meu filho cresceu, evoluiu, viajou o mundo, morou no exterior e hoje tem um negócio próprio em outra cidade.
      Esse meu sobrinho, continua naquele mundinho de merda, ganhando um salário de merda e vivendo uma vidinha de merda, morando em um puxadinho no terreno da mãe, com a mulher e os filhos.
      As minhas duas irmãs, são formadas, cultas e inteligentes, mas não sabem operar um computador, não tem endereço de e-mail,não tem celular e não se interessam por nada da vida moderna, que veio para facilitar a nossa vida.
      Enviei vários e-mails para o meu sobrinho, que não respondeu, alegando que tinha perdido o próprio endereço de e-mail. Pode uma coisa dessas?
      Eu adoro Petrópolis, mas às vezes dou graças a Deus, por ter saído daí. Pelo menos me livrei do estigma da cabeça de porco enterrada (como disse a Carol), que entrava o progresso, a modernidade e a EVOLUÇÃO. Vá de retro…

      • Lidia, o que acontece muitas vezes aqui é que o pessoal não sai da cidade mesmo! Assisti o filme “A Vila” e pra mim aquilo foi inspirado em Petrópolis, hahaha. Acho que é o estigma de “Cidade Imperial” que faz com que pensem que aqui é o melhor lugar do mundo. Poderia até ser, mas o que impediria de conhecer outros lugares? Talvez sejam as montanhas que impedem a visão, fazendo muitos acreditar que não existe vida além daqui…

  66. Lidia disse:

    Correção: cabeça de bode, não de porco, como escrevi acima.

  67. nina disse:

    Olha Lidia me desculpe por descordar em parte com seus pensamentos sobre sua familia, mas acho muito radical da sua parte dizer q seu sobrinho vive em uma vidinha de merda, pois nao creio q se ele vive uma vidinha de merda como vc fala, seja pq mora em petropolis, creio q tenha sido uma opçao dele, do mesmo jeito q suas irmas sao cultas e nao fazem questao de um cel ou de saber navegar na net, eu vivo na europa e tem muitas coisas do mundo moderno q eu opto por nao ter e q n me fazem nenhuma falta, acho q o que importa mesmo na vida de cada um è a paz de espirito e a felicidade simples e verdadeira, sou uma pessoa viajada, conheço muito bem o Brasil e boa parte do pais q moro atualmente. mas n me sinto melhor do que ninguem por conta disso…

    • Lidia disse:

      Talvez você discorde do que eu falei, porque não conhece a fundo, a realidade da minha família.
      Esse meu sobrinho, teve oportunidade de estudar, porém não o fez e por causa disso, sobrevive de subemprego, sem estabilidade e sem condições sequer de pagar um aluguél, além de muitas vezes, estar desempregado. Se isso não é vida de merda, eu não sei o que é.
      Quanto às minhas irmãs, não se renderam à tecnologia (que muito facilia a nossa vida), não por opção, mas por total falta de vontade de aprender.
      Eu aprendi a usar o computador após os 50 anos e hoje, aos 63 anos estou cursando uma faculdade.
      Não existe justificativa para o meu sobrinho, que é um jovem na flor da idade, não estudar para melhorar de vida.
      Eu estou sempre tentando aprender e evoluir e apesar de aposentada, estudo para concurso público, para voltar ao mercado de trabalho.
      Não existe FELICIDADE, na ignorância, na pobreza (material e de espírito) e na preguiça, para crescer e progredir.
      É muito mais cômodo se enconstar em outras pessoas (no caso, em questão, os pais), porque estudar, exige sacrifício e correr atrás dos nossos sonhos, também.
      Em Curitiba, a maioria dos jovens cursa duas faculdades e em Petrópolis o que se vê, são jovens sem ambição e felizes…por estarem na merda.

    • Oi, Nina, creio que a Lidia está num momento desabafo, porém, é bem característica da cidade os “puxadinhos”. As pessoas casam e constroem no terreno nos pais, isso é fato. Mas como já foi dito, pra morar aqui, tem que ter uma condição financeira razoável. Praticamente impossível crescer profissionalmente aqui, a não ser que a pessoa dê sorte em algum comércio. Quem nasceu aqui e não tem uma boa condição financeira, mas quer continuar morando aqui, tem que se sujeitar ao que dá: o puxadinho no terreno da família. Bons concursos? Só fora daqui! Faculdade púlica? Só fora daqui! Pelo menos deu uma melhorada com esse tal de ENEM, pois muitos agora tem a oportunidade de bolsa na particular… Mas essa melhoria, como sabemos, não é mérito da prefeitura daqui, né…

  68. Lidia disse:

    “nao creio q se ele vive uma vidinha de merda como vc fala, seja pq mora em petropolis, creio q tenha sido uma opçao dele”.
    Eu gostaria de ter pais, que construíssem uma casa para mim, sem eu desembolsar um centavo, para que eu tivesse a “opção” de não precisar pagar aluguél, e não precisar trabalhar DURO, para poder comprar uma casa, além de sustentar um filho sozinha.
    Isso sim, seria a verdadeira felicidade. Tudo vir para mim, de graça, sem eu precisar mover uma palha.
    Sou radical? Faça-me o favor.

  69. Verinha disse:

    Você não está sendo radical Lidia, é EXATAMENTE assim que acontece. Você tem noção e clareza da realidade de Petropolis. É triste? sim, é, mas não acredito que a curto ou médio prazo se consiga mudar alguma coisa. Quem sabe alguém ainda descubra esse sambaqui erroneo que tenha sido enterrado e tenhamos ainda uma realidade diferente da que se apresenta.

    • Lidia disse:

      Pois é Verinha, eu também torço por isso, porque a cidade é belíssima, tem uma natureza exuberante e poderia ser o maior polo turístico do Brasil.
      Digo isso, porque conheço o Brasil de norte a sul, vários países da Europa e da América do Sul e já morei nos EUA.
      A população tem que acordar e entender que estamos no século XXI e não dá mais para viver de lembranças de um passado de nobreza, do qual sequer fizeram parte, porque os seus antepassados eram plebeus.
      Alguém tem que desenterrar essa cabeça de BODE, porque daqui a 6 anos, pretendo viver aí. Carol, please.

      • Gente, eu tô abismada e rindo muito com os comentários aqui! Quando escrevi o post, me sentia um peixe fora d’água. Tá certo que falei apenas sobre o frio, mas já tive vontade de vomitar muita coisa aqui, só que fico com medo de ofender alguém, porque, sei lá, não nasci aqui. Também, bem ou mal, esquisita ou não, é essa cidade que me “sustenta” hoje e às vezes sinto como se estivesse cuspindo no prato que como. Independente disso, tudo o que foi dito nos comentários por vocês e por mim é a pura realidade do que acontece aqui, da maneira que nós conseguimos enxergar… Se as pessoas não reclamam e não expõem suas insatisfações, como as coisas vão mudar? Se todos se mostrarem satisfeitos, nada muda!

      • Lidia disse:

        Todas as cidades tem problemas, mas é muito bom, quando moradores (ou ex-moradores, como eu), desnudam a realidade de Petrópolis, que tem o seu encanto, é verdade, mas tem também o seu lado obscuro.
        Não tem aquele ditado que diz que: “o pior cego, é aquele que não quer ver”? Pois, é!
        Os petropolitanos precisam saber, que existe vida, além da fronteira IMPERIAL e que uma cidade não pode parar no tempo, como um museu.

      • É isso aí, Lidia! :)

  70. Verinha disse:

    Impossível agora, sair as ruas sem pensar em tudo isso que escrevemos aqui, fiquei mais observadora. Bj

  71. Lidia disse:

    Caroline:

    Que bom que você está se acostumando com o “way of life” petropolitano. Eu como boa camaleoa que sou, me adapto a qualquer lugar. Porém, tem duas coisas em Petrópolis, que não dá para engolir.
    A primeira, é a exploração de mão de obra em regime escravocrata, sem registro em CTPS, sem respeito à jornada de trabalho e sem pagamento de horas extras. Nem os órgãos públicos respeitam a jornada de trabalho (aconteceu comigo).
    O petropolitano é muito humilde e submisso, não tem coragem e nem atitude, porisso são explorados.
    A Princesa Isabel, libertou os escravos, há mais de um século atrás, mas o povo de Petrópolis, continua se portando como escravo.
    O segundo, é a ocorrência todos os anos, de enchentes, quedas de barreira, soterramentos e mortes, devido às construções irregulares nas encostas e a falta de planejamento para evitar que ocorram essas tragédias sem fim.
    Para eu voltar para Petrópolis, terei que estar aposentada e será para morar em um lugar 100% seguro.
    Curitiba não é a minha cidade dos sonhos, mas aqui se respeita a Legislação Trabalhista, até porque o curitibano coloca o patrão na Justiça do Trabalho, por qualquer deslize. Também não existem tragédias devido às chuvas, pois os rios são todos canalizados.
    A maior qualidade que vejo em Petrópolis, é justamente o motivo da sua crítica: O CLIMA.

    • Lidia, concordo com tudo o que você disse. Estou sem forças pra falar sobre o que penso daqui, pois essa semana vivi exatamente o que você mencionou: “O petropolitano é muito humilde e submisso, não tem coragem e nem atitude, porisso são explorados.
      A Princesa Isabel, libertou os escravos, há mais de um século atrás, mas o povo de Petrópolis, continua se portando como escravo.” Participei da paralisação da educação aqui, que foi quase nacional, no dia 14 de março, e me senti envergonhada com a “meia dúzia” de gatos pingados que estavam por lá. Medrosos! Só isso que tenho a dizer! Estou chocada! E triste! Enfim, já aceitei que existem coisas na vida que nunca vou entender. E Petrópolis é uma delas.

      Beijos!

      • Lidia disse:

        Querida Caroline:
        Pelo fato de ter ido morar ainda criança em Petrópolis, também fui muito explorada.
        O pensamento dominante da cidade é esse mesmo: o de SENHOR e ESCRAVO.
        Quando trabalhava no Banco do Brasil, era obrigada a ficar depois do horário, ou seja, trabalhar de graça (com fome), para não ser taxada de má funcionária.
        Pior, que para mim, isso era natural, entende?
        Só percebi que isso não era correto, quando mudei de cidade.
        Na nova cidade, no princípio, chegava a me sentir constrangida, por estar apenas cumprindo a minha jornada de trabalho. Acredita nisso?
        A verdade é que, a senzala acabou em Petrópolis, mas a senzala continua dentro do petropolitano.
        Uma cidade não é feita apenas de beleza natural e de ar puro, mas principalmente, de RESPEITO pelos seus cidadãos.
        Os anos que perdi, trabalhando sem carteira assinada, prejudicaram (e muito) a minha aposentadoria.
        Os senhores de escravos, não tem pudores, quando se trata de explorar mão de obra boa e barata. Não é mesmo, cartorários de Petrópolis?
        Não vejo futuro para Petrópolis, infelizmente. Ela vai continuar território de senhor e escravo, até que outra LEI ÁUREA, seja proclamada.
        Pode desabafar, quanto quiser, Caroline. Desabafar faz um bem danado (pelo menos para mim).
        Aliás, quem diz a verdade, não merece castigo.
        Beijinhos.

      • É, Lidia! Assim como você, não vejo futuro pra Petrópolis. Nada tira da minha cabeça que alguém ou “alguéns” têm interesse em que a cidade permaneça do jeito que está, ou piore, como acontece com o ramo da moda aqui, por exemplo. Por aqui nada cresce, nada desenvolve. É mais fácil as coisas falirem do que darem certo. E têm pessoas lucrando muito, demais com isso.

  72. Lidia disse:

    “Enfim, já aceitei que existem coisas na vida que nunca vou entender. E Petrópolis é uma delas.”
    Você até pode tentar entender, mas aceitar? jamais !!!
    Lute, pelo que acredita e se ninguém lhe apoiar, você terá cumprido o seu dever.
    Deixe que os bonequinhos de ventríloquo, continuem a abanar as cabecinhas covardes, em sinal de submissão, mas não seja um deles.
    E se um dia se cansar, e decidir mudar de cidade, lembre-se que existe VIDA, serra abaixo, se é que me entende.

      • Lia disse:

        Caroline:

        Confesso que durante um bom tempo, ensaiei a minha volta para Petrópolis. Um pouco pelo fato de a família viver aí, e um pouco por puro saudosismo, de um tempo que passou e que não volta mais.
        Esses dias, vendo uma fotos atuais de Petrópolis, postadas no Orkut, fiquei chocada com o que vi. A cidade pareceu-me decadente, sombria e triste…muito triste.
        Lembrei-me que vivia depressiva quando morava aí, sem motivo aparente.
        Quando mudei da cidade, a depressão desapareceu, como num passe de mágica. Algumas vezes fiquei triste, mas depressiva? nunca mais.
        Petrópolis, a par da natureza exuberante, realmente tem o dom de deprimir as pessoas. Não sei se por causa das montanhas que causam uma certa claustrofobia, da neblina constante, do frio intenso, da falta de sol, da chuva intermitente, das construções históricas (lindas, porém um tanto fantasmagóricas) ou pela falta de lazer…sei lá!!!

        Beijos.

      • “Lembrei-me que vivia depressiva quando morava aí, sem motivo aparente… Petrópolis, a par da natureza exuberante, realmente tem o dom de deprimir as pessoas. Não sei se por causa das montanhas que causam uma certa claustrofobia, da neblina constante, do frio intenso, da falta de sol, da chuva intermitente, das construções históricas (lindas, porém um tanto fantasmagóricas) ou pela falta de lazer…”

        Descrição perfeita, Lia! Às vezes fico analisando o que pode mesmo causar depressão nessa cidade! Não acho que seja uma característica isolada, mas um conjunto de fatores, infelizmente. Já coloquei na minha cabeça que ou a gente aprende a ser feliz com o que se tem por aqui (chuva, “tranquilidade” excessiva, dias cinzas, etc) ou cai fora! Porque que essa cidade é depressiva, é!

        Beijos!

      • Lia disse:

        Luiz:

        Por exemplo: tirar pêlos saindo do nariz e ouvidos a cada dois dias, sem falar cortar cabelo a cada semana, pois crescem mais rápido que o normal no calor.

        Seria trágico se não fosse cômico (dei boas risadas).

        Ainda bem que no Brasil, temos climas para todos os gostos e não precisamos sofre com pelos “saindo pelo ladrão”.

        Sou suspeita em falar, porque odeio calor, tanto que moro em lugar frio. E, se tivesse que escolher entre o Rio e Petrópolis (até por instinto de sobrevivência), escolheria Petrópolis.

        Acontece, que existem frios e frios. O de Curitiba, por exemplo, não é tão úmido, chove bem menos e tem muitos mais dias ensolarados, do que Petrópolis.

        Uma cidade jamais deveria ser construída no meio da Mata Atlântica, onde só árvores, mato e samambaias, vivem felizes e contentes.

  73. Luiz disse:

    Caroline, sou paulista de Marilia, interior de São Paulo, e há 5 anos estou em Fortaleza, Ceara.Seu artigo faz jus ao comparar os climas frio e quente, mas posso te dar certeza que isso é muito particular de cada um.
    Quando vim pra cá fiquei muito mais estressado, pois todo lugar é sempre muito quente (aqui só tem duas estações no ano: quente e muito quente).Quando imaginamos que podemos ir a um lugar quente para passar um tempo de férias, por exemplo, é excelente. Mas para morar em um lugar assim é terrivel. Com certeza, um local mais frio (ou menos quente do que 35° todo os dias) é muito mais gostoso de se viver.Entendo que vc tem mais frio do que o normal, só que imagine:
    **todo dia passar um monte de protetor solar a cada três horas pois a incidência de raios UVA aqui é maior do que a tabela da OMS indica como saudável. Vc terá que pegar onibus ou seu carro, trabalhar, estudar e tudo o que faz sempre evitando o contato solar.
    **ir para qualquer local e já esperar chegar lá todo suado e melado precisando tomar outro banho (não que irá resolver pois já sairá do banho suado de novo) para se sentir melhor. Isso porque, do contrário que todos imaginam, vc não vai poder ficar usando roupa curtinha todo tempo.Terá que colocar a roupa determinada para o trabalho (camisa, terno, gravata,calça, etc – de acordo com sua função) o que vai aumentar seu desconforto.Não poderá ficar só de shorts, camiseta, saia curta, chinelos ou roupas do estilo praia.
    **não poderá nunca pensar em comer algo quente, como feijoada, fondue, queijo quente ou outro prato comum dos dias frios ou calorico demais, pois vc não vai gastar isso facilmente haja vista que não vai conseguir fazer ginástica na academia sem sair, literamente, MOLHADO(A) de lá, parecendo que ficou na chuva por horas a fio.SUPER DESCONFORTAVEL.E, mais uma vez, banho não vai te ajudar, só um local mais frio.
    **saber que terá que se depilar ou cortar cabelos com muito mais frequencia, pois a taxa de troca metabólica interior-exterior do ser humano aumenta em locais quentes.É estranho isso, mas só quem morou em locais mais frios percebe.Por exemplo: tirar pêlos saindo do nariz e ouvidos a cada dois dias, sem falar cortar cabelo a cada semana, pois crescem mais rápido que o normal no calor.
    ** Não conseguirá usar roupas mais bonitas e elegantes, pois não vai conseguir aguentar o calor com elas.Minha namorada sonha em usar botas e, por aqui nem pensar.Só se vc gosta de ver gente quase sem roupa, aqui será o seu lugar.Só sei que eu gostaria de me vestir melhor e ver pessoas mais elegantes.Em locais quentes: ESQUEÇA isso!

    Listei somente algo para vc comparar,pois passar férias é uma coisa, mas morar em locais quentes é muito diferente.As pessoas confundem.Aqui todos, sem exceção, reclamam do calor e prefeririam um lugar mais fresco para se morar.Eu acho que vc deve tentar, se é isso que vc quer mesmo.E se não gostar depois, não diga que não avisei.

    Um abraço e viva feliz!!

    Obs: logo estarei voltando para São Paulo.Não consigo suportar mais esse calor!Só estou esperando a transferência de faculdade.

    • Hahahahhaa! Morri de rir com seu comentário, Luiz! Só que, infelizmente, o problema dessa cidade aqui não é apenas o frio! É uma série de fatores! O pior é que agora, quando vou ao Rio de Janeiro, não aguento o calor! Sinto o sol ardendo minha pele assim que me exponho, coisa que não acontecia antes. Mas também, ainda não me sinto totalmente adaptada ao frio! É uma coisa muito doida, nem lá nem cá, sabe…

      E boa sorte no seu retorno pra São Paulo!

      Abraço!

  74. Roberta Rocha disse:

    Olá Caroline. Li as mensagens em seu blog e me senti a vontade de te pedir ajuda, pois você tem respondido a todos de maneira muito simpática. Moro em Santos, São Paulo, mas em poucos meses mudarei para Petrópolis. Gostaria que você mandasse algumas dicas, de bairros para morar, por exemplo. Fiquei um pouco assustada com o que li e ainda não conheço Petrópolis, pretendo ir no próximo feriado. Aguardo seu contato. Muito obrigada pela atenção. Até mais.

    Roberta Rocha

    • Ixi, Roberta! Desculpe a demora! Minha internet está um horror e estou resolvendo “problemas” virtuais aos poucos, rs. Estou enviando um email pra você com as informações, ok?

      Abraço!

  75. Roberta disse:

    Hahaha, rachei de rir com o seu texto. Sou Petropolitana e morei por 22 anos em Petrópolis.
    Sempre tive problemas com frio, pois detesto. Tive todas as “ites” possíveis e mesmo a minha casa batendo bastante sol (eu morava no Valparaíso), frequentemente saia com cheio de cachorro molhado pela rua.
    Essa cidade não sabe o que é verão … para cada dia de sol, tem três chuva, frio ou nevoeiro …
    Eu estava pensando se valeria a pena me mudar de volta para Petrópolis, visto que o Rio que eu amava tanto está cada dia pior … mas seria trocar seis por meia dúzia.
    Vou ficar por aqui mesmo …

    Boa sorte com o frio, (de uma pessoa que realmente entende o que vc sente).

    bjs

    • Ahhhhhhhhhhhh!!! Geralmente as pessoas acham que eu exagero, Roberta! Que bom que você me entende, rs! Fico feliz que tenha gostado do texto! Eu estou me acostumando com Petrópolis, mas às vezes sinto uma saudaaaaaaaaaaade do Rio… =/
      Mas enfim, nem tudo na vida é como a gente quer…

      Beijos e curta esse calor por mim! =)

  76. Ivana Romani disse:

    Morei durante 5 anos em Petropolis. Achei as pessoas mais fechadas, um pouco esnobes,não sorriam tanto,… eu carioca da gema, sempre do bem e alegre, levei um baque…Meu filho estudou no Colegio São Jose , na Montecaseros. Gostei muito,mas… achei mais sociabilização do que estudo em si…Cidade boa para criança andar sozinha, de um cursinho , para natação, para escola, teatro etc…Tive uma casa no Quitandinha, muuuuuto frio, neblina,sempre chovia…mas quando a neblina entrava,visualizado do jardim de inverno, era lindo…Acho o centro mais quente…Custo de vida alto, mas em compensão as guloseimas vc como com os olhos..HUMM Pavelka, casa do Alemão,misto-quente da padaria Conval…Talvez volte no meio do ano, pois meu filho de 15 anos, ama Petropolis…Realmente Petropolis , para as crianças, só serve até o 2º grau,faculdade,nem pensar …E para os idosos,o resto de suas vidas…

    • Lidia disse:

      Ivana:

      Você descreveu Petrópolis com riqueza de detalhes, só errou quando afirmou que Petrópolis é bom para os idosos para o resto de suas vidas. Concordo com você, desde que os idosos não dependam da Saúde Pública (que é um cáos) e tenham uma gorda aposentadoria. Caso contrário…é melhor procurar outro lugar para viver.
      Quanto às guloseimas de Petrópolis, não existem similares em nenhum lugar. São fantásticas.

    • Pois é, Ivana, tive a mesma impressão que você quanto ao povo daqui e quanto aos estudos! Agora quanto ao custo de vida, Petrópolis e Rio de Janeiro já podem dar as maos, viu? Rio de Janeiro tá é caro demais! E quanto às guloseimas, também concordo, embora ache que esse mercado deveria ser mais explorado aqui.

      Beijos!

  77. Amanda disse:

    olá Ivana, sou Amanda e estou pensando em me mudar para Itaipava, mas ao ler seu texto me perguntei, por que faculdade nem pensar? Em petrópolis naõ tem boas faculdades particulares como a catílica de petropolis? Aguardo resposta. Obrigada, um grande abraço Amanda.

    • Ivana Romani disse:

      Oi, Amanda,

      A UCP (Universidade Catolica de Petropolis) é muito boa, mas é muito cara..A mensalidade gira em torno de R$ 800,00 a R$ 1000,00. Sendo que o meu cunhado, que é Mar e Guerra da Marinha, fez a UCP do relógio das flores com 100% de desconto… o cara é realmente um cranio…Que eu saiba em Petropolis só tem universidade particular…o quesito bolsa da UCP , existe, mas não sei te informar qual é o processo…Caroline, em Itaipava, não sei lhe informar sobre faculdade e escolas … Tenho uma amiga que ela tem um restaurante em Itaipava ” O Deck”, pedirei informações ou se prefirir , perguntarei se posso fornecer o email dela para vcs trocarem informações, ok???

      Acabei de chegar de Petropolis…Nossa estava sol… mas um sol friiiiiio,

      Abçs

      • Amanda disse:

        Ivana, valeu mesmo as dicas!!!se vc puder me enviar e-mail desssa sua amiga de itaipava te agradeço muito!!! bjs Amanda

      • Lidia disse:

        Ivana:
        O problema de Petrópolis, em relação às drogas é histórico. E não acredito ser questão de educação, mas de falta de lazer para os jovens.
        Na época em que morava em Petrópolis, vi muitos jovens viciados em maconha, éter, cola, cheirinho da loló, e tudo o que puder imaginar. Hoje com o crack, deve estar pior.
        Quantos aos bares da 16 de Março, sempre venderam bebidas para menores de idade, livremente.
        O fato de não haver universidades públicas, piora ainda mais o quadro. Mas, mesmo que houvesse, a cidade não oferece campo de trabalho para os futuros profissionais.
        É uma juventude, meio que perdida, sem perspectiva de futuro e sem ambição.

      • Amanda disse:

        Olha gente, sempre fui louca para morar em itaipava, mas depois desse blog cada vez mais me desanimo. Todo mundo que mora aí e que participou do blog só tem coisa ruim para dizer. É isso mesmo? a maior parte das pessoas que vcs conhecem pensam dessa forma? Meus filhos ainda são pequenos, mas se eu me mudar para Itaipava vais ser para criá-los aí. Pensei que fosse uma cidade segura, com certeza mais que o Rio de j\aneiro, né?????

      • Lidia disse:

        Oi, Amanda:
        Infelizmente Petrópolis vive muito de aparências. A sociedade fechada da cidade não mostra a verdadeira face.
        Tive um filho em Petrópolis e dei graças a Deus, por ele ter saído daí.
        É ilusão, pensar que em cidades pequenas os nossos filhos estão mais seguros. É justamente o contrário.
        Se quiserem criar os filhos em Petrópolis, fiquem cientes que aí, não é nada diferente das cidades maiores, ou do Rio de Janeiro.
        Afirmo isso, com conhecimento de causa, porque criei um filho em Petrópolis.
        Quanto à violência, é outro mito. Se for contar tudo o que me aconteceu aí, em termos de violência, daria para escrever um livro.
        Aqui no Centro de Curitiba, onde vivo há 21 anos, nunca me aconteceu nada.
        Petrópolis tem um pouco mais de 300 mil habitantes e Curitiba, tem 3 milhões.
        A violência aqui se restringe à bairros de periferia e é sempre ligada à tráfico de drogas, ou seja, bandido matando bandido.
        Em Petrópolis, a violência está disseminada por toda a cidade.

      • Amanda disse:

        Lídia, infelizmente aqui no Rio nao acontece bandido matando bandido< aqui acontece bandido e policial em guerra na rua matando qualquer um, assalto a carros em plena luz do dia em qualquer lugar. Medo o tempo todo. Mas ´´e bom saber que aí também não é um mar de rosas, vou pensar melhor na minha decisão.bjs

      • Lidia disse:

        Depois que inventaram o maldito crack, o mundo inteiro está sofrendo com a violência. Por ser uma droga barata, porém devastadora, cabe no bolso de qualquer classe social.
        Eu vivi em várias cidades e já morei no exterior e até lá (outrora tranquilo), também está sofrendo com a violência.
        Para quem tem filhos pequenos, sugiro uma cidade de porte médio, com boa oferta de emprego, saúde, educação e segurança.
        Cidades do porte de Petrópolis, sofrem com a falta de recurso em segurança.
        Se a coisa já está complicada com o policiamento intensivo, imagine sem?
        Existem boas cidades, ainda relativamente tranquilas no interior de São Paulo.
        É para lá que eu vou, quando me aposentar.

      • Ivana Romani disse:

        Oi ,Amanda

        Desculpe a demora, tive um problema particular que retevesse toda minha atenção…
        Mas, voltando, falei com minha amiga e ela autorizou que lhe fornecesse o email dela.

        lprealsalvi@oi.com.br

        O nome dela é Lucimar, já está sabendo que vc se mudará para Itaipava.

        Te desejo boa sorte em sua decisão!!!

        Abçs

        IVANA ROMANI

      • Ivana, em Petrópolis chegou há pouco tempo uma faculdade pública de turismo. O curso é oferecido pelo CEFET e funciona onde era o antigo Fórum, ali perto da subida da Rua Teresa. Também, uns anos atrás, foi implantado o CEDERJ no Quitandinha. O CEDERJ são pólos de faculdades públicas do Rio (UFF, UFRJ, UNIRIO, UERJ…) que estao distribuídos em várias cidades. Os cursos oferecidos são à distância, mas no diploma isso não vem especificado. Dizem que vem apenas com o nome da universidade e que não dá pra diferenciar o diploma de quem fez à distância e de quem fez presencial. Opinião pessoal: preguiça financeira de implantar uma universidade pública de verdade nessas cidades! Podem dizer mil maravilhas do curso, mas nada, nada substitui uma faculdade presencial! Um curso de pós, até vai, pois a duração é de no máximo um ano e meio, agora… faculdade de quatro anos? Cheguei a começar a fazer matemática pelo CEDERJ, fiz o primeiro período apenas, no segundo, tranquei. Creio que a faculdade à distância deveria ser uma opção ao curso presencial, nao o contrário. Mas enfim… Agora, pelo que sei, tem muita gente que conseguiu através do ENEM fazer faculdade de graça ou pelo menos com uma bolsa bem gorda! Creio que vale a pena investir nesse ENEM sim, tem ajudado muita gente!
        E se puder conseguir informações sobre Itaipava, agradeço! Estou totalmente por fora daquela área, rs!

        Beijo!

      • Lidia disse:

        Caroline:
        As enchentes de Itaipava são devastadoras, porque a água desce das encostas com muita força, alagando as terras mais baixas, que não tem como escoar as águas, por serem planas.
        Existem sim, bairros gelados e bairro mais quentes em Petrópolis.
        Os bairros que estão afastados da serra e com montanhas de pedra, são mais quentes e ensolarados (é o caso do Carangola).
        Os bairros, próximos da serra e com montanhas cobertas de mata atlântica, são os mais úmidos e gélidos.
        Com o tempo, você vai descobrir um ninho bem quentinho e aconchegante em Petrópolis, para não sofrer mais com ITES (sinusite, amigdalite, etc).
        Curitiba também é frio, mas por ser planalto, o cuidado aqui é morar em um lugar bem ensolarado.
        O meu apto é voltado para Oeste e bate sol a tarde inteira, ficando bem aquecido à noite.
        Quanto ao mofo, eu nem sei o que é isso. Nada mofa aqui. Ainda bem!

      • Pois é, Lidia! Embora goste muito do Quitandinha, estou cada vez mais convercida de que preciso me mudar daqui, ou, pelo menos, mudar de casa. Meu sonho é conseguir uma casa onde eu possa ficar quentinha, já que na maioria das vezes (hoje por exemplo), aqui dentro de casa fica mais gelado do que lá fora. Perguntei sobre o Carangola porque já ouvi falar e até já passei por lá, mas não conheço direito. Também nem sabia dessa diferença entre Carangola e Sertão do Carangola… Pra mim era tudo a mesma coisa, rs.

        Beijos!

      • Lidia disse:

        Oi, Carol:

        Eu sempre morei no Centro de Petrópolis, bem em frente da Catedral.
        Quando ia visitar a minha irmã no Carangola, lá sempre tinha sol, ao contrário do Centro.
        E não é só no Carangola que acontece isso. Tem outros bairros também.
        Procure com cuidado, porque em Petrópolis existem umas ILHAS DE CALOR, por incrível que pareça.

      • Muito obrigada, Lídia! Vou procurar, tentando me desapegar aos poucos do Quitandinha, rs.

        Beijos!

    • Oi Amanda! As faculdaades daqui não são das melhores não! É só você dar uma olhadinha no site do ENADE pra ter uma ideia. Lá tem avaliações de diversos cursos que são feitas todos os anos em todas as faculdades do país! Daí você pode comparar as notas das faculdades daqui com as de outras regiões!

      Beijos!

  78. Amanda disse:

    Ai Caroline, se vc soubesse como é ruim suar o dia todo, ter que escolher entre ficar sem roupa cheia de repelente ou ficar coberta para nao ter que usá-lo, andar na rua com a sensação de que um assaltante vai te machucar e levar seus filhos junto com o carro, entre outras questões, vc iria mudar de idéia. O Rio jás foi uma cidade maravilhosa, agora é a cidae da dengue e de pessoas com síndrome do pânico. Vai por mim melhor sentir frio do que ficar maluca trancada em casa com medo até da sombra.
    Estou pensando em me mudar para itaipava, já vimos terreno aí, mas o que me da receio é a questao de escola e faculdade pois tenho dois filhos e não queria ir para um lugar que eles tenham que se mudar para estudar, entende? vc conhece a escola João de barro na granja Brasil? é boa? E quanto a hospitais perto de itaipava? acha que é algo preocupante? Agradeço mesmo a ajuda e parabéns pelo texto. ADOREI!!!!! beijos Amanda

    • Olá de novo, Amanda, rs! Olha, eu sei exatamente o que é morar no Rio de Janeiro! Eu nasci e fui criada aí, fiz minha faculdade aí e só vim parar em Petrópolis por causa do trabalho mesmo! Vai fazer 4 anos que moro aqui e pra você ter uma ideia, estou internada desde ontem com uma infecção braba na garganta! Não consigo falar, muito menos comer! Dói muito, muito, muito! Ontem cheguei no hospital agonizando, chorando de dor! O médico disse que ainda terei febre hoje e amanhã, pelo menos. Sinceramente: prefiro um milhão de vezes o calor dos infernos do meu Rio de Janeiro às doenças que só Petrópolis sabe proporcionar a você! Se viver aqui fosse SÓ sentir frio, seria tudo muito mais simples e agradável!
      Agora, morar em Itaipava é outra história! O lugar é mais quentinho, porém, é distante do centro de Petrópolis e se você precisar ir ao centro sempre por qustões de trabalho ou pra resolver problemas frequentemente, dependendo do horário o trânsito é de lascar!
      Quanto aos hospitais, não tenho do que reclamar! Bem, já fui num público daqui e tomei trauma, mas agora só uso o plano mesmo e o atendimento é outro! Quanto às escolas, como já foi dito, até o Ensino Médio ainda vai, mas faculdade, esqueça, ou pelo menos não se iluda.

      Beijos!

      • Verinha disse:

        Oi Carol, como vc está? Sempre tive o mesmo problema que vc e foi fazendo gargarejo (odeio), po 6 meses com romã que me curei, tomava Bezetacil dupla duas vezes na semana, mas isso ficou no passado quando me indicaram.
        Eu estou completando 7 anos de Petropolis, parece que me adaptei ao frio, isso depois de 3 meses doente ano passado. Gosto daqui, de morar no Centro. Acho as pessoas dificeis de conviver quando comparo com minhas amizades no RJ. De qualquer forma pretendo sair do pais em breve, pois passei para um doutorado na Espanha. Sò não estou animada porque fui diagnosticada com Artrose nos dois joelhos, me pegou de surpresa, então o clima nao favorece de forma nenhuma, enfim vamos ver o que rola daqui pra frente. Eu moraria em Petropolis para sempre, sem problemas, porque gosto da sensação de interior. Iniciei tb um mestrado aqui, mas desisti, não gostei da estrutura, da forma como tratam o aluno…enfim cada experiência é diferente, na verdade o que importa é chegar em casa e se sentir acolhida de verdade. Bj

      • Oi, Verinha! Ainda estou de repouso, mas já saí do hospital. Fiquei internada de segunda à sexta, minha garganta está melhor, mas estou com os efeitos colaterais do antibiótico (tenho que tomá-lo por mais 3 dias). Estou cada vez mais convencida de que preciso mudar de casa, pelo menos, já que por enquanto mudar de cidade não é possível.

        E parabéns pelo doutorado na Espanha! Espero mesmo que tudo dê certo com relação a sua saúde! É uma super oportunidade!

        Beijos!

  79. Amanda disse:

    Cariline, será q vc podia me mandar informações sobre segurança em itaipava e petrópolis. Aí é um lugar seguro pra morar? bjs

    • Amanda, embora algumas pessoas tenham discordado nos comentários, acredito sim que Petrópolis ainda seja mais segura que diversos lugares do Rio. Não tenho informações sobre a segurança aqui, é apenas uma opinião pessoal mesmo. É claro que tem uns lugares onde o bicho pega mesmo, o negócio é escolher bem aonde vai morar. Vou mandau por email algumas informações mais detalhadas, ok?

      Beijos!

      • Amanda disse:

        Caroline, obrigada pelas dicas> fico aguardando e-mail. bjs

      • Lidia disse:

        Eu fiz um curso de Direito na UCP e, na época, os professores eram advogados e juízes, sem mestrado, ou doutorado, ou seja, sem didática nenhuma. Acabei trancando a faculdade, mas foi por não me identificar com o curso.
        Quanto à saúde pública, a minha família inteira usa (inclusive mãe idosa) e elas dizem ser um horror.
        O clima em Itaipava é mais quente, mas quando chove, a água desce em turbilhão, alagando e arrastando tudo no caminho.
        Conheço muito bem Itaipava, porque frequentava direto os restaurantes de lá.
        Para quem prefere um clima mais quente, eu indicaria o bairro do Carangola (minha irmã mora lá), que é seco e quente e não fica longe do Centro.
        Com filhos em idade escolar, eu preferia ficar perto do Centro, que é onde tem as melhores escolas.
        O Carangola é uma boa escolha, mas fuja do Vicenzo Rivetti e do Sertão do Carangola, que fica no mesmo bairro, mas já é mais problemático.

      • Nossa! Essa de Itaipava eu nem sabia! Se bem que o último desastre que aconteceu por aqui foi por aquelas bandas de lá mesmo! Agora sobre o Carangola, também não sabia que era um bom bairro pra se morar.

        Obrigada pelas dicas, Lidia!

  80. Ivana disse:

    Pois é, Lidia,

    Precisei usar a UPA do Centro, perto do antigo DETRAN, UPA novinha, acabado de construir…estava com um resfriado horrível,atendimento rápido…Meu enteado sofreu acidente de moto, só arranhou as mãos, também foi para UPA, atendimento bom e rápido, agora… o SUS, perto do Hospital Santa Tereza , …dizem que é horrivel…para internação…para procedimentos mais destintos , é complicado…realmente para tratamento dos idosos, só plano de saúde e , não só os idosos…Gosto de Petropolis, apenas pela segurança de criar um filho adolescente …Fora isso, a família tem que dispor de um poder aquisitivo folgado para uma vida social , de resturantes, shows, produtos mercado mais caro,…até o valor do estacionemento, é mais caro…fora a dificuldade para se achar vaga no centro…

    • Lidia disse:

      Ivana:

      Eu estudei na Universidade Católica de Petrópolis e na época era muito boa. Não sei agora.
      Cuidado com filhos adolescentes em Petrópolis, porque lá tem muita droga…muita mesmo.
      O lazer dos jovens é limitado e se restringe a ficar na porta dos bares bebendo e ao uso de drogas ilícitas.

      • Ivana Romani disse:

        Pois é , Ligia

        Realmente já vi na 16 de março, muitos adolescentes, faixa etária minima de 13 ,14 anos,com uniforme escolar, bebendo, fumando, uma gritaria, muita briga…existia um bar na 16, ao lado bo Bob’s, que fechou de tanta reclamação dos moradores. Uma vez , me sentei na Praça Dom Pedro, no Centro, e fiquei observando os adolescentes… Uns, realmente , tocando violão, outros de skate, em compensação outros com um linguajar chulo, garrafa de bebida , as meninas numa agarração com meninos e agarração com o mesmo sexo…outro grupo de gótico, todos de preto…
        Pois é, Petropolis é 8 ou 80… Mas é fato, a existencia , bem visível, das drogas em Petropolis… Acredito, Ligia, que muitas atitudes dos adolescentes, sejam o exemplo de educação que ele tenham em casa, mas…nessa idade , o tal “grupo”, com certeza pesa bastante..

        Abçs

      • Maira disse:

        Lidia, eu também moro em Curitiba e considero a opção de me mudar para Petrópolis. Não consigo ver nenhuma maravilha aqui. Aqui tem violência sim, moro no Batel e já fui assaltada algumas vezes. Vejo muita droga, na minha rua só dá jovem fumando crack (jovens moradores dos prédios do Batel, classe média alta). Não vejo policiamento em Curitiba, se precisar de ajuda, não há quem me socorra. A violência não está concentrada na periferia meesmo.
        O trânsito é uma loucura. Enquanto pedestre posso afirmar que sou quase atropelada todos os dias, a minha sensação é que os carros querem ‘te pegar’ de brincadeirinha (brincadeira sem nenhuma graça). Tem muita gente aqui de Paranaguá, Maringa, um pessoal ignorante e desrespeitoso.
        Você também comentou em um outro post que os jovens fazem duas faculdades aqui…devem ser exceções, pois nunca conheci um que fizesse. Quando cheguei em Curitiba (há mais de dois anos) ouvi muito falar da Universidade Positivo, de sua estrutura e qualidade de ensino. Comecei um curso lá (pagando mil reais por mês) e larguei seis meses depois. Ensino de baixíssima qualidade, pessoal bitolado, professores (ainda que doutores) fracos, fracos, fracos. Estou super decepcionada com o ensino daqui. Adiei todos os cursos que queria fazer, após tentativas frustradas. Sou de Porto Alegre, tenho muitos amigos em sp e o comentário sobre o curitibano ser ‘tampinha’ é geral.
        Quanto ao clima… melhor nem comentar. E o pior é que passamos frio dentro de casa, pois a qualidade das construções é péssima…
        Lendo sobre Petrópolis comecei a fica preocupada e até mesmo comecei a repensar esta opção. Acho problemático tudo o que foi falado a respeito da cidade. Mas isso é Brasil, quer qualidade de vida de verdade, vai pro Canada. Já que quero me mudar de Curitiba de repente vou ver opções no interior de sp. É uma forma de ainda ficar no Brasil.
        Claro, esta é a minha opinião…cada pessoa tem uma experiência.
        Carol, parabéns pelos posts, muito esclarecedores. Aliás, fala-se tão mal do Rio, mas esse jeito prestativo, tranquilo e atencioso que vocês tem já é um bom motivo para querer morar aí. Não que não tenham suas exceções, mas ainda assim não se compara com os outros estados.

      • Lidia disse:

        Maira:
        Eu moro em Curitiba há 21 anos, ando por todos os lugares (a pé) e NUNCA fui assaltada.
        Morei no Batel durante 12 anos e lá também nunca me aconteceu nada.
        Quanto aos motoristas acelerarem o carro para atropelar os pedestres, isso é a pura verdade. Tem que se cuidar muito, e só atravessar com o sinal fechado.
        Eu estudo na UFPR, fiz estágio na Coordenação de Letras e presenciei muitos alunos, terminando um curso e iniciando outro. O que acho errado, pois tiram a vaga dos outros.
        Os professores, na sua maioria (não todos) são mesmo fracos, mas penso que esse problema é geral, pois os cursos de Licenciatura atualmente, deixam muito a desejar.
        A Universidade Positivo só tem aparência. É caríssima e muito ruim.
        Se você está reclamando do frio daqui, prepare-se para encarar um frio dez vezes pior em Petrópolis.
        O frio de Curitiba é mais seco, enquanto o de Petrópolis é úmido (a Carol que o diga).
        É daquele tipo de frio que penetra nos ossos e doi até na alma. Sem contar os dias infindáveis de chuva e neblina.
        Vou lhe contar um segredo: eu viajei por todo esse Brasil, de norte a sul, procurando um lugar ideal para morar (foram oito anos de busca).
        Depois de ter viajado para alguns países da Europa e duas vezes para os EUA, escolhi os EUA para morar e lá finalmente, acreditei encontrar o que estava procurando.
        Onde eu morava (Boca Raton), parecia uma cidade cenográfica, de tão perfeita.
        Imagine um mar azulzinho, com praias de areias brancas de um lado e do outro, um rio (intercostal) com belíssimos iates circulando. No meio disso tudo, construções de cair o queixo e de entortar o pescoço.
        Eu pensei que estivesse vivendo um sonho, do qual não queria acordar jamais.
        Porém, o sonho terminou, pois aconteceu o famoso atentado terrorista e achei melhor voltar para o Brasil.
        Os terroristas que provocaram o atentado, estavam morando no mesmo condomínio que eu.
        Cheguei até a tomar banho de piscina com alguns deles, sem saber de nada.
        Quando voltei para o Brasil, durante muito tempo, senti-me como um peixe fora d’água, dentro do meu próprio país.
        Decidi então vender o meu apto do Batel e comprar uma casa em Camboríu, mas não consegui me adaptar, nem com o calor e nem com o povo de lá.
        Dessas minhas idas e vindas, eu tirei uma lição preciosa: não existe um lugar ideal para se viver.
        Quando é lindo, como os EUA, pode ser vítima de atentado (e de crise econômica)
        Quando não sofre esse tipo de violência, como o Brasil, é uma verdadeira zona.
        Não chego a extremos, afirmando, que o lugar perfeito está dentro de nós, mas diria que está dentro da nossa casa.
        Um cantinho, que possamos chamar de lar, não importa onde: na praia, na montanha, no campo…tanto faz.
        É lá que devemos nos abrigar, nos aconchegar, nos proteger, porque o mundo inteiro está muito complicado (sem exceção à regra).
        Palavra de quem conhece boa parte do Brasil e do mundo.
        Caso você encontre o seu cantinho, venha nos contar.
        Eu também não pretendo ficar o resto da minha vida aqui, mas apesar dos pesares, Curitiba ainda é melhor do que Petrópolis.

      • Só reforçando o que a Lídia disse: existem frios e frios! E cheguei a mencionar isso no texto. Em Petrópolis, por ser muito úmido, temos que ficar usando casaco impermeável e botas, porque se não for assim, sem a gente perceber, vai entrando aquela umidade pela roupa e quando você se dá conta, já está tossindo e ficando doente por conta disso. Sem falar no mofo mesmo! Por isso digo que quem quer se mudar pra cá precisa escolher muito bem o lugar e a casa que vai morar, porque se for uma que favorece o mofo, já era! É doença na certa!

      • Obrigada, Maria! Bem, fico meio que com o coração na mão quando alguém diz que repensa o fato de querer morar aqui por causa do que leu no blog… Então, são opiniões bem pessoais. Tem duas pessoas que me pediram informações pelo blog e que se mudaram pra cá, ainda não fizeram nem 6 meses de mudança, mas estão adorando! Pra mim, a questão do frio afetar minha saúde me encomoda bastante, bem como a falta de perspectiva de crescimento na cidade. Mas bem, sou professora, ganho mal aqui como em qualquer lugar do Brasil, rs… Mas mesmo assim, qualquer curso de especialização na minha área, preciso descer pro Rio pra fazer, o que torna tudo bem mais caro. Enfim, algumas coisas vão encomodar mais algumas pessoas, sendo que essas mesmas coisas podem passar despercebidas por outras… São questões muito pessoais mesmo! Mas espero realmente que encontre um bom lugar pra você morar, viu, Maria?

        Beijo!

      • Sim, Lídia, muita droga e poucas opções de lazer para adolescentes e jovens. Essa semana ainda saiu uma reportagem sobre o aumento do consumo de bebidas alcoólicas por menores de 18 anos e a grande quantidade deles que são atendidos nos hospitais em coma alcoólico em Petrópolis.

      • Pilar disse:

        Oi Lidia, li os seus comentários…eu tambem sou do Rio e estou em Curitiba. Tenho planos de retornar ao Rio e pensei em ir para serra, uma vez que os preços dos imóveis estão aparentemente mais baixos que o Rio e que Curitiba. Gostaria de conversar pois me identifiquei com alguns comentários seus. Moro em frente à Praça Japão com duas filhas. Meu email é m.pilar@terra.com.br Um abraço, Pilar

      • Lidia disse:

        OIá, Pilar:

        Vou entrar em contato, através do seu e-mail, para conversarmos melhor.

        Beijos.

    • Reforço: depender da saúde daqui, SÓ COM PLANO DE SAÚDE! Aí sim terá um tratamento decente! E prefiro fazer consultas e ser atendida nos hospitais aqui a fazer esses procedimentos no Rio! Mas repito:com plano de saúde!

  81. Gilberto disse:

    Fiquei impressionado com o tempo de existência “ativa” do seu post: praticamente dois anos de comentários constantes. Realmente o seu texto está muito bem escrito. Já morei por três anos em Petrópolis (1971, 1972 e 1973), perto da fábrica de café solúvel, na estrada do contorno. Agora, estou construindo uma pequena casa na Fazenda Inglesa. Pretendo ir morar lá e continuar a trabalhar no Rio por mais uns quatro ou cinco anos até me aposentar, e então ir de vez para o frio da serra. Para me defender, pretendo instalar piso aquecido na casa: sai um pouco caro no início mas depois precisa pouca manutenção e você evita uma série de problemas com mofo, umidade e doenças típicas do frio

    • Oi, Gilberto, muito obrigada por comentar! Pois é… é uma das coisas que sinto que falta em Petrópolis: casas, restaurantes, etc. adaptados ao frio daqui! Boa sorte na construção da casa!

      Grande abraço!

  82. Lidia disse:

    O texto abaixo, foi postado em outro blog (não é de minha autoria). Parece que as opiniões sobre Petrópolis, são unânimes em muitos pontos:
    “Moro na cidade de Petrópolis, RJ – cerca de 300 mil habitantes, vejo as mesmas pessoas todos os dias; o trânsito é infernal; a cidade não tem para onde crescer; a família imperial breca tudo; o custo de vida é mais alto do que no Rio de Janeiro; as faculdades são umas merdas; enfim, é uma cidade do interior sem as vantagens do interior. O povo foi contaminado com o “sangue azul” e para tudo demonstra sua arrogância e prepotência, logicamente acapangada de ignorância, para todo e qualquer assunto.”
    Confesso que fiquei mais alividada, pois achei que estava sendo crítica demais.

  83. Jéssica Vasconelos disse:

    Depois desse texto tô apavorada. rs’
    Sonho em morar em Petrópolis e creio que dentro alguns anos eu vá pois passei no concurso da Prefeitura…
    Espero que estar ai na prática não seja tão traumatizante quanto na teoria.
    Beijos

    • Oi, Jéssica! Parabéns pelo concurso! Bem, cada organismo reage de um jeito, né? Pra mim, a adaptação tem sido lenta e no começo foi bem difícil, mas graças a Deus o ser humano é adaptável, rs! Espero mesmo que goste de morar aqui!

      Beijos!

  84. Lidia disse:

    Oi, Carol:
    Aqui em Curitiba, está fazendo UM GRAU NEGATIVO.
    Não reclame do frio de Petrópolis, minha flor, porque existem lugarem muito piores.
    Todo inverno, eu juro que vai ser o último que passo aqui. Eu não sou pinguim e nem urso polar.
    Bjs

  85. Lidia disse:

    Console-se comigo, porque eu estou parecendo uma múmia, com três blusas, meias e calça de lã e cachecol enrolado no pescoço e na cabeça (só o nariz e a boca estão de fora).
    Vou plagiar você: EU ODEIO MORAR NUM LUGAR FRIO.

    • Hahahaha… Esse ano estou me surpreendendo com Petrópolis! Ainda não fez aquele frio de doer e toda semana o sol está aparecendo por aqui! Coisa rara! Tô feliz com esse clima! Ainda não precisei sair de casa igual a um astronauta!

      Beijos!

  86. Nina disse:

    Queria ver vcs em um lugar como aqui. que o frio inicia em outubro no outono, começa com 15° termina com 7°….novembro nao passa dos 5° dezembro janeiro favereiro e março maximo 3°, mais normalmente esta abaixo de zero, chegando a 17° negativo rsrsrs, abril maio12° 17° maximo, so o verao q tem calor…hehehe

    • Lidia disse:

      Nina:

      Acontece que nós estamos no Brasil e não no exterior (como você).
      Como vivemos em um país tropical, não precisamos sofrer com frio, pois
      existem climas para todos os gostos.
      Além do mais, você se esqueceu de um detalhe: as casas no Brasil, não tem sistema de calefação, como no exterior.
      Nem aquecedor podemos usar, porque aumenta horrores a conta de luz (somos brasileirinhos pobres).
      Eu já morei no exterior, e dentro de casa e nos demais ambientes fechados, nunca senti frio ou calor. Era tudo CLIMATIZADO.

      • Alexandre disse:

        Boas!!!
        Tudo climatizado… depende muito do lugar/país que se está. Se for Canadá, Escandinávia, Bélgica etc, é comum que a casa esteja preparada, devido ao frio intenso durante a maior parte do ano. Agora nos lugares em que o clima é temperado pode encontrar-se em situação pior que aqui. Portugal por exemplo as casas/predios menores são contruídos usando placas de concreto armado e depois acabamento, usualmente nem sonho de isolamento térmico e vidros duplos. Assim, mesmo em Lisboa que não é dos piores (imagine no norte), no verão as casas estão muito quentes e abafadas dentro e fresco do lado de fora (~25ºC), e no inverno estão extremamente frias e húmidas dentro, e nem tanto fora, chega dá pra sentir um “calorzinho” quando sai de casa no inverno com uns 2/0ºC na rua – calefação é coisa rara, comum somente aquecedores portáteis que também vendem aqui. Se for um prédio da época pombalina (com uns 200 anos) em que ouve-se os vizinhos de baixo conversando baixinho, então…

        Abraço!!!

      • Lidia disse:

        Alexandre:

        Não é só no Canadá e nos países nórdicos que as moradias são climatizadas. Nos EUA (onde morei) e nos demais países da Europa (onde visitei), as moradias tem sistemas de calefação e climatização.
        Eu estive na Europa em pleno inverno, visitei vários países (inclusive Portugal) e não senti frio em nenhum lugar.
        Em Portugal, também existem construções antigas, bem feitas e calafetadas. Tudo depende do poder aquisitivo do morador (como aqui no Brasil).
        Dizer que Portugal inteiro é feito de construções de blocos de concretos, é forçar demais, não acha?
        Ainda mais, que qualquer um sabe que no pais existem construções históricas, (inclusive palácios) espetaculares.
        O português é um dos povos que melhor constroi. Quer um exemplo disso? A bela e histórica Petrópolis, que foi construída pelos portugueses.
        Portugal é um país lindo, mas como em todo o lugar, existem boas construções e as famosas “vilas de lata”, habitadas na maioria por imigrantes.

      • Alexandre disse:

        Boas!!!

        Claro, que vai do poder aquisitivo, mas em Portugal o padrão das contruções é aquele mesmo, é ruim no frio e no calor (por exemplo, morava na Lapa – Av. Infante Santo, em Lisboa, que é uma das zonas mais nobres (embaixadas, ministérios, gente rica etc.) e os predios são relativamente novos, e o padrão era assim). Se quer um bom exemplo, caso vá a Portugal no inverno, visite a Universidade de Lisboa, faculdade de direito, letras, qualquer uma… Não há caldeira (havia mas retiraram numa obra há não sei quantos anos), as salas são um gelo (que adoro) e essa é uma das mais bem estruturadas de Portugal… (também pode ir ao Ministério Público, etc.) Tipo, se fica num hotel ou imóvel mais preprado para turistas (ou shoppings) é mais provável que tenha um bom isolamento, mas não é o padrão do país. :-/ Eu estudei em Lisboa 2 anos, e essa é uma reclamação geral. Uma amiga proxima da Antuérpia “quase congelava” na casa dela em Lx. hehehe Agora o que não sei é como se dariam os custos (inclusive técnicos) de isolamento e calefação uma vez que lá há forte aumento dos custos de obra em razão do fator terremotos. Desde a época pombalina (foi o primeiro lugar do mundo a fazer isso) todos os prédios são contruidos com sistema de proteção para terremotos (inclusive eu estava lá no terremoto de 2009 \o/ de 6 graus e estou inteirinho hehe, não caiu nada). Claro, também, se for um quarto ou um cômodo pequeno um bom aquecedor portátil resolve (às vezes usava pra secar roupa), mas nesse caso não é um sistema de calefação centralizado com uso caldeira ou canalizado como o da Islândia.

        Abraço!

      • Lidia disse:

        Portugal é o país mais quente da Europa, e além do mais o frio é seco (como na Espanha e na França).
        Agora, quer ver o cão chupando manga, o capeta, o belzebu?
        Venha para CURITIBA.
        Há semanas que não vejo uma réstea de sol. Às 3 horas da tarde, já está tudo escuro, parecendo noite.
        A sensação térmica é de gráu abaixo de zero, com aquela chuvinha fina, que não passa nunca e com 100% de umidade.
        O mofo tomou conta de tudo, dos utensílios de plástico, das roupas e até de mim.
        Estou literalmente mofada, triste, depressiva e desesperada por um SOL…uma simples restinha de sol.
        Se eu não tivesse casa própria, já teria posto a minha mudança no caminhão e me mandado para um lugar quente (qualquer lugar, bem longe desse sul congelante).
        Vou vender o meu apto, pois eu juro, que esse é o último inverno que passo aqui.
        Ah, esqueci de dizer: as casas aqui não tem calefação (nem sabem o que é isso) e aquecedor nenhum consegue aquecer esse INFERNO GELADO, chamado Curitiba.

      • Alexandre disse:

        Boas!!!

        Eu gosto de frio, não gosto de calor, e Curitiba também faz um calor infernal quando dá pra fazer calor… Os tais veranitos, que segundo um amigo de Curitiba têm sido cada vez mais frequentes, longos e quentes – que ele já chama de “verãosões”.
        Na verdade a Grécia tem uma temperatura média maior que Portugal. :-P
        Quanto a Portugal ser seco, somente no Alentejo, onde plantam grande parte das videiras e as oliveiras (que por sinal é quente como o sertão no verão) e arredores, no sul, na parte Central onde está o tejo e no Norte (plantam outro tipo de videiras) há bastante humidade, até porque é um país pequeno com mar ao sul e oeste e com o Tejo no Centro. Na França o clima já varia bastante, a parte seca é mais nas regiões que ficam no centro-sul que não recebem muita chuva, as regiões que ficam à centro-norte não são secas. No noroeste, como Dunkerque, Lille etc. o clima é o mesmo (ou muito similar) do britânco, belga, holandês – tempo permanentemente nublado e chuvas diárias, com raros dias de sol. Mesmo Paris já costuma chuver bastante, no verão hora chove, ora tá sol (esse tipo de coisa me irrita bastante, no geral tipo primavera – entra no metro tá sol, sai do metro tá nublado e chovendo :-( ). Espanha, como Itália também, não sei nada porque nunca fui, já que não há nada que me interesse e os idiomas me irritam. :-P Além dos espanhois (e italianos da parte centro-sul) serem muito barulhentos e desorganizados – casa de um espanhol médio costuma ser uma zona – pra isso já tenho o Brasil mesmo. :-P
        O problema da lareira, quando é muito frio, é que o ambiente em que ela está precisa ser bem isolado (no interior costuma ser pois usam muita madeira nas construções), caso o contrário o calor se dissipa e não esquenta bem o ambiente (lembrando que a maior parte do calor já vai embora pela chaminé), assim teria que ficar colado nela se esquentando. De qualquer forma não morro de frio em lugar nenhum (hehehe), até porque gosto de sentir frio, o ruim é a humidade destruindo coisas… Gosto de fogão à lenha quando tem as tais serpentinas para esquentar água pro chuveiro, já tomei muito banho quente de água de serpentina em Bom Jardim, próximo a Nova Friburgo. Economizando eletricidade. \o/

        Abraço!!!

      • Nossa! A coisa tá realmente feia por aí! Pelo menos quando a coisa tá preta por aqui eu tenho a esperança de que posso descer pro Rio e pegar um final de semana de sol, ou de uma temperatura mais amena.

        Sorte pra você, Lidia!

      • Então Petrópolis imitou as “vilas de lata” de Portugal, só pode! Não entra na minha cabeça você morrer de frio em casa, no local de trabalho, no happy hour… E ainda tem mais, Petrópolis é conhecido como “Chuvópolis” não é à toa, mas a prefeitura ainda insiste em eventos ao ar livre! Ano passado meus alunos participaram de um Auto de Natal em frente à Câmara dos Vereadores. Estava chovendo muito e não custava nada os organizadores do evento terem colocado uma tenda! Resultado: o moço da sonorização desesperado com o equipamento de som pegando chuva, os músicos desesperados com seus instrumentos pegando chuva, os atores e cantores pegando chuva, o público pegando chuva… Pouco tempo antes do evento pensaram até em cancelar tudo e adiar para o dia seguinte, só que como a previsão do tempo era de que teríamos chuva pelo restante da semana, nós decidimos fazer a apresentação naquele dia mesmo. Enfim, decepcionante! Tudo por causa da falta de preparo!

      • Alexandre, tem certeza de que você descreveu o que acontece em Portugal? Pois caiu como uma luva no que acontece em Petrópolis!
        Então tá explicado! Preconceitos à parte, Petrópolis é bem colônia de Portugal mesmo! Com direito a tudo de “esquisito” que vem da cabeça dos portugueses, rs!
        (Ô, gente, é brincadeira, viu! É apenas uma piadinha de humor negro! :P)

      • Exatamente, Lídia! Nada aqui é preparado para o frio! Como eu já disse: na casa onde moro o chão é frio e na maior parte das vezes dentro de casa fica mais frio do que do lado de fora! Aqui parece que funciona como uma geladeira, sei lá… E meu pai saiu instalando torneira quente pelas pias e comprou aquecedores, mas a conta de luz andou vindo tão alta que desistimos de usar tudo isso e preferimos deixar que o frio nos torture mesmo…

        Beijos!

    • É por isso mesmo que nasci no Rio de Janeiro, Nina! Papai do Céu me colocou lá já não foi à toa! Nasci pro sol e calor, rsrs!

      • Carolina disse:

        Morei em Sao Paulo por 8 anos..Deus me livre, além de ser uma cidade fria em todos os aspectos( clima, pessoas), é feia….Por mais que falem mal do meu Rio de Janeiro, não troco por cidade nenhuma.. nem do Brasil e nem da Europa…Não acho que os Carioca são Oba-oba acho que os Cariocas são felizes, são simples..acolhedores….Lógico que tem Carioca B, mas isso tem em qualquer lugar….Frio para mim, só 3 dias por ano e olha lá!!! Amo o Rio de Janeiro, apesar de todos o problemas…

      • Oi, Carolina! Muito obrigada por comentar! Também concordo com você! Não sei se não trocaria o Rio por nenhuma outra cidade, mas que gosto muito de lá, isso é verdade!

        Beijos!

  87. Alexandre disse:

    Boas!!!

    Tou pensando em mudar-me para Petrópolis, mas não sei ainda o local exato que quero viver, pois já faz muitos anos que não vou por aí… De uma maneira geral o bairro de Bingen, principalmente pra quem trabalha no Centro do Rio diariamante, é bom (usalmente fora de risco)?
    Morei muitos anos na Europa e o único problema que tinha com o frio era a humidade nas roupas etc, que resolvi facilmente usando um desumidificador (não tão baratos por aqui). O que realmente, e muito, odeio é viver perto de praia – a maresia destruindo tudo (nesse caso o desumidificador ajuda mas não resolve o sal)… Odeio praia. hehe

    Obrigado!!!

    • Olá, Alexandre! Ainda bem que no Brasil tem clima pra todos os gostos, né? Então, o Bingen é bom pra se morar sim, e fica bem pertinho da BR que leva pro Rio! É só procurar um lugar legal por lá que você encontra! O trânsito na cidade tem estado bem ruim em determinados horários e morando no Bingen você economiza tempo! Agora quanto ao mofo, nada resolve por aqui. Até ALIVIA temporariamente (que é diferente de RESOLVER temporariamente). Não conheço nada que dê jeito no mofo daqui não…

      Abraço!

      • Alexandre disse:

        Boas!!!

        Não desista!!! :D
        Quando falei em desumidificador falei em algo assim

        http://komeco.com.br/?c=produtos_climatizadores&m=exibir&id=7

        ou talvez mais potente (evidentemente há outras marcas etc.), porém, como havia dito não são baratos:

        A capacidade de desumidificação vai variar de acordo com o ambiente. Ela é maior tanto quanto é maior a humidade e maior temperatura, e é menor quando a humidade é baixa e também a temperatura, evidentemente. Em petrópolis com a humidade bastante alta e a temperatura razoávemtente baixa deve dar um bom resultado, mas não tanto como daria na Amazônia :P Alguns modelos, não sei esse em particular, tem como ligar um dreno contínuo, assim pode deixar ligado direto (não creio que aumente muito a conta) sem precisar esvaziar o container d’água.

        Coloquei esse fabricante pois, relativamente aos outros produtos (ar condicionado e aquecedores principalmente), têm falado que são de tão boa qualidade e confiabilidade quanto as marcas tradicionais e costumam custar 30% menos (é o que dizem).

        Abraço!!!

      • Obrigada pela dica! Que falta faz um sol… rsrs

  88. Lidia disse:

    Caroline:

    Eu conheço bem Chuvópolis.
    No dia do meu casamento, caiu um toró de derrubar o mundo.
    Eu morava em uma casa de escadas e tive que descer as mesmas, com o vestido e o véu enrolado na cintura (cheguei na igreja toda desmantelada).
    Na recepção (feita para 300 convidados), não apareceu ninguém, somente os parentes. Os garçons sairam carregando uma quantidade enorme de comida e bebida que sobrou.

    • É assim mesmo, Lidia! As pessoas não saem de casa, a não ser por obrigação, como trabalhar! Fora isso, não se animam pra mais nada! É muito frio e muita chuva nessa cidade! Vou te contar!

      • Lidia disse:

        Por tanto não há contradiçao de minha parte e sim incapacidade de interpretação em língua portuguesa da sua…

        Esse é o típico argumento de quem não tem argumento.
        Sei interpretar texto muito bem (sou Acadêmica de Letras Português/Literatura de uma Universidade Federal).

        Construções sólidas, são sinônimo de proteção para calor e frio, pois quanto mais grossas forem as paredes, mais agradável é a temperatura interna.

        Adeus

      • Alexandre disse:

        Não, Não Não. Física básica. Vai depender do material, certos materiais conduzem melhor calor e outros não. Por tanto se tiver uma construção totalmente de ferro, usando um exemplo radical, dentro dela congelará quando frio e ‘assará’ quando calor, e mesmo assim terá uma construção bastante sólida, inclusive devido a usual flexibilidade do ferro, principalmente quando comparado ao concreto. No caso prático de Portugal, lá usam vigas de 1 polegada ao invés dessas (acho que 1/4) finas usadas nas contruções aqui (onde usamos 4 finas, usam ao menos 6 de 1 polegada), para que possam absorver o impacto de terremotos de forma segura e, mesmo que o o concreto se parta a contrução permanece em pé. Por tanto, é plenamente sólida mas não é adequada nem a calor nem a frio sem que adicione isolamento de material adequado (o que usualmente não fazem). Se não acredita basta procurar nos anuncios imobiliários, comumente colocam “prédio de placa” como um plus.

        Nem precisei procurar muito: http://www.donkiz.com.pt/redir?rd=s&z=c&w=7BD035564CD86D39&o=4B90386F19CC57820F19ED89D42EAD6861864C7DF6090DA72F6C03BE60719B2C490862689E1A7E290E258C26F856260C293946228096B3C75E8A9B9B432444B9&rq=7D984EBD89FAEBDF00A6D49B2E0CB6BAA4AA2073B49AD6A7067DC3EEB0A632E107B197F4828307B3

        Abraço!!!

  89. Lidia disse:

    O melhor sistema de aquecimento que existe é a velha e boa LAREIRA. Ou um bom fogão à lenha na cozinha, com uma panela de pinhão e um quentão de vinho de colônia. Dentro de casa ninguém sente frio.
    Esse tipo de aquecimento é muito usado, nas cidades do interior do Rio Grande do Sul.
    Quem morre de frio, somos nós, que vivemos em cidades grandes, ditas civilizadas.

  90. Lidia disse:

    Alexandre:
    Parece que você conhece mais o clima de Curitiba, do que eu que vivo aqui há 21 anos. A propósito, o termo certo é veranico e não veranito, e este não costuma durar semanas e sim, uma semana, no máximo.
    Quanto ao clima da Europa, eu visitei vários países e senti, na pele a diferença entre o clima seco e o clima úmido.
    Dispenso aulas de climas de cidades européias, porque questionei o que você falou sobre as construções ruins de PORTUGAL, porque não é absolutamente verdade. Tanto que você se contradiz, ao afirmar que as construções são tão sólidas, que resistem até a terremotos, e que Portugal foi o primeiro país a contruir moradias imunes a cismos. Copiei aqui o que você postou:
    “Desde a época pombalina (foi o primeiro lugar do mundo a fazer isso) todos os prédios são contruidos com sistema de proteção para terremotos (inclusive eu estava lá no terremoto de 2009 \o/ de 6 graus e estou inteirinho hehe, não caiu nada).”
    Vamos encerrar o papo por aqui, porque este forum é para discutir sobre FRIO das cidades brasileiras e não para falar sobre temperaturas da Europa ou do raio que o parta (esse é um termo bem português, que ouvia sempre da minha família PORTUGUESA).

    • Alexandre disse:

      Como queira…

      Mas nunca disse que as contruções portuguesas não são sólidas, disse que não são adequadas nem para o calor, nem para o frio, sendo termicamente inadequadas em ambos os casos. Por tanto não há contradiçao de minha parte e sim incapacidade de interpretação em língua portuguesa da sua…

      Abraço!

  91. Nossa! As cidades podem até estar frias mas a discussão está quentíssima, rs!

  92. Lidia disse:

    Carolzinha:

    Você não sonha em morar em um lugar bem ensolarado, com um clima ameno e com chuvas bem distribuídas ao longo do ano?

    Um lugar, onde depois de uma boa chuva, o sol voltasse a brilhar logo em seguida, com um lindo arcoíris enfeitando o céu.

    Um lugar onde não precisassemos andar como múmias, enroladas em casacos, blusas de lã, gorros, luvas e cachecóis. Mas, que também não transpirassemos como cavalos de corrida.

    Um lugar onde não tivessemos mais ites (sinusite, amigdalite, etc).

    Um lugar, onde ao acordar, pudéssemos escancarar as janelas, para deixar o sol entrar.

    Um lugar onde pudessemos dormir com as janelas abertas, curtindo o frescor da noite.

    Estou buscando um lugar assim, porque viver em lugar muito frio ou muito quente? NEVER MORE.

    • Ai, Lidia, e como sonho, viu? É difícil encontrar um meio termo! Só sei que sempre quando viajo pras terras do nordeste, não tenho vontade de voltar nunca mais pra cá! Volto com o coração na mão, triste mesmo! Mas como a gente não pode ter tudo o que quer, o jeito é se conformar, pelo menos por enquanto. =/

  93. paula bernades disse:

    AMADA, eu sei doque vc ta falando , sou carioca e atualmente to morando em santa catarina ..eu quiz arrancar cabelos .corta pulso .e so estou ha 5 meses , ate o calor aqui e diferente…meu amado um estrangeiro adora frio ..logico ate minha agua oxigenada tem que ser quente hahahha abafa ,mas a parte boa e que eu dou perdido e vou para meu amado rj ..aos fins de semana e feriados e prolongo …mas garanto que naun tenho sindrome de pinguin ..bem que no exterioe so vou para passear ..e ai passeio tudo e maravilhoso , porem morar …eu sou inimiga de frio e chuva . adoro sol e cabelos ao vento pessoas bronzeada .. no frio so vejo pessoas encapada e palida ,no no frio nem brozeamento artificial resolve a palidez .

  94. Carol disse:

    Eu amoo… demais minha cidade,ela é fria porque fica na região serrana do rio,então é normal.
    Morar em Petrópolis é um privilégio,trânsito tem sim como qualquer outra cidade,por exemplo:o rio.
    Eu acho a cidade muito limpa,linda,charmosa,otima de se morar.
    Eu também até que gosto um pouco do rio,mais só algumas das partes da zona sul,porque só quem já desceu a serra é que sabe o cheiro horrível de esgoto e peixes estragados que tem naquele mar perto daquelas favelas.
    Então não tenho o que reclamar de Petrópolis.

    AMO PETRÓPOLIS

  95. antonio disse:

    Sou Aqui de Campo Grande/ms, não temos um clima serrano, mas durante o inverno podemos dizer que conhecemos um poquinho de frio, pois temos temperaturas de zero a 10 graus positivos, tivemos um recor no ano de 1975, aqui em que chegou a 3,4 graus abaixo de zero e no verão faz de 38 a até 40 graus,nos dias mais quentes.Para quem é de região serrana Campo Grande é quente, mas Porto Alegre no RS, também faz frio de zero e calor de 40 graus, o clima serrano é mais estavél, não esquenta demais e as vezes não esfria tanto como Porto Alegre por,ex dependendo da altitude da cidade.

  96. Emmanuel Távora Freire disse:

    Caroline Camargo,
    Boa Tarde!
    Sou de Fortaleza-Ceará e moro há 5 anos aqui. Olha sinceramente Deus que me perdoe falar isso mas já sofri mais do que suvaco de aleijado. O lugar ruim de se morar.
    É por isso que aqui a gente não vê mulheres grávidas e nem crianças nas ruas . Como é que faz sexo e meninos num frio de lascar desses? lNem em. dando uns tapinhas no papo do pirú. e dizendo : “Te anima pirú ! “ Não. resolve! Só. muita paciência. e amor ao próximo !
    Nunca ri tanto na minha vida de algo tão engraçado porém verdadeiro . Amei cada palavra que você escreveu. Você é única !
    Agora mesmo 13:53 domingo,8/07/2012 Bingen estou deitado na minha baladeira(rede) todo enrolado nos cobertores parecendo um patinho mergulhaõ só. com os olhinhos de fora olhando para a janela e posso te garantir que não vejo simplesmente nada lá fora a não ser uma imensa nuvem branca !
    Gostaria de sugerir à você que escrevesse algo sobre nos Cearenses não. termos um espaço aqui na cidade como uma feirinha de produtos artesanais e ao mesmo tempo para encontrar nossos conterrâneos para matar a saudade e trocar ideias. Que você acha? Se escrever me avisa.
    Gostaria muito de manter contato com você .
    Meus contatos são :(24)88548101 Oi (24)99799229 Vivo e (24)81313949 Tim: Você e eu sem fronteiras !
    Parabéns !
    Um forte abraço.
    emmanueltango@hotmail.com

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… Ri muito com seu comentário, Emmanuel! Hoje então, tá é frio demais aqui nessa cidade! E quanto aos cearenses não terem espaço por aqui, nessa terra só lembram mesmo dos extrangeiros europeus e japoneses! Já tentaram fazer aqui algo sobre os negros também, mas não vingou!

      Forte abraço pra você também! Espero que os cobertores estejam dando conta, rs!

  97. Nina disse:

    oláaa pessoal, quanto tempo!!! to vendo que o assunto frio por aqui ainda continua firme. kkkk dia 13 fez um mês que estou no Brasil, graças a Deus. pq a italia tá pegando fogo, dia 29 estarei retornando e já imaginando que ainda teremos o mês de agosto de calor. aqui na minha cidade que é maceió, tá uma temperatura otima, estamos no inverno, e sempre tá chovendo. a maxima por aqui tá em torno de 25graus, pra mim tá otimo. pois odeio muito calor, não posso negar que já estou com saudades da minha amada Italia, e da minha familia Italiana…bjss a todos

    • Opaaaa! Que bom que apareceu, Nina! E que invejinha de você estar em Maceió! Adoro sua cidade! Em Petrópolis, diferente dos outros anos, tem feito sol e até calor nesse inverno… Tô até com medo, rs!

      Beijos!

  98. [...] viaPor que eu odeio morar num lugar frio « Caroline Camargo. Rate this:Gostar disso:GosteiSeja o primeiro a gostar disso. Esta entrada foi publicada em 19/07/2012, in PQ RIR, é o melhor remédio…. Crie um bookmark para o link permanente. Deixe um comentário [...]

  99. Maria disse:

    Oá Carol! Adorei o seu blog. Estou indo morar em Petrópolis no início de 2013 e não tão entusiasmada pelo que tenho lido. Me diz uma coisa, Itaipava, Correias e Nogueira têm um clima um pouco melhor? Tenho procurado imóveis nestas regiões pois me falaram que são mais ensolaradas, portanto, menos úmidas…(e o trânsito é pior nesses locais?).
    *Tenho feito contato com várias imobiliárias mas se puder me indicar alguma de confiança ficaria super grata :)

    Outra coisa, estudo Psicologia e quero transfirir o meu curso para a Universidade de Petrópolis. O site deles mal funciona, mas por telefone me parecem muito solícitos, você sabe me dizer se a universidade é razoavelmente boa? não tenho expectativas muito altas para a qualidade do ensino, pois estudo numa puc e não acho o ensino lá essas coisas e a mensalidade é mais do que o dobro da UCP. Meu único medo é que seja muito ruim e me arrepender tarde demais…

    Espero que possa me ajudar.
    Um abraço!

    • Olá, Maria! Obrigada por comentar! Vou enviar as informações por email, ok?

      Grande abraço!

      • Maria disse:

        Oi Caroline, obrigada! vou aguardar seu contato :D
        Talvez vá para serra no próximo mês e então vou poder analisar melhor. Na verdade o que mais me preocupa é não gostar da UCP e a vida social (ou falta dela) em Petropólis….
        Um abraço!

      • Mariaaaaaaaa! Respondi seu email! Demorou mas agora foi, rs!

        Abração!

  100. Nathy disse:

    Oi caroline,
    Eu estou marcando uma viagem p/ patropolis com o meu namorado e mais um casal de amigos…. nós vmos em novembro.. eu moro no Rj, queria saber como fik o clima ai nesse mê… rola um solzinho de dia?? beijo

    • Olá, Nathy! Em novembro costuma rolar um solzinho sim, mas esse clima tá muito maluco! Eu simplesmente estou torrando há 3 dias aqui em pleno inverno! Um sol de lascar! Esse ano não fez muito frio aqui, nem cheguei a tirar meus casacos pesados do guarda-roupas! Mas também lembro que já usei botas no natal aqui de tanto frio que fez em dezembro de um ano desses… Enfim, é provável que o clima esteja quente ou ameno em novembro, mas não posso garantir, rs! Mesmo assim, não deixe de vir! E mesmo que a previsão do tempo diga que o tempo esteja bom, é obrigatório trazer casaco, pois mesmo em dias quentes, o clima costuma virar muito, sem falar na chuva! É melhor trazer casaco e não usar do que não trazer e sentir falta dele! Quem mora por aqui sabe muito bem disso, rs!

      Beijos!

  101. Patricia disse:

    Amei, Amei, tudo uma grande verdade. Moro em Curitiba e me sinto assim, dizer também que você será mais só pois ninguém quer sair de casa…..

  102. João disse:

    Achei esse blog por acaso e vi que tem informações bem interessantes sobre Petrópolis, moro no nordeste e estou negociando uma transferência para trabalhar em uma empresa que fica no Polo em Duque de Caxias, soube que algumas pessoas de lá moram em Petrópolis, fiquei assustado com os preços de aluguel no Rio, além da questão da segurança que assusta que é de fora, será que vale a pena escolher Petrópolis ao invés do Rio?

    • Olá, João! Seja bem-vindo! Então, creio que no quesito segurança, seja mesmo melhor morar em Petrópolis que no Rio, porém, trabalhando em Caxias, terá que pagar pedágio de ida e volta todos os dias, que hoje está no valor de R$ 8,00 (R$ 16,00 por dia). Realmente tem muita gente que mora aqui e trabalha em Caxias, é bem pertinho (da entrada da cidade no Quitandinha até Caxias se leva no máximo uns 40 minutos). Dependendo do lugar que se mora no Rio, se leva mais tempo pra chegar em Caxias do que daqui.

      Abraço!

  103. Antônio disse:

    Olá, Caroline

    Eu vou morar em Petrópolis em 2013 e gostaria de lhe pedir um favor: comentar/indicar escolas públicas em Petrópolis. Desde já eu lhe agradeço.

    Abraço

    Antônio

    • Olá, Antônio! Seja bem-vindo!
      Então, você não especificou as séries… quais seriam elas? Para os primeiros anos do Ensino Fundamental (1º ao 5° ano) as melhores escolas consideradas pelo IDEB foram, respectivamente, o Instituto Metodista de Petrópolis (sim, é uma escola pública até o 9° ano. Lá também tem o Ensino Médio, mas aí já é particular), a escola Santa Maria Goretti e a escola Robert Kennedy. Já nos anos finais do Ensino Fundamental (6° ao 9° ano), as melhores escolas foram, respectivamente, o Instituto Metodista de Petrópolis, a Escola Paroquial Bom Jesus e a escola Santa Maria Goretti. Todas as escolas que citei são municipais. Quanto às melhores escolas públicas do Ensino Médio, infelizmente não tenho essa informação.

      Abraço!

  104. http://nanynhajuli.blogspot.it/ disse:

    Oi Carol, de vez em quando dou as caras por aqui, sempre nesse post. rs e ai como tà agora? frio ou calor? aqui estamos no outono, o frio chegou hoje por aqui, dentro de casa sem aquecedores ligados tà 22°, por enquanto da pra ficar desligados. rs bjss

    • Oláaaaa!! Fico feliz que você “me visite” de vez em quando, rs! Faz tempo que não posto nada novo, sinto saudade de escrever, porém, ando com muita preguiça e sem inspiração! :( Quanto ao tempo aqui, ora chove, ora faz sol, ora faz frio, ora faz calor. Tá muito inconstante! Tem variado de 9° a uns 20° e pouquinhos, mas na madrugada chegou a 0° mês passado, rs! Esse ano ainda não liguei aquecedores aqui. Pra falar a verdade, esse ano não senti o frio insuportável que senti anos atrás. O frio pode estar atrasado ou realmente não deu às caras por aqui em 2012, rs.

      Beijão pra você!

  105. johnny clay disse:

    Adoro Petropolis … Eu resido em Duque de Caxias . Todos os anos subo a Serra , para curtir a Bauernfest , este ano estive no ultimo dia da festa num Domingo que foi bastante chuvoso , na rodoviaria do Bingen estava um frio nebuloso , fiquei com bastante pena do meu filho ( ele tem 9 anos ) , eu que sou adulto não estava aguentando , imagina uma criança … Amo Petropolis … Petropolis forever …

    • Hahaha… Johnny Clay, uma coisa é passar 2 dias de frio aqui, outra coisa é morrer de frio todos os dias! Mas como nos acostumamos a quase tudo na vida, já estou lidando bem melhor com o clima e com a rotina da cidade.

      Grande abraço!

  106. Carolina disse:

    Moro em Santa Catarina, onde tem as cidades mais frias em geral do Brasil. Aqui faz bastante frio no inverno em relação à média do Brasil, e não acho Petrópolis frio assim, 20º é fresquinho, não frio, para quem está acostumado com o frio daqui.

    Não tenho problemas com os quais você citou, pelo contrário. O inverno aqui é cheio de ritos, pegar lenha seca pelos dias de sol e armazenar para ops dias de chuva para colocar no fogão à lenha… e tudo mais.

    Para cada problema tem uma solução, como a água gelada, é só ter aquecedor na pia por exemplo.

    Brasileiro em geral não sabe lidar muito com um mínimo de frio, diferente de quem vive onde é muito frio, como na Escandinávia. Não se morre de frio lá, mas se morre de calor aqui, um infeerno.

    Prefiro o clima daqui, bem equilibrado, mas ainda prefiro o frio ameno

    • 20°??? Quando?? No verão, né? E aqui simplesmente NÃO EXISTEM DIAS DE SOL no inverno, e no verão chove! Como eu disse, lavar roupa aqui é uma aventura, pois só secam com secador de roupas ou atrás da geladeira. Mesmo assim, estou me acostumando com o clima daqui! E na região Sul as cidades sabem lidar melhor com o frio que aqui. Acho que aqui existe ma vontade mesmo!

      Muito obrigada por comentar, Carolina! Tenha um feliz 2013!

  107. carlos graça aranha disse:

    Olá Carolina, boa noite. Já havia visto esta página quando comecei a pensar em Petrópolis, digo, morar mesmo…estava só pensando e agora compramos aí uma casa. Vamos mudar em janeiro próximo para a Castelânea. Aqui no RJ, além do “tudo de ruim” que se possa imaginar, e, acredite, é tudo muito ruim mesmo e eu posso falar tranquilamente, pois nasci aqui, está um calor de deixar o “diabo” com assaduras. O maçarico está ligado no 220v o tempo todo. Favelas pacificadas ?!! vejam os jornais. Praias ?!! a maioria impróprias para banho, segundo o INEA, porém, poucos divulgam para não espantar a turistada. Violência controlada ?!!! KKKKKKkkkkkkkkkkkkkkk, pelo amor de Deus, contem outra. Olha, muito legal tudo o que li aqui, mas, me diga uma coisa se souber: É necessário ter um ar condicionado aí por conta do verão, ou um ventilador resolve ? É sério, parece brincadeira mas não é. Em janeiro tô aí com minha turma…esposa e dois filhos. abs.

    • Olá, Carolos Graça Aranha! Escrevi esse post faz um tempo, já estou acostumada à cidade! E realmente o que você falou sobre as praias do Rio, pude constatar a última vez que fui (janeiro de 2012)! Estão o caos mesmo! Pelo menos as da zona sul! Aqui, descobri uma atividade que passei a amar: o montanhismo. Aqui é a terra de belas montanhas e cachoeiras, achei uma alternativa para as praias. Quanto a precisar de ar condicionado, esse ano comecei a cogitar a possibilidade. Nunca havia passado tanto calor aqui, mas esse verão está tenso. À noite costuma estar mais fresco, mas mesmo assim, dentro da minha casa estava fazendo muito calor.

      Espero que você e sua família goste da cidade!

      Abraço!

      • WILLIAM disse:

        Caroline, vc menciona que já está acostumada à cidade de Petrópolis. Vc mudou da residência inicial ou continua morando no mesmo local? Pergunto isso porque às vezes é o local no qual se reside que favorece as alergias e problemas de respiração. Um local arejado, claro, e com algum sol, ainda que frio, ajuda bastante. Caso vc tenha se mudado, em qual bairro passou a residir?

      • Continuo no mesmo lugar, William, mas mudei de quarto, rs. Fez toda a diferença. Sem falar que no ano que escrevi o post, foi um ano muuuuuuuuito frio. Todos os dias foram cinzas também, nunca sol. Sinceramente, ano passado e esse ano nem frio senti. Hoje, em pleno junho, até fez sol e senti calor! Acho que Petrópolis fez aquilo só pra me assustar, rs. Agora a cidade me assusta mais com as chuvas mesmo! Essas, sim, me incomodam mais que o frio.

  108. angelica disse:

    … e eu inocentemente, que sonhava em morar em Petrópolis…depois de pesquisar e ler este post, desistir.
    Já fui à Rua Tereza, num dia de lindo sol e calor, e pelo visto, foi um dia excepcional. Que peninha…vou te que arranjar outra cidade no Rio, onde o clima colabore com meu estilo tropical..ahahh Muito bom, o texto!

    • Hahahhaa… Angelica, às vezes me sinto culpada pelas pessoas que dizem desistir de morar aqui por causa do post! Olha, cada pessoa é diferente da outra e talvez você se adapte! Mas se você realmente gosta de sol e calor é melhor esquecer Petrópolis! Aqui a maior parte do ano é frio e chuva!

      Beijos e Feliz 2013!

  109. Marcia disse:

    Oi, Carol. Que delícia em poder ler esse seu comentário sobre Petrópolis, Sou cairioca mas estou há muitos anos em Curitiba e, ao que me parece, quando você descreveu Petrópilis, parecia estar descrevendo Curitiba. Estou há 19 anos em Curitiba e nunca me acostumo com os dias de geada. Mas confesso que me acostumei com o verão daqui, que é mais ameno. Apesar de que nas últimas semanas foi quente prá caramba. KKKK. Ano passado tentei sair de Curitiba e viver em uma cidade mais quente no interior do Rio de Janeiro. Confesso que não gostei, tanto que voltei no mesmo ano prá cá. Não que a cidade fosse ruim, não mesmo. Mas é porque descobri que me “curitibanizei” com o clima. Hehehe. Semana passada fez 43º C no Rio, minha mãe foi passear lá e, apesar de ter nascido lá, não aguentoiu o calor. Confesso que perdi a resistência para enfrentar 40º C. Adoro passear no RIo, amo minha cidade, mas prefiro mesmo um clima mais ameno. Agora posso pensar em morar em Petrópolis também, pois já vi que não precisaria me adaptar ao clima, já que é praticamente o mesmo daqui. Se bobear, talvez um pouco menos frio ainda. Amei ler o que você escreveu e me identifiquei também. Você escreve muitom bem. Vira e mexe estarei lendo suas “news”.

    • Olá, Marcia! Fico feliz que tenha gostado do texto! A maioria das pessoas que leram esse post ficaram com “medo” de vir morar aqui, também fico feliz por você ter até se animado de quem sabe um dia se mudar pra cá! Ando um pouco desanimada de atualizar o blog, mas quem sabe esse ano não reanimo, né?

      Beijos!

      • Lidia disse:

        Oi, Márcia:

        Eu sou mais uma carioca/petropolitana, vivendo em Curitiba há exatos 22 anos.
        O problema de Petrópolis, não se resume ao frio mas, também, às enchentes e quedas de barreira. Vivi desde os 15 anos de idade em Petrópolis e perdi a conta de quantas tragédias presenciei. E não tem como fugir, porque sempre tem algum morro atrás, ou um rio na frente. Morava em um local nobre, em frente à Catedral, na rua da Imperatriz, no 2o. andar de um prédio e ficava vendo o rio transbordar e virar um mar, toda vez que chovia.
        Outros problemas, são os eternos engarrafamentos, o péssimo sistema de transporte e a saúde, que é um cáos (minha família que o diga).
        Vivo sozinha em Curitiba e a minha família toda está em Petrópolis, com exceção do filho, que mora em São Paulo. No entanto, eu não trocaria Curitiba por Petrópolis, porque eu jamais me acostumaria a viver lá novamente. O clima de Petrópolis??? esse nem chega a ser um problema (para quem gosta de frio como eu). O problema de Petrópolis, está mais embaixo…muito mais embaixo.

      • Marcia disse:

        Oi, Carol! Oi, Lidia!
        Lídia, entendo bem pelo que você possa ter passado em Petrópolis e ultimamente, com tanto dano que a humanidade tem feito à natureza, as intempéries do clima estão se tornando cada vez mais frequentes e mais destrutivas. Eu saí do Rio há muito tempo (19 anos) com minha família (pai, mãe e irmãs) e nos estabelecemos em Curitiba, cidade que conhecia desde bebê. Há uns 12 anos me mudei para São José dos Pinhais e me apaixonei por essa cidade deliciosa na região metropolitana da Curitiba. Eu amo minha cidade natal, o Rio, mas não sei se consigo viver lá novamente, pois me acostumei muito com S. José e adoro viver aqui. Uma coisa boa nas cidades do sul, é que mesmos nas pequenas cidades a qualidade de vida é bem boa, Temos acesso a todos os recursos, todas as novidades.tecnológicas, científicas etc. Mas a vida segue mais tranquila. Reclamo dos “engarrafamentos” de Curitiba, que não se comparam com o que passamos no Rio ou S. Paulo, ou, como você disse, até mesmo em Petrópolis. Como motorista, adoro as avenidas largas das cidades do sul do Brasil, como que seus fundadores tivessem vislumbrado que o progresso chegaria e que eles precisariam de grandes avenidas para “desafogar” o tráfego de veículos. Se eu tivesse que morar no estado do Rio, digo que escolheria Petrópolis pelo clima ameno e por todo o glamour imperial que se vê em cada cantinho da cidade. Rio 40ºC ( ou 50 ºC), acho que não me habituaria novamente. Da mesma forma que não me habituei com os dias de geada aqui do sul com os ventos cortantes etc. Mas, em qualquer lugar, tudo tem seus prós e contras, não é mesmo? Vai depender do estilo de cada pessoa poder ser mais feliz em lugares quentes , ou ser mais feliz em lugares frios, em cidades grandes e cheias de gente, ou em cidades menores e pacatas. Tenho orgulho da minha origem, do meu sotaque (mesmo que meio prejudicado, já que não falo como carioca, nem como paranaense – hehehe – fiquei no limbo), mas amo São José dos Pinhias, a terra que adotei por minha também. Um grande beijo a todos!!!

      • Lidia disse:

        Oi, Márcia:

        Petrópolis teve o seu período áureo, antes de ter suas enconstas invadidas e sua população triplicado (eu vivi essa época). Morava bem em Petrópolis, mas não quis assistir à sua decadência (não por culpa dos seus moradores, mas dos seus invasores).
        As avenidas e calçadas largas, os calçadões, a limpeza, a educação do povo e a qualidade de vida das cidades sulistas, fazem toda a diferença.
        São José dos Pinhais, é uma Curitiba em miniatura, pois além da qualidade de vida, não depende da capital para nada.
        Petrópolis ainda tem um agravante: a falta de emprego (o que não acontece em São José). Se for aposentada, ou não precisar trabalhar vale a pena arriscar, mas caso contrário, não vale.
        Ás vezes a gente é feliz e não sabe. Palavra, de quem já viajou pelo mundo e morou em várias cidades procurando a Shangrilá.

  110. Lidia disse:

    Certa vez, perguntando a um estrangeiro que vive no Brasil, se ele sentia falta das suas raízes, ele respondeu: de jeito nenhum, eu não sou árvore para criar raízes.

    Beijos.

  111. Mi Rossetto disse:

    Oi Caroline… sei que não aguenta mais esse post rs.
    Mas vi que está sendo de utilidade pública, ainda mais que é tão atenciosa com todos.

    Estou pensando em me mudar do Rio e cidade escolhida foi Petrópolis.. Embora tenha as suas desvantagens, está bem melhor que no Rio…

    O que vc conhece do bairro retiro?
    Poderia me passar os contatos da imobiliárias?
    E esses prédios nas plantas???

    Obrigada pela atenção.

  112. Beta disse:

    Olá!
    Adorei este seu post. Estava procurando informações sobre Petrópolis e vim aqui parar. Gostava de esclarecer uma dúvida. É provável que vá morar para aí, mas precisava saber sobre o custo de vida. Estive a ver o valor do aluguer das casas e pareceu-me muito caro para os salários. Quanto você acha que é preciso ganhar para poder viver razoavelmente aí? Em casa, somos 4, dois adultos e duas crianças. Se me desse uma ideia, eu agradecia. Se quiser responder por e-mail, esteja à vontade. :-)
    Beijo,
    Beta

  113. Samantha Vasconcelos disse:

    Nossa, o sonho da minha vida é morar aí!!! Não só pelo frio, mas pela cidade em si!!!! Hoje mesmo, me bateu uma saudadezinha.. entrei no google pra ver fotos..e acabei parando aqui! rs
    Eu queria saber uma coisa… é mto difícil de achar emprego? Vi o post acima e realmente, qdo fui aí fiquei sabendo que o custo de vida é absurdo! Inclusiva aqui no Rio, conheci uma menina que nasceu lá e disse q o preço do mercado é absurdo! E disse que nunca mais volta pra aí!! hahahahaha.. se ela visse seu post, acho q ela ia morrer de rir!
    Olha só, queria saber tantas outras coisas!! Vc se importaria de me mandar seu e-mail?
    Queria saber do estilo de vida (se é de cidadezinha do interior), se o verão chega a ser quente como no Rio, emprego, se vc conseguiu um por indicação ou procurou nos lugares, classificados…
    Ficaria mto feliz se me respondesse, Caroline!! Desde já, muuuito obrigada!!!
    Samantha

  114. Samantha Vasconcelos disse:

    Genteee, tô amando os comentários!!!! Um mais engraçado que o outro!!!! hauahuahua
    Nasci no Rio e moro aqui (ainda, infelizmente) e REALMENTE os cariocas vivem alienados, dopados, num eterno estado de oba-oba! Não pertenço à isso! Antes a “farsa” que vcs tão falando… melhor viver achando que ainda ´[e imperial, do que viver na surcusal do inferno (fez 46º agora em fevereiro, JURO!) e junto de um povo que prolonga o canarval durante o ano todo!!! #futura-petropolitana-ado-deus-permitir!!!! rs

  115. Samantha Vasconcelos disse:

    Carol, li tooodos os posts! Detesto blogs, mas vc realmente escreve mto bem e é MTO simpática ( e paciente, como já disseram! rs)… vou passar a acompanhar seu blog!
    Ainda agurado seu e-mail… E qto à emprego – que tinha te falado- sou advogada começando carreira!
    Beeeijos e parabéns!!!

    • Olhaaaaa!! Fico muito feliz que tenha lido meu blog, rsrs! Mandarei o email pra você sim, é que você fez muitas perguntas e preciso responder com calma, hehe!

      Beijão pra você e obrigada pelos comentários!

  116. Paula disse:

    Ola Caroline, tudo bem? Li seu post e morri de rir e de desespero! :)
    Eu e meu marido estamos pensando em sair do Rio e estamos procurando lugares para morar em cidades menores onde pudéssemos ter uma casa com quintal, jardim.. Pensamos em Petropolis, mas depois desse seu post, confesso que bateu um medinho.. rs Aí eu fui lendo e acho que você já se adaptou um pouco ao clima, né? Pelo menos parece..Nossa duvida principal eh se pra morar numa casa legal em Petropolis a gente precisa ficar isolado.. Somos jovens e queremos sim ficar um pouco longe desse tumulto daqui, mas também não precisa ser um lugar onde não tenha ninguém. Existe algum bairro mais assim como estou falando, onde eu possa ter uma casa tranquila e ainda assim ir a pe a uma padaria, um mercado, um restaurante?
    Obrigada e parabéns pelo post!

    • Lidia disse:

      Paula:

      Sei que a pargunta foi para a nossa “friorentinha” Carol, mas como vivi a maior parte da minha vida em Petrópolis, vou tentar colaborar.
      O problema maior de Petrópolis não é o clima, porque a gente acaba se adaptando.
      Os maiores problemas são:
      1) As enchentes;
      2) As quedas de barreira;
      3) O trânsito caótico;
      4) O transporte;
      5) O cáos na saúde pública:
      6) A falta de emprego e a consequene exploração de mão de obra barata, sem carteira assinada.
      Se você morar em uma casa, tem que evitar as que tenham morro atrás e rio na frente (muito importante).
      Bairros bons são: Mosela, Quarteirão Inglenhein, Vila Militar, Valparaízo e o Centro.
      Sim, é possível morar em uma casa no Centro de Petrópolis (minha mãe mora em uma).
      Se você conseguir encontrar uma casa na Rua Montecaseiros, Paulino Afonso, Av. Piabanha, etc, estará perto de todo o comércio e serviços e nem precisará de transporte.
      Os bairros que indiquei, são todos próximos ao Centro e, igualmente, deliciosos para morar.
      Vamos esperar que a Carol lhe dê mais dicas, pois não moro mais em Petrópolis.
      Beijos.

      • WILLIAM disse:

        1) Enchentes – na cidade do Rio também tem.
        2) Quedas de barreiras – em certos lugares da cidade do Rio também há. Deslisamentos em áreas de construção irregular (favelas=comunidades).
        3) Trânsito caótico – na cidade do Rio tá absurdamente caótico (sem falar dos motoqueiros que andam a mais de 80km por horar entre os carros, nos engarrafamentos, e quebram retrovisores e arranham e amassam a lataria).
        4) Transporte público – na cidade do Rio é péssimo. Abarrotados de gente nas horas do RUSH.
        5) Saúde pública – na cidade do Rio não existe saúde e sim doença pública e sofrimento público.
        6) Falta de emprego – Concordo que em Petrópolis há menos oferta de emprego que na Cidade do Rio.
        Mas aqui no Rio há traficantes que dão tiros de fuzil a qualquer momento e em qualquer direção, áreas de risco (controladas pelo tráfico) nas quais se vc entrar por engano, já era, há assaltantes violentos e cruéis em qualquer rua,mesmo em Copacabana e Ipanema, há drogados, “cradutos’, que andam pelas ruas aos bandos, como se fossem ZUMBIS, e de vez em quando atacam as pessoas, há menores que andam em bando e assaltam violentamente as pessoas, em especial os idosos e mulheres distraídas, há bueiros que explodem, há crateras que se abrem e engolem carros e pedestres, há fuga de menores infrratores (que cometeram crimes mas não podem ser chamados de criminosos) das casas de detenção, e muito mais. Petrópolis deve estar um pouco melhor… tá não?

    • Oi, Paula! A Lídia explicou brilhantemente o que acontece na cidade! E hoje, está um caos. Destruída, devido às chuvas. Somente quem passa por isso sabe como é. Quanto ao clima já estou mais ou menos adaptada, mas é muito importante que se procure uma casa que fique fora da área de risco, se bem que ultimamente, não se sabe ao certo se um lugar é realmente seguro ou não. Mas enfim, coisas da “vida”…

      Beijos e se precisar esclarecer mais alguma dúvida é só perguntar!

      • Lidia disse:

        Querida Carol:

        Espero que esteja tudo bem com você, já que mora no Quitandinha, uma das áreas mais atingidas.
        Perdi a conta de quantas enchentes, desabamentos e mortes, presenciei.
        Na última tragédia, antes de eu me mudar para Curitiba, morreu tanta gente soterrada, que eles jogavam os escombros com os mortos, nos terrenos baldios, porque não tinham como resgatar os corpos.
        Petrópolis é uma cidade linda, mas o seu solo é extremamente frágil. Jamais deveriam ter construido cidades em região serrana de mata atlântica.
        Esse tipo de tragédia sempre existiu e sempre existirá, e a tendência é piorar cada vez mais, por causa do crescimento da cidade e da invasão de suas encostas.
        Choro por ti, minha bela e sofrida Petrópolis.

      • Oi, Lídia! Fiquei muito tempo sem passar pelo blog! Muito obrigada pela preocupação, graças a Deus, estou bem! Mas foram momentos horríveis que passamos aqui! Graças a Deus, tudo se acalmou – depois de muitas mortes. =/

        Beijos!

    • WILLIAM disse:

      Já visitou Itaipava? Gosto muito de lá. Já não é tão sossegado como era antes de 2004. Mas ainda me parece melhor que Petrópolis (gosto de Petrópolis) no quesito: mais amplitude, mais sol, mais arejado, mais “aberto”. Outras áreas mais sossegadas são: Secretário e arredores. Porém, é preciso conversar com o pessoal da região para saber sobre áreas nas quais já houve deslisamentos/alagamentos, calamidades. Áreas de encosta sempre apresentam risco. E há a vantagem de, com um carro, vc estar perto de Petrópolis. O que pega é trabalho, fazer dinheiro. Se vc tem alguma renda que te possibilite viver em itaipava ou Secretário, vá morar lá. Eu queria poder ir e não vir mais à cidade do Rio de Janeiro. Aliás, acho que para continuar vivendo na cidade do Rio de Janeiro vai ser preciso comprar coletes a prova de balas (o que atualmente é proibido ao cidadão), blindar o carro (por mais simples que seja) e comprar algum armamento pesado. Me pergunto se não seria o caso das famílias que valorizam bons princípios, a boa cultura, a educação, a instrução, as boas maneiras e a gentileza, os bons costumes, sairem todas da cidade do Rio e construirem verdadeiras fortalezas muradas em alguma região do Brasil e deixarem lá fora toda a gente emburrecida e violenta, que nada de valioso produz para o desenvolvimento do país, se matando e fornicando (como bem o sabem fazer) até que se esgotassem por si mesmas. Ah, me perdoem… isso é discriminação. Não pode. Vamos continuar vivento entre eles até que eles destruam a todas as famílias de bem. Isso pode.

  117. Haha, eu ainda acho o frio daqui melhor que o calor de algumas cidades, quando vou ao Rio ou Niteroi chego a passar muito mal, você soa e fica todo queimado de noite além de ter que enfrentar a falta de ar (meu caso)… Love U Petrópolis! ;D

    • E nada que um aquecedor não resolva não é?

      • WILLIAM disse:

        No frio vc se agasalha, se cobre, acende uma fogueira. No calorão da cidade do Rio (falta energia elétrica noite sim, noite não, inclusive em Ipanema, bairro nobre) e vc não tem ventilador, não tem brisa, não tem vento, não tem arcondicionado e pode ficar peladão que não adianta. E aparecem os mosquitos pra completar o quadro. Frio tem jeito. Calorão no Rio – não tem. E se der sorte de ter energia elétrica e ficar com o ar condicionado ligado dia e noite: tem que ter muuuuuuuuita grana pra pagar a conta de luz. Se for conta da AMPLA, então, vc tá falido!

    • WILLIAM disse:

      Verdade! O calor da cidade do Rio é de matar. Faz mal ao coração (que tem que trabalhar mais). É esgotante! Suar a gente sua muito mesmo. Fica um suor grudento. E sem falar que no auge do verão sempre falta energia elétrica em vários bairros da cidade do Rio. Sim, é rotina de verão acontecer isso. E então, meu amigo! Não há nem vento, nem brisa, nem ventilador, nem ar condicionado. NADA !!! É calor de 40 Graus Celsius a noite inteira. Suor, muito suor, colchão e travesseiro grudando na pele. E os mosquitos? Sim, é justamente nesse calorão de verão que os mosquitos aparecem aos bandos. Calor + suor + falta de energia elétrica várias noites + esgotamento físico + mosquitos. O Rio é lindo !!!

    • Olá! Obrigada por comentar! Mas é verdade, existem pessoas aqui de Petrópolis que passam muito mal quando vão ao Rio! Mas eu já fui criada no calor, né? Aí já viu! rsrs

      Abraço!

  118. Cristiano disse:

    Olá Carol. Gostaria de saber a sua opinião e dos amigos do blog. Passei em um concurso público no Rio para trabalhar na praça Mauá e vou ter que alugar um imóvel para morar com minha esposa e três filhos pequenos (1, 2 e 5 anos). Pensei muito e cheguei a conclusão em morar em Petrólpolis devido a segurança e melhor educação que posso dar a meus filhos. Você acha uma opção boa ? Apesar de eu ter que me deslocar todos os dias para o trabalho mais de 2 ou 3h por dia ? Um imóvel para alugar por ai sairia muito caro? Alguém saberia uma faixa de preços de aluguel na parte perto da entrada da cidade ? Obrigado.

    • douglas disse:

      E por causa de vocês que petrópolis esta virando um inferno!!!
      por que não vão para teresópolis ou friburgo e deixem a cidade em paz?
      nem frio mas esta fazendo, por que esses caricas idiotas não merecem conhecer a nobreza do frio de verdade.
      voltem para o lugar de onde vocês vieram e deixem nossa cidade em paz!

      • kkkkkkkk… Só rindo!

        Sem mais.

      • Lidia disse:

        Douglas:
        E por causa de vocês que petrópolis esta virando um inferno!!!
        por que não vão para teresópolis ou friburgo e deixem a cidade em paz?
        nem frio mas esta fazendo, por que esses caricas idiotas não merecem conhecer a nobreza do frio de verdade.
        voltem para o lugar de onde vocês vieram e deixem nossa cidade em paz!

        E eu que pensava que esse tipo de preconceito atrasado, contra BRASILEIROS de outra cidade, fossem exclusivo do Sul do Brasil. Mais um defeitinho para incluir na longa lista de Petrópolis.
        Agora, vamos combinar, eu sempre soube que o petropolitano tem complexo de nobreza (apesar de sustentar a família imperial com o pagamento de laudêmio), mas dizer que nós, reles pebleus, não merecemos conhecer a NOBREZA do frio de verdade, é demais para a minha cabeça. Né, não?

      • William disse:

        Putz ! Fiquei com medo de voltar a Petrópolis. Minha avó tinha um cachorro que defendia o quintal e atacava a todos que andassem no quintal. O quintal era só dele. AU, AU !!! Bem, Petrópolis não é um quintal e o douglas não é um cão. Mas tô com medo de levar uma mordida…

        “Vão embora de Petrópolis! Caiam fora daqui, seus cariocas idiotas. Deixem a nossa cidade em paz! Temos a nobreza do frio de verdade.”

        O que seria a “nobreza do frio de verdade”? Vou ter que meditar muito sobre essa frase.
        Nobreza é receber bemo estranho (estranho-estrangeiro-que vem de fora).

        Ah! Antes de finalizar: Petrópolis talvez esteja virando um inferno pq os cariocas estão vindo de outros lugares quentes e o calor que eles trazem a Petrópolis está aquecendo tanto a cidade que acaba por virar um inferno. Será?

        Reveja os seus conceitos.

    • WILLIAM disse:

      Cristiano – sei que a sua pergunta foi direcionada a Carol – mas ela não mora mais na cidade do Rio de Janeiro e vive a cerca de 1 hora de viagem daqui. Então, posso “meter a minha colher” e te dar uma resposta de quem vive na cidade do Rio e conhece bem essa área central e arredores: Bem, Praça Mauá é bem no centrão. Durante o final de semana é meio desertão. Mas a prefeitura deu uma revitalizada naquela área e tá mais ou menos melhor. Há prédios bem perto da Praça Mauá que servem de moradia. Mas imagino que sejam de classe média baixa (sem preconceito, OK ?, apenas um tipo de classificação de renda). Existe um lugar pouco conhecido que se chama Ladeira do João Homem, bem ali perto da Pça. Mauá, no qual há várias casas bem confortáveis e fica perto de tudo. Para quem quer morar perto do Centro da cidade, bem pertinho do local de trabalho (se for o caso) nem precisa pegar condução alguma. Outros bairros pra vc considerar são: Glória (Rua Cândido Mendes, por exemplo) e Catete. Mas no caso de morar no Catete vc vai precisar pegar o METRO para chegar a Pça. Mauá. Os bairros da Saúde e Santo Cristo, apesar de serem áreas mais centrais e, infelizmente, mais carentes (meio desertas nos fins de semana) e mais pobres, são áreas residenciais próximas a Pça. Mauá. Recentemente construiram prédios de condomínio perto da área do Cajú e parecem ser apartamentos bons (talvez pequenos) e são novos. Apesar de ser em uma área central, são perto de “tudo”. E dependendo da renda da família, vc pode buscar moradia também em São Cristóvão. Procurei relacionar bairros mais próximos da Pça. Mauá e dois um pouco mais distantes: Glória e Catete. Felicidades!

      • Obrigada por colaborar, William!

      • Cristiano Marques disse:

        William, muito obrigado pela dica. Talvez quando o contrato do meu apartamento vencer eu vou considerar. gostei da opção “Ladeira do João Homem”. Mas, já aluguei no centro de Petrópolis (desculpe douglas !!! vou considerar como uma brincadeira,). Me disseram também que vou sofrer pra chegar no Rio pelo trânsito todos os dias. O negócio é que vou ter muito dispêdio com colégio se eu Morar no Rio. Quem mandou arrumar 3 filhos. hehe. Também o aluguel é bem mais caro lá.

    • Cristiano, desculpe a demora! Fiquei muito tempo sem entrar no blog! Estou te enviando um e-mail, ok?

      Abraço.

  119. Marilene disse:

    Eu odeio frio fico com rinite, sinusite, asma é um caos. Sem contar a quantidade de roupa que coloco para me aquecer. Quando vou a Friburgo visitar minha mãe sofro no frio. Prefiro o Rio ou praias. Adoroooooooooo

  120. Giulliano disse:

    Olá Caroline Camargo, tirei hj o dia p ler todas as postagens desse seu depoimento, sobre o frio e o cotidiano de Petrópolis..Ufa! consegui, impressionante como ja fazem 3 anos, e as pessoas continuam comentando, virou utilidade pública, msm como algm disse, bom, pra variar (rs),tb encontrei seu blog por acaso, qdo pesquisava sobre a qualidade de vida das cidades da região serrana do rio, pq estou pensando em sair da minha terrinha (Natal-RN), impressionante tb, o fato de como isso é comum à outras pessoas..essa procura por um lugar legal de se viver. Já que não gosta do frio, apesar de ter se adaptado, talvez vc iria gostar de morar no nordeste, principalmente aqui em Natal, que tem as 4 estações do ano bem definidas: Verão, calor, quentura e mormaço rs, brincadeiras a parte, o que me leva a pensar em sair daqui, é o fato da minha esposa ser do rio (toda a familia), e aqui em natal não oferecer as qualidades(opções) de grandes cidades…por ex, ai no rio tu pega uma carro e chega fácil em outros locais legais,como interior de minas,SP,Sul e tals, aqui no nordeste é uma paraíso,porém estrutura “boa” só nas capitais…. sendo uma Natal, cidade mtu boa de se viver qdo se é aposentado ou concursado (dependendo do caso=salário), porém, gostaria de receber esse teu famoso email, melhor imobiliária, com informações de bairros mais seguros, em relação as enchentes, e que tb tenha uma boa estrutura de serviços..vi q vc gosta de atividade física, como descobri através do seu blog q petrópolis oferece frutas,pães,etc de boa qualidade, fiquei curioso p saber se o centro ou algum outro bairro legal, oferece boa estrutura de academias de musculação….outra coisa, vale a pena morar na tijuca (pq zona sul esta impossível) ou msm na região dos lagos? vi uma reportagem recente sobre porto real ser uma cidade do rj, mta boa p se viver tb…enfim, boa sorte e parabéns pelo blog, excelente!

    • Olá, Giulliano! Adoro Natal! Adoro o nordeste! E dá até um “apertozinho” no coração em saber que tem gente querendo sair dessas terras boas pra essas bandas frias de cá, mas enfim, rs… Estou te mandando o famoso email!

      Abraço e muito obrigada por comentar!

  121. WILLIAM disse:

    Li vários comentários (não todos – mas a maioria). Apesar de morar na cidade do Rio de Janeiro desde 1965 (ano em que nasci) passei a considerar a possibilidade de me mudar para Petrópolis ou Itaipava desde 1997 (ano em que passei a subir a Petrópois com maior frequência). Joguei hoje no GOOGLE: morar em Petrópolis e veio o seu BLOG. Meio desapontado com o que ia lendo, acabei por aceitar que o que vc relata tem que ser mesmo a verdade. Frio, mofo, umidade, doenças típicas, etc. Porém, assim como não gosto do frio excessivo, odeio ainda mais o calor exagerado do verão na cidade do Rio. Quero dar umas sugestões: Certas doenças e alergias podem ser resultado de uma residência que favorece o surgimento desses males. Talvez vc tenha que buscar um outro local para morar (mesmo em Petrópolis). Um lugar arejado, no qual bata sol (ainda que sol frio) e no qual entre luz vai ajudar a melhorar seus problemas respiratórios. Coma frutas, muitas frutas, frutas variadas, todos os dias. Considere essas dicas.

    - Agora, mudando um pouco de assunto: Sobre a violência na cidade do Rio de Janeiro e seu crescimento em Petrópolis:

    1) O problema da violência não está no patrulhamento. Não consigo compreender que as autoridades (que se julgam tão bem instruídas e competentes) não consigam atacar o ponto focal da violência. É simples e fácil. Mas parece não haver motivação nem entre as autoridades nem mesmo entre a população – para exigir das autoridades que façam mudanças necessárias.

    Vamos lá: Por que você não entra na jaula do leão?

    a) Porque as grades de proteção são muito fortes;
    b) Porque posso ser multado,
    c) Porque sei qual vai ser o resultado: serei morto e devorado.

    Qual resposta sincera vc daria?

    Entendeu? Não adianta Patrulhar, prender, processar. Os criminosos precisam temer o resultado. Temer o que vai acontecer DEPOIS que eles forem presos. Eles são criminosos porque não querem trabalhar duro para obter os bens que desejam. Querem arrancar de outros os bens que esses outros possuem. Então, todos os criminosos precisariam encarar, depois de presos, o que eles mais temem: TRABALHO DIÁRIO, TRABALHO DURO. Acordar as 6h da manhã, tomar um banho frio, café da manhã, e trabalho duro por 12 horas diárias. Teriam que pagar com o trabalho pela comida que consomem na prisão, pelos colchões que queimam, e tudo o mais.

    Afinal:Qual o cidadão de bem que sem trabalhar recebe comida, banho de sol, direito a lazer (peladinha de futebol), visita sexual, dentista, médico, e a família recebe pensão enquanto ele esetá desempregado?

    Se o cidadão de bem são obrigados a trabalhar duro (8 horas por dia mais 2 ou 4 horas de transito todos os dias) para terem as coisas que desejam ter por que os presos não são obrigados a trabalhar duro para – no mínimo – compensarem o prejuízo que causam à sociedade?

    • WILLIAM disse:

      Se o cidadão de bem é obrigado a trabalhar duro (8 horas por dia mais 2 ou 4 horas de transito todos os dias) para terem as coisas que desejam ter por que os presos não são obrigados a trabalhar duro para – no mínimo – compensarem o prejuízo que causam à sociedade?

      Precisa haver uma liderança que leve os cidadãos de bem às ruas em passeatas que exijam esta mudança de foco. Artistas e líderes políticos precisam levar o povo às ruas para exigir essa mudança de foco. Não adianta baixar maior idade penal. Não adianta ter mais policial nas ruas.

      Não adianta prender mais gente. Não adianta nada disso se os criminosos sabem que dentro da “jaula” o leão é manso igual a um gatinho. Se não for mudado esse foco agora, não haverá mais como sobreviver no Brasil.

      São os homens que trabalham, os homens que estudaram e que podem contribuir para o desenvolvimento da nação que estão sendo mortos por uma massa de criminosos emburrecidos e selvagens que não temem o que vai acontecer com eles DEPOIS QUE FOREM PRESOS.

      • Quanto ao seu comentário: “Precisa haver uma liderança que leve os cidadãos de bem às ruas em passeatas que exijam esta mudança de foco”… Que foi isso, premonição?? :O

      • Lidia disse:

        William:

        Eu daria uma sugestão melhor. No litoral do Paraná existe a famosa Ilha das Cobras, considerada um dos 10 lugares mais perigosos do planeta, por ser habitada somente por serpentes peçonhentas.
        Por motivos óbvios, a ilha é deserta, pois quem entra, não sai mais.
        Sugiro levar os estrupradores, pedófilos, assassinos, ladrões, traficantes e políticos corruptos (por que não?) para essa ilha. Que tal?

    • Olá, William! Muito obrigada por comentar! Concordo com tudo o que você disse! Ah, e quanto a encontrar bons lugares pra se morar aqui, não é tão fácil! A luta continua! rsrsrs

      Abraço!

  122. Lidia disse:

    Para quem comentou que em Santa Catarina só existem cidades frias, desculpe, mas não conhece o Estado.
    Aliás, no Sul do Brasil, o clima é de extremos: um frio de congelar e um calor de rachar.
    Cidades como Porto Alegre, Blumenau, Joinville, Brusque e Jaraguá do Sul (citando apenas as maiores), são TÓRRIDAS no verão, chegando até a ser mais quente que o Rio (viu William?).
    Sou carioca e juro, que esses foram os lugares, onde mais senti calor em toda a minha vida.
    O Rio tem praia e sempre rola uma brisa, mas Blumenau está em um vale, à uma altitude quase a nível do mar e cercada por morros. A sensação térmica é de 50 gráus centígrados. Um lugar tão abafado e sufocante, ao ponto de causar desfalecimento (desmaie duas vezes).
    Climas bons, somente em cidades com altitudes em torno de 700 metros (desde que não estejam localizadas nos extremos Sul e Norte do país).
    Uma cidade plana, que não seja cortada por rios ou rodeada por montanhas, com uma média altitude, localizada na região Sudeste, na parte leste (oeste é muito quente), tem o clima ideal.
    Curitiba, onde vivo, se fosse menos fria, seria a cidade ideal. Mas, mesmo para quem ama frio como eu, o inverno é cruel. Muito mais cruel que a “nobreza do frio de Petrópolis”, viu Carolzinha (saudades).
    Beijinhos, Lidia.

  123. William disse:

    Lídia, compreendo o seu ponto de vista sobre mandar certos criminosos para a Ilha das Cobras. Já pensei muito sobre a pena de morte para certos tipos de crime: há crimes que são filmados por câmeras de vigilância, há exames de material genético que comprovam crimes horríveis, etc. Porém, tô mudando de idéia. Já mudei, mesmo. Matar um criminoso é meio que aliviar o “sofrimento” dele. Acredito que certos crimes precisam ser punidos com: (1) prisão de no mínimo 50 anos e (2) trabalho duro, sem moleza, a favor da sociedade. E se o infeliz tentar fugir ou aprontar alguma no presídio, aumento da pena em mais 4 anos por ocorrência e mais uma hora de trabalho pesado por dia. Quero ver o vagabundo querer encarar isso. Sempre vai ter quem arrisque cometer o crime e depois encarar essa dureza. Mas muitos iriam desistir. Punição pesada neles. Afinal, se você não trabalhar, quem cuida de você? Então, porque a sociedade tem que sustentar criminosos? Deixa eles vivos, trabalhando duro, pra que cada um deles pense, dia após dia, na “M” que fez e (talvez) realmente se arrependam. Entende?

    • Lidia disse:

      Entendo sim, William. Essa seria a solução perfeita, mas é uma utopia, principalmente no Brasil. Aqui as cadeias não passam de hotéis de criminosos, que ainda por cima, tem a família sustentada pela bolsa detenção, cujo valor é maior do que o salário mínimo que a maioria dos aposentados recebe.
      A idéia de um presídio de segurança máxima em uma ilha deserta, povoada por serpentes peçonhentas, seria fantástico.
      Lá tem tantas cobras venenosas, que o bandido iria preferir mil vezes continuar preso a fugir.

  124. William disse:

    Tá uma fricaca danada aqui no Rio. Imagino que a Caroline esteja enfiada embaixo de – no mínimo – uns 3 edredons lá em Petrópolis. Terça-feira 02julho2013: Chuva e temperatura baixa na cidade do Rio. Ruas muito mais vazias e mais silêncio. O povo tá entocado.

  125. Marcia disse:

    Olá, pessoal!!!! Achei muito engraçado o comentário do William sobre o frio do Rio. Sou carioca mas moro em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba e aqui sim, está um friozão. Faz quase 20 anos que saí do Rio. Aqui, com o clima “show” que estamos passando, não vemos sol faz muitos dias. Eu acho que ele foi fazer um protesto em algum lugar e nos deixou. KKKK. Tem gente que diz que gosta do frio porque é bom prá dormir. Eu concordo que o frio é ÓTIMOOOOO prá dormir, mas o problema mesmo é acordar. Só dá vontade de levantar depois das 10h. KKKK. mas eu infelizmente tenho que levanter às 6h. Se pelo menos o solzinho voltasse, mesmo aquele solzinho frio de geada, o dia ficaria mais charmoso e o frio muito mais suportável. Como faz falta os dias de sol. Ainda mais para uma carioca. Apesar de que, para 40ºC já perdi o pique. hehehe Percebo que o clima de Curitiba e Petrópolis é muito parecido. 4 estações no mesmo dia. A verdade é que todas as cidades que citei são lindas. Tanto meu querido Rio, quanto Curitiba, São José dos Pinhais e Petropolis. conheço todas essas cidades e há pros e contras em cada um desses lugares, mas o importante é ser feliz. Não sei se a Carol está embaixo de 3 edredons, mas eu aqui estou dormindo embaixo de uma manta, um edredom e um cobertozão que chega a ser pesado. Se bobear até suo durante à noite. hehehe.Um beijo grande a todos vocês que estão paritipando desse blog. Ma-ra-vi-lho-so. Amei. E a Carolzinha escreve muito bem. Uma graça mesmo. Adoro ler seus textos. Muito bons!!!

    • Lidia disse:

      Olá, Márcia:

      Sei que a mensagem foi endereçada à Carozinha, portanto, peço licença para dar o meu depoimento.
      Também sou carioca, moro em Curitiba há 22 anos e vivi a maior parte da minha vida em Petrópolis. Não tem comparação: o frio de Curitiba é muito pior do que o de Petrópolis (basta verificar as temperaturas mínimas das duas cidades).
      Sol aqui é artigo de luxo, e dificilmente dura um dia inteiro, porque está sempre nublado.
      Todos os anos no inverno eu faço uma promessa a mim mesma, de nunca mais passar outro inverno aqui, mas a cidade tem as suas compensações e eu vou ficando…ficando. Porém, o desejo de procurar um lugar mais aconchegante e quentinho está cada vez mais forte. Calor de 40 gráus? tô fora, mas no frio de zero gráu, não dá para ser feliz…não mesmo!!!

  126. William disse:

    Galera: Temos que iniciar uma marcha no Brazil pela temperatura ideal – pra mim tem que ser alguma coisa entre 12 e 22 graus Celsius. Nem mais, nem menos. Será que a DiLLLLLLL ma consegue ver isso pra gente?

  127. Juliana disse:

    OI Carol…. bom tô planejando uma ida a Petropolis pra ver algo pra comprar… Jáq vi sua ajuda a outras pessoas.. me ajuda ai… com alguma imobiliaria… e principalmente um bairro bom pra morar…. perto de colegio… ou do centro… bjinhos

  128. Jaciara disse:

    Boa Noite, Carol, ou a galera moro em Itatiba -SP e estou de mudança pra Petrópolis devido ao trabalho, me arrumaram um apê no bairro Quitandinha, sabem me dizer se o bairro é bom, se é perigiso, como é que é…Estou ansiosa com a mudança afinal mudar é sempre bom apesar de não conhecer nada e nem ninguém da cidade, ah acho q o apartamento é num palácio me digam sobre o bairro. Obrigada.

  129. DEIRE MARTINS disse:

    Sou goiana do pé rachado de uma terra que o inverno não passa dos 8º, mas confesso que sou APAIXONADA por Petrópolis e outras regiões frias do Brasil, não porque sou masoquista, mas por curtir mesmo o frio.
    A primeira vez que fui a Petrópolis, achei que ia ter um “troço” porque saí do Rio (capital) com 30º e ao começar a subir a Serra, já senti bruscamente a queda de temperatura e minha garganta já deu logo sinais de que iria irritar.
    Na segunda vez, saí de Guapimirim, mas a esperta aqui antes, olhou a previsão do tempo e fui prevenida, e dito e feito: Uma chuva louca e um frio do kct batendo os 4º, eu parecendo uma pinguim, só com os olhos e as bochechas vermelhas de frio do lado de fora, minha amiga xingando até a minha 4ª geração, dizendo que eu não sabia o que era bom e que a fiz “entrar numa fria”… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Vão me perguntar se sou louca, bem, de louco todo mundo tem um pouco, mas juro que foi um dos melhores lugares que já fui, e se perguntarem se quero morar no RJ, eu digo que só se for pra morar em Petrópolis, Teresópolis ou Guapimirim, ou seja: SERRA, com baixas temperaturas e c/ todos os transtornos que citaram aí nos outros depoimentos…
    Povo acolhedor, gente alegre, que sabe comer bem, cidade tranquila, e que euadoraria fazer parte da sua gente!

  130. Monica Vicious disse:

    Amiga, estou chocada com seus comentários. Desde criança sempre fui fã do inverno e fenomenos climáticos como chuva, neblina, ventanias, etc. Sempre me senti triste de ter nascido no Rio, culpando até deslizes de outras vidas pra ter parado nesse local muito quente. Estive em Petrópolis e amei a cidade. Achei bonitinha, charmosa, adorei as casas, o museu, visitei aquela casa assombrada e achei tudo… Enfim, se não tivesse minha vida toda no Rio não hesitaria em mudar. Amo casaco, cobertor, bota e comemoro a entrada do inverno. Pensei que morar no clima frio seria um sonho mas o seu post parece um pesadelo. Odeio o verão, mil ventiladores, a conta alta de luz, o bafo quente, a falta de vontade de comer, dormir, ter que tomar banho toda hora, as roupas medonhas, o sol forte que castiga, acho que em sã consciencia nunca sentiria falta de sol, quero que ele suma… Se tivesse dinheiro me mudaria pra a Suiça ou viajaria pra lá pra fugir do verão. Sempre achei frescura essa gente reclamar do frio e adorar o calor do Rio. Seu post acaba com a magia de Petrópolis … Vou mostrar para um amigo que não gosta de calor e quer morar aí. Sou meio louca, meu sonho é conhecer o Egito, pode? Mas aquele povo era demais, em um calor de rachar fizeram as mais lindas obras da antiguidade. È muito lindo. Queria ir no inverno, claro. Um abs

  131. cinha disse:

    Adorei seu texto! Sou nascida e criada em Petrópolis e nem assim me acostumo com o frio daqui. Tudo o que vc disse é a mais pura verdade e confesso que ri muito aqui. Aos que estão animados em vir pra cá eu apenas aconselho que pensem bem pois é realmente uma cidade fria e cara pra se viver. No mais, seguimos batendo os dentes, mas na certeza que tem bem piores por aí… Bj a todos! ;)

  132. Julia disse:

    Gozado, eu nao acho Petropolis essa friaca toda. Ja morei aí por 4 anos, e pra mim qualquer cidade do sul do Brasil, ate porto alegre, barra Petropolis bonito.

  133. Renata Ottoni disse:

    Oi Carol!
    Depois de ler todos os comentários… aiai rs
    Osso que não curto frio, mas vou começar a trabalhar em Xerém e devo escolher Petrópolis para ser meu novo lar.
    Moro hoje em Mogi das Cruzes… Frio também…
    Me ajuda?! rsrs

    Bjokas

    • Eloise Andrade disse:

      Oi Carol,
      muito bom os comentários, eu gosto de frio, e me diga, o custo de vida aí como é? Moradia principalmente?

  134. Daniel disse:

    Olá! Achei o texto bem engraçado. Sou de Friburgo, que é mais fria que Petrópolis, dá geada e temperaturas negativas. Moro em Niterói há três anos, e não aguento mais esse calor insuportável! Acabei de pedir uma transferência para Petrópolis, espero ir dentro de um mês. Digam o que quiserem, mas viver aqui embaixo não dá! Isto aqui é o inferno na terra, e não faz frio NUNCA!

  135. Heber César disse:

    Vejo que a dona do blog está destruindo sonhos de quem gostaria de sair do Rio para morar em Petrópolis rs rs
    Bom, primeiro vou falar sobre mim, sou calorento, transpiro fácil e temperaturas a partir de 25 graus já começam a me incomodar. Eu sempre reclamo do inverno fraco do Rio, porque 18 graus pra mim não é frio, eu sempre saio de camisa manga curta no inverno carioca e fico indignado quando vejo as pessoas se queixando do frio.
    Acho que o seu texto pode ser um tanto exagerado, Petrópolis não é tão fria assim. Digamos que a diferença de temperatura com o Rio seja 8 ou 10 graus a menos. Então se durante a tarde aqui no inferno está 35º, em Petropolis deve estar 25º. Se em pleno o inverno as 06 da manhã a temperatura no Rio é 16º, neste mesmo momento em Petrópolis está entorno de 6ºC. It’s not so bad!
    Mas concordo que o excesso de chuva e a umidade alta são um problema. Agradeço pela postagem, eu procurava mesmo ler sobre os pontos negativos da cidade de Pedro.

    E apesar dos petropolitanos reclamarem da cidade nos comentários, para quem tem como referencia o Rio, Petrópolis é limpa e bem cuidada sim.

  136. Nany disse:

    Venham para o Norte da Italia e saberam o que é frio humido!!! vc morre pra vida no inverno….

  137. antonio disse:

    Gente,que voçês acham pior uma cidade que fica friazinha o dia todo tipo de 10 graus célsius de temperatura minima e a máima não passando dos 15 graus ou uma cidade que faz 20 graus de máxima durante a tarde e de noite-madrugada chega à 4 ou 1 grau positivo? eu acho que a segunda opção é pior pois a amplitude térmica é maior e agente sente mais o frio por isso,assim é a minha cidade Campo Grande/Ms nos dias de frio de inverno.

  138. Cristiano Marques disse:

    Pessoal, faz quase 1 ano que me mudei para Petrópolis, eu era de Juiz de Fora. Voltei ao Fórum para dar minha opinião e experiência com a cidade: experimentei todas as fazes do clima, do frio ao calor, e posso dizer, só faz frio mesmo nos meses de junho a agosto, e também não é aquele frio que tem que usar duas blusas e duas calças. O clima é parecido com Juiz de Fora, mas com temperatura pouco menor, 1 ou 2 graus, suponho. Nos últimos meses, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março, até senti calor, tendo que abrir janela, usar ventilador. Na verdade eu queria mais frio, pois o calor me incomoda, fiquei até desapontado, hehe. Mas é muito melhor que o calor insuportável do Rio. Abraços a todos …

    • Lidia disse:

      Olá, Cristiano:

      Se é frio que você quer…você terá!!!
      O que aconteceu, no último ano, foi um fenômeno atípico e nada pontual.
      Aqui em Curitiba, que nunca precisei dormir com ventilador ligado, precisei fazê-lo. E olha, que estou falando da capital mais fria do Brasil.
      Agora, desculpe discordar de você, mas a temperatura de Petrópolis é MUITO mais baixa e úmida, do que a de Juiz de Fora (conheço bem, as duas cidades).
      A explicação é simples: Petrópolis tem uma altitude de 809m, está inserida dentro de região de Mata Atlântica, portanto, é uma região serrana.
      Juiz de Fora tem 695m de altitude, pouca área verde e é cercada por montanhas de pedra, que quando aquecidas, emitem muito calor (como no Rio).
      Agora, a temperatura de Petrópolis, cai muito durante a noite (mesmo no verão). É como se tivesse um ar condicionado constante.
      Durante o dia, o clima é bem ameno e chega até a fazer calor.
      Agora quer sentir a diferença? Vá ao Rio em um dia de verão e depois suba a serra. Você vai abençoar o frio, a neblina, a chuva e todo o pacote climático da bela Petrópolis.
      Eu adoro o clima de Petrópolis, cidade onde vivi a maior parte da minha vida, mas como não se pode viver só de clima…migrei para outra cidade. E o meu filho fez a mesma coisa, assim como vários amigos.

      Abraços.

  139. Lidia disse:

    Carolzinha Querida:

    Bom, receber comentários sobre Petrópolis.
    Por coincidência, ontem, tive várias lembranças saudosas e muito gostosas, sobre a minha adolescência em Petrópolis.
    Eu era aluna do Liceu Municipal e de vez em quando (só de vez em quando), cabulava aula para ir ao cinema, no extinto Cine Dom Pedro. Mas, antes passava na Confeitaria Copacabana (que não existe mais, infelizmente) e comprava os bens casados mais deliciosos do universo.
    Esses bem casados, desmanchavam na boca e eram recheados com um doce de leite caseiro maravilhoso.
    Consegue imaginar, que passados 23 anos, ainda sinto o gosto do doce na boca?
    Lembrei-me também de um docinho, chamado Miss, que era feito com côco e gema de ovo, macio e com um sabor indescritível. Esse docinho, era fabricado pela Doces Guerra. Ainda existe essa fábrica de doces?
    Às vezes eu penso em voltar para Petrópolis, mas temo me decepcionar, pois muita coisa que curti em Petrópolis, não existe mais!
    Não existia lugar melhor lugar para morar, do que Petrópolis (era um lugar único).

  140. Cristiano Marques disse:

    Lidia, realmente. Ouvi falar também que esse ano foi diferente, talvez aquecimento global, sei lá. Mas gostei muito da cidade. As pessoas são muito bem educadas. Os carros até param pra vc atravessar a rua. Em Juiz de Fora não existe isso. Eu trabalho no Rio, subo e desço a serra todos os dias. E posso te falar, não me arrependo nenhum pouco de “viajar” todo dia. Pois só o final de semana na Cidade já compensa o esforço. Pena que os imóveis estão ficando muito valorizados. Daqui a alguns anos fica perto do Rio em valorização. Abraços …

    • Lidia disse:

      Cristiano:

      Os imóveis em Petrópolis, sempre foram muito valorizados.
      Quando vim para Curitiba, com o dinheiro da venda do meu apto em Petrópolis, eu comprei dois aqui.
      Porém, existe um diferencial em relação ao Rio. Quase todos os bairros de Petrópolis, são muito bons para morar e nenhum é muito distante do Centro.
      Se você garimpar bastante vai encontrar um imóvel por um preço bem acessível.
      A minha mãe e a minha irmã, compraram casas por preço de galinha morta. A minha mãe mora no Centro e a minha irmã no Carangola.
      Mas, tem que procurar bastante e fugir das imobiliárias (são muito safados).
      Sou carioca, mas considero Petrópolis a minha cidade natal.
      Eu passava as férias de verão na casa da minha avó e me lembro do ar, que de tão puro, chegava a doer os pulmões.
      Acho o petropolitano muito culto, educado e prestativo. Um pouco esnobe, é verdade, mas isso faz parte do charme da cidade imperial.
      Boa sorte para você em Petrópolis. Confesso, que sinto até uma pontinha de inveja (boa).

      Abraços.

  141. Lidia disse:

    Cristiano:

    Sobre Juíz de Fora: foi lá que comi o melhor frango recheado à milanesa, da minha vida.
    Como se come bem, naquela cidade. Né, não?

  142. antonio disse:

    Muito se fala em frio com muita umidade,chuva,neblina como se fosse o pior frio,mas só quem já passou o frio mais seco sabe que é como o frio do deserto do Saara ou do atacama,de dia 30,40 graus ou mais e de noite 5 ou zero graus,este frio sim dói nos ossos devido a grande amplitude,diferente do frio mais úmido em que voçê se ambienta à baixa temperatura devido as máximas não subirem tanto e não há um choque térmico tão grande,por isto consider o frio seco o pior dos frios,não que o frio úmido também não seja frio.No interior de SP,MS temos durante o inverno este frio seco de dia chega à 25 graus e de madrugada à 7 ou 5 graus quando não perto de zero.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s